Menu

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Aos que virão

Depois de um tempo "fora" resolvi voltar ao velho hábito: escrever...
Me assombra demasiadamente o futuro que me aguarda.
Crio expectativas e na maioria das vezes guardo-as no armário.
O receio de me deparar com velhos fantasmas me assusta, é complicado demais olhar em volta e não ter aquele apoio de outrora.
Vejo, depois de algum tempo, as coisas de outra forma, com os mesmos velhos olhos de antes, mas o contexto é diferente.
As coisas estão estéreis, houve mudanças que nem sempre consegui acompanhar.
Criamos estereótipos, não conseguimos nos livrar deles.
Velho sonho: abrir os olhos e me deparar com uma sociedade mais justa, onde muitos podem fazer parte do círculo de poucos, andar pelas ruas dessa frenética São Paulo sem me preocupar com possíveis perigos. Isso está muito distante de acontecer?
Alguém irá me responder?
Talvez isso seja só utopia, demagogia, ou tantos "ias" que são politicamente corretos.
Não sei.
Olhando pela janela agora o que vejo é uma cidade grande, linda, que se perde no seu próprio horizonte, sem perspectiva de futuro, nem para ela quem diga para mim!
Somos vítimas de nós mesmos.
Somos soldados sem exército.
Somos fruto de grandes árvores mas jogados em cestos incertos.
Como viver assim?
São perguntas demais?
Talvez...
Mas adoraria saber aonde se esconde esse objeto de meu desejo.
Será que um dia vou encontrar?
Vai saciar a minha sede de ir até as últimas consequências para ser feliz?
Estou no aguardo.