Menu

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Divulgação: Evento Mulheres de Sombras - ABERST


Não é muito normal postarmos algo no blog nesse horário, mas hoje é por um motivo maravilhoso. Não sei se todos sabem, mas no final do ano passado, conseguimos parceria com a ABERST - Associação Brasileira de Escritores de Romance Policial, Suspense e Terror, que tem como objetivo aproximar os nossos autores desses gêneros dos blogs, editores e leitores, fortalecendo a nossa literatura.
E mês que vem, eles terão um evento aqui em São Paulo em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, com debates com autoras convidadas, vendas de livros, sorteios e brindes. Não temos ainda certeza se conseguiremos ir, mas tenho certeza que vai ser um evento muito interessante, divertido e uma ótima oportunidade para conhecer novos autores e leitores.
O ambiente será descontraído, intimista, num casarão, onde os convidados poderão trocar livros livremente no nosso escambo (não poderão deixar livros no local), poderão comprar livros dos associados ABERST (dinheiro, cartão de débito e crédito), e verão um bate-papo mediado pela editora Adriana Chaves, com as autoras: Vera Carvalho Assumpção, Juliana Daglio, Kathia Brienza, Amanda Reznor, Karen Alvares e Renata Maggessi. O foco do debate será autoras de suspense, terror, horror e policial que as influenciaram e estão mudando o cenário literário, o papel e obras de escritoras mulheres desses gêneros e a criação de personagens femininas realistas e interessantes.
O evento de comemoração do Dia Internacional da Mulher acontecerá em São Paulo, no bairro Planalto Paulista, na Av. Iraí,1363, às 14h00, no dia 3 de Março, sábado.

Para quem quiser mais informações, seguem os links: Link do Evento | Página da ABERST | Rádio Geek

Espero que tenham se interessado pelo evento e comentem ai embaixo se participarão!

Até a próxima e bom evento!
Carol!!!

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Resenha - A Espada do Verão (Magnus Chase e Os Deuses de Asgard - Livro 1) - Resenha Atrasada


" - Ninguém chegou a dizer o branco dos olhos deles - prosseguiu. - Isso foi uma lenda, inventada anos depois. Aqui nem sequer é Bunker Hill. É Breed's Hill. E, apesar de a batalha ter saído muito cara para os britânicos, os americanos não venceram. Foram derrotados. A memória humana é assim... esquece a verdade e acredita no que for mais conveniente. "

Eu me divirto com os livros do Rick Riordan, mas já fazia alguns anos que não lia nada dele. Mas, enfim, consegui pegar "A Espada do Verão", primeiro livro da série Magnus Chase e Os Deuses de Asgard (Ed. Intrínseca).
Nessa nova série do "tio" Rick, vamos entrar no mundo de mitologia nórdica. Aqui, o nosso protagonista vai ser Magnus Chase, um jovem que desde que perdeu a mãe num acidente misterioso, vive nas ruas de Boston, utilizando tudo que aprendeu, Magnus tenta sobreviver e ficar fora da vista dos policiais. Porém, quando Magnus acredita não ter mais problemas do que o frio e fome, ele reencontra seu tio Randolph - um tio que ele mal conhece e que sua mãe, antes de morrer, mandou manter distância. Randolph parece perigoso e revela um segredo improvável: Magnus é filho de um deus nórdico. Além de descobrir essa loucura, ele descobrirá que os deuses nórdicos, trolls, gigantes e outros monstros estão se preparando para o Ragnarök, o Juízo Final! Para impedir o fim do mundo, Magnus, junto com Hearth e Blitz (que serão muito mais que meros mendigos) e Samirah, uma valquíria, terão que recuperar uma poderosa arma, que está perdida há mais de mil anos.
Para quem já leu a série de mitologia grega ou romana (a egípcia eu nem irei citar, pois acho muito mais fraca), deve ter reparado no sobrenome de Magnus Chase - Annabeth Chase... isso porque eles são primos e logo quando soube disso, já fiquei bem surpresa e ansiosa para saber como e aonde essa relação iria aparecer e qual a sua importância. Porém, nesse volume, ainda não sabemos muito...

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Resenha - A Seleção


" - Então você está escolhendo o príncipe? - ele perguntou com dor na voz.
  - Não. Não estou escolhendo Maxon ou você. Estou escolhendo a mim mesma. "

Esse livro, "A Seleção" da Kiera Cass (Ed. Seguinte) está parado na minha estante já fazem séculos e eu sempre me enrolava nas leituras e não conseguia pegar ele para ler, ou sempre ia adiando a leitura. Então finalmente esse ano decidi tirá-lo da estante e ler de uma vez.
Como já faz alguns anos que o livro saiu e pelo jeito todo mundo já leu, menos eu, acho difícil alguém não conhecer a sinopse do livro, mas farei um breve resumo para quem também não gosta de seguir o hype.
Numa sociedade em que a população é dividida em castas - em que a casta oito é onde estão as pessoas mais pobres e a casta um é a da família real -, a cada tantos anos, ocorre a "Seleção", uma competição que reúne moças de 16 a 20 anos de toda Illéa (o país onde se passa a história, que é os EUA com outro nome) para encontrar uma que será a esposa do atual príncipe, que nesse caso é Maxon. Quando os convites chegam para as garotas, todas ficam loucas, pois é a chance de mudar de vida, para melhor! Porém, para America Singer, uma garota da casta Cinco, esse não é um sonho, pois significa deixar para trás Aspen, o garoto que ela é apaixonada, mas que é de uma casta inferior; significa deixar a a sua família para trás e ir para um palácio que está sob ameaça constante de ataques rebeldes. No entanto, Aspen insiste para que ela pelo menos tente ser uma das selecionadas, pois ele odeia ver que ela pode está perdendo uma chance de melhorar de vida, mesmo que ele tenha que se separar dela. America não tinha uma boa impressão de Maxon, mas como o bom clichê sempre faz, ao chegar no palácio e conhecer Maxon, ela descobre um príncipe bondoso, educado, gentil, engraçado e charmoso - totalmente diferente do que imaginava. Eles começam a se aproximar e America a refletir se tudo o que ela tinha planejado era o melhor para ela.

domingo, 28 de janeiro de 2018

Resenha: O Androide - #OlharNosNacionais


" - Os homens são bestas que não merecem viver mais neste mundo. Eu fui uma prostituta. Vivia para lhes dar prazer. Eu descobri em poucos dias que eles eram animais sem sentimento, imundos, egoístas, capazes das maiores atrocidades em busca de prazer. Eles batiam, violentavam, estupravam e matavam muitas mulheres. Eu fui criada para que eles pudessem fazer tudo isso e não fossem presos."

Primeira resenha do blog referente ao nosso desafio #OlharNosNacionais!
Eu adoro distopias, mas tirando elas, nunca tinha lido um livro de ficção cientifica. No entanto, eu adoro o filme "Eu, Robô", e ano passado assisti a resenha da Tati Feltrin sobre esse livro, "O Androide", do Paulo de Castro (Ed. Novo Século) - que é uma ficção cientifica - e fiquei doida para lê-lo. Tanto que foi o primeiro livro que escolhi para colocar no nosso desafio!
A premissa do livro é a seguinte: os homens (e quando digo homens, estou referindo-me aos humanos), começaram a construir androides para trabalharem mais rápidos, pois diferente dos humanos, os humanoides não precisam dormir, comer e nem descansar. Trabalhavam 24 horas por dia, aprendiam muito mais rápido e não precisavam de salários.
Um dia, porém, um grupo de androides se revoltam querendo ser livres, e começam uma guerra entre máquinas e humanos. Acaba que todos os humanos são exterminados e os androides que vivem à margem, que não seguem o seu líder H1N1, precisam "viver" escondidos.

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Decepções do Olhar 2017














Como uma lei natural da vida, temos os nossos melhores momentos e nossos piores; nossos altos e nossos baixos. Em relação às nossas leituras. não poderia ser diferente também. Optamos por não 'rotulá-los' de piores, afinal, uma leitura ruim para nós, não necessariamente será para vocês.
Vamos classifica-los como uma 'decepção', pois toda vez que vamos ler  um livro, sempre criamos um certo nível de expectativas, e quando não atingimos esse ápice, vira uma decepção mesmo, não tem jeito.
Então, vamos à lista!

domingo, 7 de janeiro de 2018

Melhores do Olhar 2017

E o ano novo já chegou (e já tá no dia 7) ... E muitos livros bons construíram nossa caminhada em 2017. 
Então resolvemos colocá-los em nosso hall da 'fama' e eterniza-los em nossas vidas. 
Torcendo para que vocês também lhes deem uma chance, e possam conhecer essas extraordinárias histórias que enalteceram nosso ano!
Eis a nossa lista...

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Desafio Literário 2018: Olhar Nos Nacionais!

Toda vez que um ano acaba e outro começa, junto dele vem toda a expectativa de novos desafios, mais recomeços, continuidade...
Entra ano e sai ano e na hora do balanço, na maioria as vezes, a gente vive no vermelho. Uma grande parte dos nossos livros entram na lista, mas nem conseguem sair da estante.
Então, em 2018, resolvemos mudar. lançamos o desafio literário "Leia Nacionais"! Só que, ao contrário dos anos anteriores, vamos ter mais cautela. Não vamos sobrecarregar os meses com 4, 5 livros e não conseguir ler. Separamos dessa vez 1 ou 2 livros por mês e com o tempo que sobrar, encaixamos outros livros preteridos, sem correria, só curtindo!
E esse ano, além do nosso desafio, teremos as leituras que faremos em parceria com a ABERST - portanto, vai ter livros nacionais para todos os lados. E quem disse que não gostamos disso?
Então... quem vai se aventurar a fixar os pés na "terrinha" e descobrir com a gente que por aqui também tem coisas boas?