Menu

domingo, 27 de setembro de 2015

Nasci Em Época Errada, Literalmente!!! - Uma Loja Em Paris


"Tinha visto Paris de fora, graças ao meu gosto por caminhar olhando para as fachadas de lugares a mim inacessíveis - o que poderia fazer? -, imaginado as histórias por trás das janelas daquelas avenidas enormes que não me levam a lugar nenhum, e que agora me tinham como protagonista. Os edifícios sempre me pareciam porta-joias. Eu estava em uma delas. A casa de Coco Chanel era majestosa. Tudo chamava a minha atenção."

Expectativas deixadas de lado, "Uma Loja em Paris", do espanhol Màxim Huerta, Editora Essência, é um livro lindo, com uma história linda e personagens cativantes!
A jovem e rica Teresa Espinosa segue sua vida sem sal e sem graça após a morte de seus pais. Criada sob a rigorosa tutela da tia Brígida, ela se mantém quase reclusa em seu imenso apartamento, em Madri, vivendo das lembranças da mãe e de um amor que sumiu sem deixar rastros e nem despedidas dignas.
Sua história começa a mudar de rumo quando compra uma tabuleta de uma antiga loja de tecidos de Paris, em um antiquário. Ao pendurá-la no escritório de sua casa, Teresa passa a sentir uma estranha presença em sua imensa casa. O rádio começa a tocar sozinho, sempre a mesma música francesa de melodia triste, e ela acredita que a dona da tal loja da placa, Alice Humbert, tem a ver com esses fenômenos.
Decidida a entender esses acontecimentos, Teresa muda para Paris e compra a antiga loja onde há muitas décadas funcionara o comércio de Alice. Na romântica cidade, ela não só irá esclarecer o mistério da loja de tecidos, como também encontrará um sentido para sua vida, antes cinzenta e solitária.
Esse livro é uma verdadeira viagem pelos "anos loucos" da Paris dos anos de 1920, com seus artistas e musas libertárias a festejar pelos bairros boêmios de Montparnasse e Montmartre. Paris de Hemingway, Modigliani, Coco Chanel e Paul Poiret. Paris dos sonhos de todos nós.
É mágico essa viagem que fazemos com "Uma Loja em Paris", você se sente uma nobre parisiense. A história vai decorrendo de uma forma saborosa, onde peças vão aparecendo aleatoriamente e vão se encaixar com perfeição lá no final. São duas histórias paralelas que vão acontecendo - uma atual e outra na boa e velha Paris de 1920 -, você fica alucinado para chegar logo no final, e quando acabou foi uma tristeza terrível porque não teria mais a Paris dos anos 20 para alegrar as minhas noites. E a vontade era de começar tudo de novo.
É uma história de amor, lágrimas, cultura, desafios. É uma história surpreendente, onde valeu cada segundo da minha viagem. No final, tudo faz sentido, e passamos a acreditar que coincidências não são apenas acaso, isso é bem mais do que podemos responder!!
Resumindo: mais um queridinho meu!!!
Divirtam-se na Paris liberal e excitante dos anos 20.
Acho que nasci em época errada!!!
Excelente leitura.
Divirtam-se, afinal, só se vive uma vez - pelo que sabemos e lembramos!

Cláudia Trigo

Nenhum comentário:

Postar um comentário