Menu

sábado, 23 de janeiro de 2010

O Tempo

De todas as vezes que andei pelas ruas, foram poucas as que notei como é belo o feio.

Aqueles casarões abandonados em alguma rua suja e malcheirosa, algum momento foi o palácio de um sobrevivente do caos do dia a dia.

Caminho observando os detalhes, e cada um deles me surpreende de alguma forma.

Não apenas vejo, mas olho. Olhando entendo. Entendo que a beleza não está no todo, mas nos pequenos detalhes.

Vejo lindas arquiteturas em prédios velhos e abandonados, invisíveis à multidão.

Questiono a sua história, descubro fragmentos de vida, restos sub-humanos de olhares que o tempo não levou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário