Menu

segunda-feira, 12 de junho de 2017

O Amor Está No Ar...

Hoje é Dia dos Namorados, então trazemos uma lista com 10 filmes românticos. Nela, teremos filmes mais conhecidos, mais leves, para se emocionar, chorar, amar. Tem filme para tudo que é gosto! Esperamos que gostem!

      1. Cartas Para Julieta (2010) - Dir.: Gary Winick
      2. Diário de Uma Paixão (2004) - Dir.: Nick Cassavetes
      3. P.S. Eu Te Amo (2008) - Dir.: Richard LaGravenese

 

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Mulher-Maravilha Chegou Para Ficar! - Crítica


Domingo, dia 04, fui assistir "Mulher-Maravilha" (2017, Dir.: Patty Jenkins) e preciso começar dizendo que, normalmente curto mais os filmes da Marvel, mas desde que saiu o primeiro trailer desse filme, fiquei bem ansiosa e com as expectativas lá no alto.
Gosto bastante de filmes de super-heróis, apesar de não ler as HQs. Fugindo da maioria das críticas, não achei "Batman vs Superman" tão ruim, porém, entendo que essas últimas levas da DC não eram o que os fãs estavam querendo. Quando começou a ficar mais próximo do lançamento de "Mulher-Maravilha", as perguntas eram muitas, mas a principal era: será a volta da DC? E digo que sim!
Agora indo para o que achei do longa...
O filme vai muito bem até a última parte. O começo é muito bom, apresentando as Amazonas e seus treinamentos. A cena que o Steve Trevor (Chris Pine) cai na Ilha Paraíso, "trazendo" os alemães junto e em seguida eles lutando contra as Amazonas é uma cena linda! Toda a apresentação dessa super-heroína, explicando o nascimento de Diana Prince (Gal Gadot), eu considero como a primeira parte. E uma parte muito boa!
Em seguida, entramos na segunda parte, quando Diana vai para Londres. E aí nota-se a mudança na paleta de cores: antes tão colorido, sem a presença do medo; agora entramos em um terreno todo cinza, em que a presença do medo é constante. A cena em que a nossa WW sobe nas trincheiras e vai desviando as balas com os seus braceletes é de arrepiar! - para mim, a melhor cena do filme todo. Foi para ver aquilo que fui no cinema!

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Psicose - Resenha/Desafio


"Engraçado, pensava Sam, como acreditamos saber tudo sobre uma pessoa só porque a vemos frequentemente ou porque temos uma forte ligação emocional com ela....
...Respeitáveis senhoras de idade de repente eliminavam os maridos após vinte anos de casamento feliz; humildes empregadinhos de banco de repente desviavam fundos... Não há como prever o que pode acontecer."

Quem não conhece a clássica cena do banheiro de "Psicose" ou o grande plot twist que essa história leva?
Acreditem se quiser, eu ainda não assisti o filme, mas é claro que sei o final e todo o desenrolar. Porém, tinha bastante interesse em ler o livro e posso afirmar que ele me surpreendeu mais do que eu esperava! Também acompanho a série "Bates Motel" e recomendo DEMAIS! - tem um elenco de primeira e não fica atrás das outras duas obras (no total são 5 temporadas, sendo que o último episódio foi ao ar dia 24/04 - na Netflix tem até a terceira. Não percam a chance de assistir, é muito bom mesmo).
Então peguei "Psicose", de Robert Bloch, Editora DrakSide, para ler, e li numa semana. A escrita do Bloch é muito fácil (mais até do que esperava) e a narrativa vai muito rápida.
A história de suspense conta a história de Marion Crane, que foge ao roubar 40 mil dólares. Em uma noite de tempestade, Marion acaba parando no Bates Motel, cujo proprietário é Norman Bates, um homem atormentado por sua mãe controladora.
Não contarei spoilers, apesar de achar bem difícil alguém ainda não saber nada sobre essa história...
Os personagens são muito bem construídos e a relação do Norman com a Norma é muito interesse de se ler. Além desses dois principais, ainda temos a irmã da Marion e o seu "noivo" (?), que estão atrás dela, pois acham que alguma coisa mais séria aconteceu com ela.
Os capítulos narrados por estes dois são mais chatinhos, o que eu ansiava por ele eram os narrados pelo Norman.
Um clássico - tanto da literatura, quanto do cinema - que precisa ser lido e assistido por todos (e não se esqueçam da série também!). Uma história de primeira, que a DarkSide trouxe para nós em uma edição MARAVILHOSA!
Muito recomendado para quem gosta de um bom suspense!

Até a próxima e boa leitura!
Carol!!!

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Dragão Vermelho - Resenha


"Só vemos o que observamos e só observamos coisas que já conhecemos." (Alphonse Bertillon)

Não sei se vocês sabem, mas um dos meus filmes preferidos é "O Silêncio dos Inocentes" e o meu personagem/vilão é o Hannibal, então, quando coloquei no começo do ano esse livro no desafio, estava muito ansiosa pelo o que encontraria aqui.
Quando comecei a ler, me lembrava muito pouco da história, pois faz muito tempo que não assisto aos outros filmes do canibal. E apesar de estar assistindo a série (que recomendo demais, também!), ela é bem diferente do livro!
Mas agora vamos ao ponto! "Dragão Vermelho", do Thomas Harris, Editora BestBolso, não foi tudo o que esperava. Porém, tenho a impressão que isso se deva muito por causa da edição e depois vou falar sobre isso.
A história começa quando o agente do FBI, Will Graham é chamado ao trabalho depois de muito tempo parado, pelo seu ex-chefe (agora novamente chefe), Jack Crawford, para investigar uma série de assassinatos. Porém, para capturá-lo, ele precisará pedir ajuda ao Dr. Hannibal Lecter, um assassino canibal que o próprio Will prendeu muitos anos atrás (e o motivo para ele parar de caçar assassinos). No entanto, esse ato pode trazer consequências desastrosas.

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Canção do Cuco - Resenha


" - Boa escolha. O melhor lugar da casa. - O estranho de bigode de estrela de cinema foi parar ao lado da cadeira, fitando o filme em reverso. - Mas é claro, o melhor jeito de ver as coisas é sempre pelo interior, Surpreenda o mundo pelas costas, pegue-o desprevenido, e então vai vê-lo como realmente é..."

Vocês não fazem ideia de quão ansiosa eu estava para ler esse livro... Quando fizemos os sorteios dos livros que iríamos ler esse ano e saiu ele, fiquei muito feliz!
O primeiro fator que que me despertou interesse no "Canção do Cuco", da inglesa Frances Hardinge, Editora Novo Século, foi a capa. Normalmente não curto muito capa com pessoas, mas essa especificamente eu curti demais (e quem leu, deve ter percebido que nela tem algumas características bem importante para a história/personagem principal). O outro foi a sinopse (que é muito interessante e diferente).
Triss Crescent (a nossa protagonista) tem onze anos e está passando as férias com a sua família fora da cidade. Porém, ela sofre um acidente em que não se lembra de nada e ao despertar, coisas estranhas começam a acontecer. Ela sente uma fome imensa, a ponto de comer as próprias bonecas; ela acorda várias vezes com folhas e terra com gravetos (seria ela, sonâmbula?); objetos inanimados tentavam ataca-la; tesouras eram atraídas por ela; em vez de chorar lágrimas, ela chorava teias de aranha; sua irmã, Pen, passa a ter um medo incontrolável dela, entre várias outras coisas.
Sem saber o porque que essas coisas estavam acontecendo, Triss começa a investigar para descobrir as causas do acidente - que a princípio, é o causador de todas essas estranhezas. O que ela não imaginava era que tinha coisas mais sombrias do que ela achava existir.

domingo, 21 de maio de 2017

Eu Sou Malala - Resenha


"Nasci como filha orgulhosa do Paquistão, embora, como todos os swatis, pense em mim primeiro como swati, depois como pachtum e finalmente como paquistanesa."

Claro que antes de ler esse livro, antes já tinha ouvido muitos acontecimentos em volta da Malala e até vistos alguns vídeos dela falando (como por exemplo, uma na ONU - inclusive recomendo demais vocês assistirem! - cliquem aqui), mas não tinha conhecimento de tudo pelo qual ela passou.
Quando pensamos nela, lembramos rapidamente de quando ela tomou um tiro -  até porque para a grande maioria e para o mundo, ela ficou conhecida por causa disso. Mas ao ler "Eu Sou Malala", Editora Cia. das Letras, descobrimos que a vida dela é muito mais do que isso. Aliás, a própria Malala diz no livro que ela gostaria de ser lembrada por ser a menina que lutou pela educação e não que tomou um tiro do Talibã.
O livro vai mostrar desde a infância da Malala até quando o Talibã tomou controle do vale do Swat. Desde pequena ela já não entendia porque as meninas não podiam estudar com os meninos, porque elas não tinham o mesmo direito que eles e o porque milhões de crianças (meninas e meninos) não terem direito à educação.

terça-feira, 16 de maio de 2017

Pelos Olhos de Maisie - Resenha


"Ela foi abandonada a seu destino. Estava claro para qualquer observador que único vínculo que a unia a cada um de seus pais era o fato lamentável de ser ela um veículo fácil para o rancor deles, uma xícara de porcelana, pequena mas funda, boa para misturar ácidos cortantes. Queriam-na não pelo bem que pudessem fazer a ela, mas pelo mal que, com a ajuda inconsciente dela, cada um poderia fazer ao outro. "

Eu queria não falar sobre esse livro. De verdade...
"Pelos Olhos de Maise" de Henry James, Editora Penguin, foi um desses livros que quero esquecer que um dia li. Além de ter consumido vinte dias do meu precioso mês - isso mesmo, vinte dias para um livro de um pouco mais de 400 páginas! - não acrescentou nada na minha vida. Livro chato, cansativo, monótono.
O autor "TENTA" relatar o drama familiar de uma criança - Maise - que se vê diante da separação de seus pais e passa a ser usada como instrumento de manipulação, um joguete na mão do casal que se odeia. Diante desse mundo novo, com dois lares prejudicados pela incerteza, pelo ódio, a garota acaba criando seu próprio mundo e sendo empurrada de um lado para outro. A história pode até parecer boa falando nessa perspectiva, mas acredite, não é.
O livro não funcionou para mim - é sonolento, chato e devagar. Não passa de um enredo inconclusivo. Para o autor, a menina não passa de um brinquedo dentro de uma situação curiosamente complicada na qual ele não consegue destrinchar. A gente não consegue criar empatia pela menina, os diálogos são vagos e pobres e não há conexão com o próximo capítulo. Ficamos esperando alguma conclusão nas próximas páginas mas isso nunca acontece.
Uma lamentável perda de tempo e dinheiro.
Não funcionou nadinha para mim. Um porre de leitura!

Cláu Trigo