Menu

quarta-feira, 12 de setembro de 2018

Resenha Atrasada - Leite Derramado



"A figura Matilde trancada num sanatório, era mil vezes preferível perambular pela cidade, adivinhando a silhueta dela em cada janela de arranha-céu. Algum dia eu haveria de topar com ela, mesmo que se passassem anos, mesmo aos beijos com outro. E se algum dia encontrasse Matilde com outro, mais que olhar Matilde eu olharia o outro, eu necessitava saber como era esse homem, para dar substância ao meu ciúme. Eu pensava nesse homem constantemente, muitas noites cheguei a sonhar com ele, mas ao despertar não conseguia lhe conferir forma humana. Nem ódio eu poderia ter de um sujeito que não me ultrajou, não entrou na minha casa, não fumou os meus charutos, não violentou minha mulher. E pouco a pouco me dispus a aceitá-lo, procurei imaginá-lo como uma alma delicada, como alguém que olharia por Matilde na minha falta. Imaginava um homem que se dirigisse a ela somente com palavras que nunca usei, que tivesse o cuidado de tocar a pele dela onde eu jamais tocava. Um homem que se deitasse com ela sem tomar o meu lugar, um homem que se contentasse em ser o que eu não era."

Não tem como ler uma frase dessa e não encontrar ali algum tipo de sentimento que sentimos ou dividimos algum dia.
"Leite Derramado" do Chico Buarque, Ed. Companhia das Letras, é de uma poesia inexplicável. Tem alma, tem coração, tem vida própria. Você consegue ler e se ver na história. Consegue se imaginar andando pelos calçadões de Copacabana, consegue sentir o cheiro do mar, consegue ouvir as declarações de amor entre casais ao anoitecer. É como se você fizesse parte desse universo poético de Chico.
Leite Derramado é um monólogo de um senhor que se encontra no leito de um hospital relembrando a sua infância, retratando sua família desde seus ancestrais portugueses. Uma saga familiar caracterizada pela decadência social e econômica, tendo como pano de fundo a história do Brasil dos dois últimos séculos.
Com uma memória confusa e desfalecente, a história se desenvolve de forma embaralhada, sem uma ordem lógica e cronológica, repetitiva mas contraditória, obsessiva mas esburacada.
O texto é primoroso. A fala desarticulada do ancião cria um suspense e muitas dúvidas no leitor.
Não tem como se desprender da história. Dividimos com o narrador/personagem todas as suas angústias, sua paixão mal resolvida por Matilde, que mesmo vista de forma indireta e em breves flashes, ela se torna, também para nós leitores, inesquecível. Assim como o livro.

Link da Amazon - clique aqui. Comprando por ele, vocês ajudam o blog a continuar crescendo!

Cláu Trigo!

segunda-feira, 3 de setembro de 2018

Resenha: A Arma Escarlate - #OlharNosNacionais


"Foi Caimana quem respondeu. "O erro de um sistema que treina seus filhos para agirem por medo de punição, não pelo desejo de manter a harmonia. No momento que a autoridade desaparece, o sistema se autodestrói. Nesse caso, no momento em que os professores somem, os alunos bagunçam tudo. Porque sabem que ninguém irá puni-los."

Com certeza, esse era o livro que mais estava ansiosa para ler do nosso desafio Olhar Nos Nacionais. E foi "A Arma Escarlate", Editora Novo Século, da Renata Ventura, que fez eu voltar a ler rápido e com vontade.
Tenho esse livro a algum tempo, e na Bienal de SP de 2016 consegui o autógrafo da Renata e, sinceramente, hoje fico muito feliz de ter conseguido, pois foi um livro que amei e com certeza entrará nos melhores do ano!
Aqui, acompanharemos a vida de Idá Aláàfin, um garoto de 13 anos que vive com a mãe e a vó dentro de um contêiner, na favela de Santa Marta, localizado no Corcovado, Rio de Janeiro, em 1997. Durante um tiroteio, tentando fugir do chefe do tráfico, Idá (ou melhor, Hugo!) descobre que é um bruxo. Na sua fuga, Hugo só tem um objetivo: aprender magia suficiente para enfrentar o bandido e ajudar a sua família.
O livro já começa no meio de toda a ação do tiroteio e entramos na leitura um pouco perdidos. Mas com o passar das páginas, a história vai se encaixando e nos explicando cada detalhe desse mundo fantástico presente nesse nosso país que tanto amamos, mesmo com seus problemas que parecem que nunca vão se resolver. Mas isso é história para outra hora...

quarta-feira, 22 de agosto de 2018

Resenha: O Sonho de Eva - #OlharNosNacionais


" Aumentou ainda mais o tom de voz. - Mas conte, velho, qual a importância desses pesadelos?
 - Sonhos, meu caro. Sonhos. E não precisa gritar.
 - Para mim é a mesma coisa; tudo pesadelo.
O chinês abriu a garrafa de Jack Daniels, encheu o copo do ex-militar.
 - A mesma coisa? Prazer e terror podem ser a mesma coisa? Não importa. Você, que ganha a vida como mercenário, é bom saber: sonhos vão ser as armas das guerras deste século! "

Tenho esse livro, "O Sonho de Eva" do Chico Anes, Editora Novo Conceito, já fazem alguns anos. Se não me engano, comprei ele na Bienal de São Paulo de 2014, então deve fazer uns quatro anos que ele está parado na minha estante.
Lembro que cheguei a ele por causa da capa, que achei lindíssima - e ainda acho! Não conhecia o livro nem o autor, mas a capa me conquistou.
Quando fui escolher os livros para o nosso desafio, "Olhar Nos Nacionais", no começo do ano, não tinha dúvidas de que esse seria um dos 12 livros. E pelo tempo que ele estava parado na minha estante, nem me lembrava mais do que se tratava. Acho que isso foi ótimo para a minha leitura.
Na história, teremos duas narrativas: a da Dra. Eva Abelar e a do Dr. Alec Lenz, sendo o foco maior na doutora. Ambos são psiquiatras e amigos de longa data. O livro começa com uma conversa entre um chinês e um mercenário num bar na Augusta, sobre sonhos (no qual o quote do começo da resenha faz parte). Em seguida, já passamos para uma palestra que Eva está dando na Universidade de Viena, na Áustria (o berço da psicanálise) sobre sonhos lúcidos - sua especialidade.

domingo, 19 de agosto de 2018

A Semente do Veneno - Conto #3 do Livro dos Mistérios


"Do primeiro amor nunca esquecemos! Do livro favorito também. Leitura, já dizia mamãe, é uma maneira de se preparar para a vida. Escolher, com sabedoria, quais estilos serão importantes para ler é um dom visto em poucos seres humanos: os raros. Nobres delicados ou brutais!"

Depois de mais de um ano, venho trazer a resenha do último conto do Livro dos Mistérios, "A Semente do Veneno" do Jeremias. E antes de falar sobre o que se trata, tenho que pedir mil desculpas para o autor, pois atrasei mais de uma vez a leitura desse conto e também dessa resenha.
Mas conseguimos, e hoje venho trazer a minha opinião sobre esse terceiro conto, que é o mais longo (60 páginas), o que achei mais difícil de decifrar, mas também o mais interessante.
Aqui, acompanharemos uma mulher, que entre seus livros, encontrou o amor e dele tirou diversos aprendizados. Seu objetivo? Não cair nas armadilhas do amor. Porém, enquanto lia um dos seus livros no bar no qual a sua mãe trabalha, um homem de conversa torta entra no meio do seu caminho e esse monstro trará diversas lembranças que a nossa protagonista esteve sempre tentando fugir. O amor é semente boa ou ruim?

domingo, 12 de agosto de 2018

Bienal 2018 + Novidades: Instagram | Amazon


Novamente, fomos na Bienal de São Paulo desse ano, 2018. Optamos pelo segundo sábado, dia 11, mais conhecido como ontem, rsrs. Parece que a cada Bienal que vamos, voltamos mais cansadas, mas todo esse cansaço vale muito.

quarta-feira, 1 de agosto de 2018

Resenha Atrasada - Os 13 Porquês


"Naquele exato momento, dentro da secretária, ao me conscientizar de que ninguém sabia a verdade a respeito da minha vida, meus pensamentos sobre o mundo ficaram abalados.
Como se estivessem dirigindo por uma estrada acidentada e perdendo o controle do volante, sendo jogada - só um pouquinho - para fora da pista. As rodas levantam poeira, mas você consegue puxar o carro de volta. Mesmo assim, não importa que esteja segurando bem firme no volante, não importa o quão esteja se esforçando para me tentar guiar em linha reta, algo fica empurrando você para o lado. Você já não tem quase mais nenhum controle sobre nada. E, a certa altura, a luta se torna excessiva - cansativa demais - e você considera a possibilidade de largar tudo. De deixar acontecer uma tragédia... ou seja lá o que for."

"Os 13 Porquês", de Jay Asher, Ed. Ática, foi uma navio à deriva em minha vida. Capa linda! História BEM ok!!!
Você ouve tantos elogios, tanto marketing à respeito, e depois das primeiras páginas se vê rolando ladeira abaixo. É tudo uma montanha-russa de altos e baixos.
A história de uma garota que se matou e deixou gravada em 13 fitas cassetes para 13 pessoas que "supostamente" teriam relação com seu suicídio foi, no mínimo, assustador.
O que a levou ao fim foi muito maior que o bullying sofrido, estamos falando de uma mente doente, deprimida, que precisava de socorro e não foi atendida.
A ideia do olhar mais sensível sobre uma doença que vem sendo o grande mal do século é sem dúvida, elogiável, mas precisamos muito mais do que uma simples atenção, é preciso ajuda - e rápido!

segunda-feira, 23 de julho de 2018

Balanço do Primeiro Semestre


Passamos mais um semestre com um saldo para lá de positivo!
Por quê?
Porque conseguimos ler muita coisa boa que desconhecíamos, e melhor, como tem escritor bom nessa nossa 'terrinha', gente com muito talento e imaginação...
Estamos bem felizes pela escolha do desafio desse ano - Literatura Brasileira -, garimpamos muita gente boa em nossas estantes, e gostaríamos muito de compartilhar com vocês essa alegria.
Então, aqui vai o nosso balanço de leitura desse semestre. São gráficos com as Editoras, gêneros, nacionalidade e se lemos mais autores ou autoras...
Os títulos não estarão nesse post porque preferíamos focar em dados informativos, até como uma forma de saber o que esteve mais em alta em nossas leituras nesse semestre.