Menu

sábado, 17 de janeiro de 2015

Resenha - O Artífice


" -Tem razão - divertiu-se o detetive olhando o movimento giratório de sua caneta que deslizava por sobre a escrivaninha. Ele se lembrou de uma teoria que desenvolvera há algum tempo sobre a insanidade: Não existe pessoa maluca, porque para isso teria que haver alguém normal. E para haver alguém normal, teria que existir duas pessoas iguais no universo, o que não há. Era muito confuso, mas pelo menos era dele."

Esse é um daqueles livros que você não dá nada por ele e, de repente, sem aviso prévio, faz com que fiquemos atordoados: muito bem narrado.
O Artífice, da editora Universo dos Livros! Mais um dos livros que comprei na Bienal e, sem dúvidas, posso dizer que foi a minha melhor compra (mesmo não tendo dado conta de ler todos, mas estou na luta, rsrs).
Logo quando deparamos com um livro nacional ficamos com um pé atrás, (e dá-lhe "pré-conceito").
O thriller de Tony Ferraz consegue provar que temos aqui, na "terrinha", excelentes e promissores escritores.
Vamos então ao que interessa...
Quando uma onda de assassinatos começam a acontecer em Londres, só resta ao detetive Haryel Kitten tentar decifrar esses crimes. O assassino é inteligente! Através de armadilhas, vamos nos prendendo em sua teia.
Como a própria capa diz: temos um detetive (Haryel Kitten), um assassino (o Artífice) e um budista que irá tentar ajudar no caso.
Com certeza, o mais interessante é o budista. Diz metáforas inteligentes e confusas ao mesmo tempo, e entramos num momento de reflexão.
Talvez por apresentar uma filosofia pouco conhecida, o budismo , seja um pouco difícil de pegar o ritmo, mas depois leitores... é só esperar a loucura chegar!
Com certeza é um livro muito bem escrito, muito inteligente, com uma capa brilhante e linda e, sem dúvidas, um escritor inteligentemente artífice!
Só podemos aguardar uma continuação(?). Por favor, Tony Ferraz, por favor Universo dos Livros, nos dê esse presente, seremos eternamente gratos!
É até difícil terminar essa resenha, então nada melhor do que com mais uma belíssima frase retirada desse magnifico livro:

"Sábios são os que buscam a sabedoria, loucos são os que já a encontraram."

Até a próxima e bola leitura!!
Carol!!!

8 comentários:

  1. Olha, também adoro quando encontro novos escritores brasileiros. Quando são bons, então, é uma festa.
    Gostei da resenha e sua empolgação me animou também! rsrsr...
    Parabéns pelo blog e pela leitura! Seguindo e curtindo, ok?
    Abraços!
    http://porumlivronavida.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É ótimo. É sempre uma surpresa.
      Que bom que gostou, realmente fiquei surpresa.
      Obrigada!

      Excluir
  2. Me sinto melhor quando vejo que outras pessoas compraram vários livros na Bienal e ainda não deram conta de ler todos hahahah Porque estou no mesmo barco.

    Agora sobre o livro

    Autores brasileiros estão se destacando muito atualmente, né? E isso é tão bom, acabamos conhecendo diversos autores diferentes, e histórias diferentes também! Gostei bastante do enredo, e de ter personagens diferentes assim, sem centralizar em apenas um, fiquei curiosa! ;D

    Beijoks;*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rsrsrs, sim. Ainda faltam dois. É isso que dá comprar vários, de novo é difícil ler todos.
      Sim, e eu isso é muito bom. Ele realmente é muito bom e os personagens melhores ainda. Que bom que gostou!!
      Beijos!!

      Excluir
  3. Oiiiie!
    Estou super apaixonada pela escrita nacional. Eles vem ganhando destaque ultimamente. Ah, que bacana esse livro! Pela capa não dá pra saber que é um thriller! Achei que fosse algo de fantasia, acredita? Adoro o gênero policial, já entrou na minha listinha! Esse Buda com certeza foi o que mais marcou o livro, né? E sobre essa última frase? Acho que ele quis dizer que não dá pra se encontrar a sabedoria, então seriam loucos porque acham que encontraram (Sócretes já dizia, hehe).
    Beijos,
    Mar!
    ocantinholiterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Eu também. A maioria que ganhei de Natal são livros nacionais.
      Sim, a capa não diz tudo o que ele é. Mas vou ser sincera com você, comprei por causa dela, rsrs, adoro fênix...
      Com certeza o gênero policial é o meu preferido. Sem dúvida ele é muito marcante e suas frases mais ainda.
      Interessante esse ponto de vista sobre a última frase, não tinha pensado por esse lado, rsrs.
      Beijos!!

      Excluir
  4. Te marquei em uma tag, :D http://avidalida.blogspot.com.br/2015/01/liebster-award-2015.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha me indicado, mas infelizmente já respondi essa tag :(

      Excluir