Menu

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Resenha - Will & Will

" tiny: talvez esta noite vocês tenham medo de cair, e talvez haja alguém aqui ou em algum outro lugar em quem vocês estejam pensando, com quem estejam preocupados, se afligindo, tentando decidir se querem cair, ou como e quando vão alcançar o solo. e preciso dizer a vocês, amigos, que parem de pensar na aterrissagem, porque o importante é a queda."

OBS.: NÃO ACEITAMOS NENHUM COMENTÁRIO COM FALTA DE RESPEITO. ESSA CRÍTICA NÃO É BASEADA EM PRECONCEITOS.

E aí pessoal? Antes de começar a resenha tenho uma novidade para contar... Talvez estejam chegando mais dois colaboradores aqui no blog, mas ainda estamos resolvendo algumas questões. Deixamos de jogar conversa fora e ir direto ao que interessa.

Hoje vamos começar com os autores. O David Levithan só ouvi falar mas nunca li nada dele. Do John Green já li todos. Não amo ele como algumas pessoas mas não acho totalmente ruim, seus livros são bons para passar o tempo. Até ler o Will & Will, tinha gostado de todos.
Por que eu não gostei? 
Quando comprei ele achei que fosse um romance gay e tudo mais, mas neste quesito decepcionou muito. E sem falar que o David tentou fazer uma coisa diferente em seus capítulos. Ele escreveu todos os parágrafos com letra minuscula e com pouca pontuação, e sinceramente, isso me irritou muito.
Mas vamos à história. O livro conta a história de dois Will Grayson - Isso mesmo! são homônimos - e seus caminhos se cruzam em determinados momentos de suas vidas. Mas não pensem que eles são iguais, seus destinos são completamente diferentes. 
O primeiro Will é hétero e mora em Chicago, e em seus capítulos muitas vezes é mostrado sua relação conturbada com seu melhor amigo, Tiny Cooper, que no caso é gay. Já o segundo Will é gay e mora em outra cidade e desde pequeno apresenta alguns problemas, e para sua infelicidade só vão aparecendo outros.
O encontro entre os dois acontece em um sexy shop - imaginem a minha cara lendo isso, foi tipo OMG! -  e a partir daí a história vai se desenrolando.
Mas de qual eu gostei mais? 
Nenhum dos dois me chamou muita a atenção, mas prefiro o segundo Will, pois sua história é mais cativante apesar de ser meio "depressivo". Tirando o fato de que ele sofre uma grande desilusão durante o desenrolar e isso talvez tenha me afetado um pouco.
Depois que se encontram no sexy shop, suas vidas vão se cruzar outras vezes e o livro baseia-se nesses encontros repleto de conversas e "discussões".
Eu gostei bastante dos personagens secundários, acredito até que pudessem aparecer um pouco mais. Principalmente Tiny, que é um personagem que você ama ou odeia, pois muitas vezes ele é engraçado e tenta fazer de tudo para melhorar a situação e outras vezes ele é muito chato.
Enfim, só tenho uma coisa a dizer do livro: não gostei. 
Talvez pudesse ser melhor trabalhado. Dessa maneira me conquistaria mais facilmente pois para mim parece erro ortográfico. Tenho que confessar que quando peguei ele na mão tinha ficado super interessado. Hoje em dia esse tema de homossexualismo tem ganho espaço na mídia e na literatura, mas ainda falta muito para a sociedade conseguir "abrir" suas mente. Achei que seria interessante, mas não! Foi um fracasso total!

E vocês, gostaram? Têm outras opiniões? Comentem aqui e boa leitura!!

Carol!!

9 comentários:

  1. Não li este livro, mas até cheguei a cogitar dar ele de presente para alguém. Pela sua resenha, cheguei a conclusão que foi bom eu não ter dado esse presente hehehe.

    Seguindo, leitoresforever.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então Cris, depende muito de pessoa pra pessoa. Ao mesmo tempo em que eu não gostei, tiveram pessoas que gostaram. Mas espero que tenha ajudado.
      Abraço, Carol!

      Excluir
  2. Tenho que concordar com a Carol, já li e me decepcionei muito com esse livro, porém o único ponto positivo é que a história não é ruim.

    ResponderExcluir
  3. Bom! Eu, particularmente, gostei da sinopse da história, pois aparenta ser bem louca. Livros com uma temática voltada pro Indie não é do agrado de muitas pessoas. Por exemplo: "The Perks of Being a Wallflower". Conheço muitos que não gostaram. Mas é bem questão de gosto mesmo! Eu tinha conhecimento da existência do livro, mas não estava na minha lista de prioridades para ler. Agora, eu acho que minha curiosidade foi atiçada depois de ler a resenha. Sobre os erros ortográficos ou falta de pontuação: se você leu o livro em português, a culpa, talvez, seja da editora que traduziu. Experimenta ler o livro em inglês, se for esse o caso!

    Passa lá: http://liter-ama.blogspot.com.br/ Abração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom Alysson, é de questão de gosto mesmo. Talvez você goste, então se for ler, depois me diga se gostou. A questão de erros ortográficos e falta de pontuação, acho que foi algo dos autores mesmo, mas não tinha pensado no caso de erros da editora!
      Abraços!

      Excluir
  4. Esse livro realmente não emplacou né! Eu não o li , e confesso que não me despertou interesse também . Eu trabalhei um tempo na livraria Saraiva e lá devido ao sucesso de A culpa é das estrelas , muitos leitores procuravam por obras do John Green , mas de todas essa foi a que menos vendeu . Mas enfim , eu tenho curiosidade em ler outros livros do autor...
    Parabéns pelo blog e muito sucesso para você.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É o que eu sempre falo a respeito desse livro, é de pessoa para pessoa. Mas em relação aos outros livros dele, acho que vale a pena, e mesmo esse, talvez você goste. Muito obrigada!
      Abraços, Carol!

      Excluir
  5. Realmente depende muito de cada pessoa. Eu não curti nem um pouco o livro. Muito embolado e chato em quase todo o livro.

    Da uma passada no blog O Baú Cultural: http://obaucultural.blogspot.com.br/
    Aproveita e passa no nosso novo canal no YOUTUBE https://www.youtube.com/channel/UCCSwtWLzS_K3ztVa8Tm_YYQ

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi exatamente o que você disse, concordo com tudo. Mas para muitos, ele foi muito bom. Vai de pessoa para pessoa!
      Já estou seguindo, muito bom seu blog, parabéns!
      Carol!

      Excluir