Menu

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Uma Mala de Surpresas


"Sempre chegava um momento em que as pessoas se davam conta daquilo que estava prestes a lhes acontecer. Umas tentavam fugir, outras berravam ou suplicavam. Outras simplesmente se resignavam. Mas sempre chegava aquele instante que a ficha caía. No início, achavam que podiam contar com todas aquelas coisas que sempre lhes deram segurança: roupas boas, talvez, ou uma casa perfeita, um sobrenome, uma posição, uma ilusão de poder. Não conseguiam acreditar que aquilo estivesse acontecendo com elas. No fim, porém, restava apenas a crueza da realidade: a de que ele não iria embora antes que elas lhe dessem o que ele viera buscar."

Quando a espera tem suas recompensas é gratificante demais!

O Menino da Mala, primeiro livro da série da enfermeira Nina Borg, das dinamarquesas Lene Kaaberbol e Agnete Friis é mais um suspense nórdico e surpreendente.
Tentaram eleva-lo ao nível da trilogia Millennium e comparar Nina Borg com Lisbeth Salander. Isso seria uma heresia. Não se compara.
Lisbeth é insubstituível. Nela estão aprisionadas os maiores demônios que um ser humano pode suportar. Jamais existirá outra como ela.
Nina Borg tem vários encantos, entre eles a inclinação em salvar o mundo. Ela é uma enfermeira da Cruz Vermelha que, em segredo, cuida de imigrantes ilegais. Obcecada pelo trabalho, já percorreu diversos países para ajudar os mais necessitados e presenciou horrores inimagináveis.
Quando sua amiga Karin lhe pede um favor simples, ela aceita na mesma hora e recebe a chave de um guarda-volumes que abrirá a porta para um mundo cruel em que um frágil menino de 3 anos é preso numa mala e deixado dentro de um armário.
O exagerado senso de dever da enfermeira a força a levar o menino sem pedir ajuda à policia e resolver tudo por conta própria.
Vagando pelas ruas de Copenhague, seu caminho se cruza com os dramas de uma mãe solitária e desesperada, um dinamarquês rico que zela pela família e um lituano que só deseja casar e ter uma vida feliz.
O enredo é dramático do começo ao fim. Quando você acha que conseguiu juntar todas as peças do quebra-cabeça, descobre que não chegou nem perto. A história é boa, a linguagem é leve e o desfecho inusitado.
Você fica querendo chegar logo ao final para ter todas as respostas e ao mesmo tempo fica angustiada de terminar o livro.
Leitura recomendada!

Cláudia Trigo
Lisbeth é única e insubstituível. Nela

6 comentários:

  1. Respostas
    1. Oi, Sol.
      Vale à pena! Muito é bom...
      Depois passa aqui para dizer o que achou.
      Abraços.
      Cláudia Trigo

      Excluir
  2. Heei, já tinha visto esse livro por aí, mas não cheguei a ler a sinopse, mas agora lendo a resenha, fiquei com vontade de ler ;) vou colocá-lo na minha listinha de leitura q

    www.flaviaduduch.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Flávia, não deixe de ler. É um livro que vale MUITO à pena. Acho que depois de Stieg Larsson minha vida nunca foi preenchida completamente, rsrsrs, mas estou à procura e O menino da mala conseguiu "preencher" um pouco esse buraco que ficou!
      Depois me conta o que achou.
      Abraço
      Cláudia Trigo

      Excluir
  3. Oi, tudo bem?
    Gostei da resenha, parece ser bom :)
    Bjs

    http://a-libri.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Angélica.
      O livro é muito bom!
      Vale à pena, quando puder, não deixe de ler!
      Um abraço
      Cláudia Trigo

      Excluir