Menu

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Mais Um Nórdico Pra Conta! - Garganta Vermelha


"Não precisar falar disso, mas o fiz de qualquer maneira. Porque não posso permitir mentiras. Essa é, também, a razão pela qual estou escrevendo o livro. Preciso reviver o acontecido cada vez que o tema aparece, de forma explícita ou implícita. Para ficar totalmente seguro de que não vou esquece-lo. O dia que o fizer, a angústia terá ganhado a sua primeira batalha contra mim. Não sei por que é assim. É provável que um psiquiatra possa explicar."

"Garganta Vermelha", de Jo Nesbo, Editora Record, foi meu primeiro contato com o tão aclamado autor. Tenho cinco de seus livros - Garganta Vermelha, A Estrela do Diabo, A Casa da Dor, Boneco de Neve e Leopardo -, sendo que Garganta Vermelha é o único que está no meu KOBO.
Confesso que no começo tive muita dificuldade em me sintonizar com o autor: o livro trabalha muitas histórias paralelas, que no final se fundem, mas até lá fui tomando um chá de cansaço. Como não estava acostumada com o estilo Jo Nesbo de escrever, apanhei muito, e para piorar, estava lendo no KOBO, o que torna as coisa mais difíceis, já que não é tão fácil você voltar para tentar lembrar quem é aquela personagem. Aprendi a lição: leituras no KOBO merecem um caderno de anotações por perto, torna as coisas mais fáceis!
A história acontece no início da década de 1940, nas trincheiras de Leningrado, no Front Leste, quando uma unidade de soldados noruegueses luta por Hitler contra o avanço do bolchevismo na Rússia, por uma justa causa: uma Noruega livre. Provenientes de diversas camadas sociais, os militares não compartilham política nem motivação. O mais corajoso, Daniel Gudeson, é dado como morto, e seu corpo é deixado em uma vala comum. Dois anos depois, em um hospital militar de Viena, um soldado ferido afirma ser Daniel. O oficial acaba se apaixonando por Helena, uma jovem enfermeira. Quando ele é convocado para combater na Hungria, o casal planeja uma fuga.
1999/2000 - Após ferir acidentalmente um agente do serviço secreto durante a visita do presidente americano à Noruega, o fascinante detetive Harry Hole é transferido para a Polícia Secreta. Nesse novo cargo, ele tem a missão de investigar uma rede de tráfico de armas, provavelmente relacionada a um grupo de antigos e novos nazistas. Uma atribuição trivial, até que rumores sobre uma arma antiga e rara, que teria acabado de entrar no país e poderia cair em mãos perigosas, chamam sua atenção. Enquanto a neve toma as ruas de Oslo, entra em cena um assassino com um objetivo incomum. Quando um ex-soldado é encontrado morto com a garganta cortada, o inspetor e sua parceira Ellen se veem numa caça frenética. A pista levam Harry de volta à guerra, em uma investigação na qual ele tem muito a ganhar e tudo a perder.
Apesar da história ir e vir o tempo todo, o que torna a leitura complexa e difícil, valeu cada segundo das minhas noites mau dormidas... No começo, me arrastei um pouco, estava lendo mais dois outros livros paralelos, acabei todos e só ficou Garganta Vermelha, então resolvi dar uma atenção especial e me arriscar mais. Foi a melhor escolha. Do meio para a  frente o autor torna as coisas um pouco mais fáceis, e daí bastou duas noites e tudo se encaixou!
Foi uma experiência e tanto, mas valeu, e muito!!!
Estou lendo agora Boneco de Neve para meu desafio do mês, e em apenas uma noite li metade do livro, ou seja, amanhã já estará tudo acabado e eu já estou pensando no próximo livro do Jo Nesbo.
Uma excelente opção para quem gosta de perder noites de sono querendo encaixar o quebra-cabeça. Recomendo demais!!!

Cláudia Trigo

4 comentários:

  1. Olá, Cláudia, tudo bem?
    Nunca li Jo Nesbo e te confesso que essa é a primeira vez que vejo alguém falar dele, mas já me encantei. Você recomenda o "Boneco de Neve" para uma primeira leitura? Pelo jeito a narrativa é bem mais fácil.
    Gostei da sua resenha, me deu vontade de ler.

    Vivendo o dark side

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carol, recomendo MUITO "Boneco de Neve" como primeira, segunda, terceira leitura... Jo Nesbo é um escritor sensacional, que consegue com sua história te prender de um jeito que você não quer parar antes de chegar ao final. Vale à pena... Quando ler, passa aqui e me conte o que achou!

      Um abraço

      Excluir
  2. UAU! Eu realmente gosto de coisas difíceis e sua resenha me fez querer muito ler esse cara! kkk....
    Eu não tenho um Kobo,tenho um LEV e olha pretendia ler a obra por meio dele, o bom é q agora eu sei q precisarei d um caderninho base! *--*

    Realmente não conhecia o autor, mas com certeza irei adquirir o ebook! Obrigada pela ótima resenha e dica!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bia, as histórias de Jo Nesbo são sempre demais!!!
      A lição do caderninho foi aprendida e repassada, rsrsrs. As anotações tornam nossas vidas mais fáceis, principalmente quando falamos de Nesbo e seus inúmeros personagens. Num livro convencional vou colando meus post-it e me divertindo, no KOBO não dá, então a saída são meus cadernos - desculpa também para comprar cadernos fofos! rsrsrs.
      Quando conseguir ler passa aqui e me conte como foi essa primeira experiência com Jo Nesbo.

      Um abraço

      Excluir