Menu

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Um Bom Filme Para Tomar Alguns Sustos - A Possessão de Deborah Logan


Pro Mês do Terror, não podia faltar um filme de terror. E hoje trazemos "A Possessão de Deborah Logan" (2014) do diretor Adam Robitel.
O enredo consiste basicamente na história de uma estudante de medicina que está fazendo um trabalho e vai estudar uma senhora, Deborah Logan, que tem Mal de Alzheimer.
O filme é todo feito no estilo Found-Footage (filmes feitos por "câmera caseiras"). A partir disso começamos a ver sintomas que 'talvez' não sejam só por causa do Alzheimer...
O filme em si não é ruim, porém não é dos melhores que já vimos. Ele tem seus pontos positivos e negativos.
Não conhecíamos o elenco, mas teve boas atuações nesse meio. Como por exemplo, a atriz Jil Larson,(Deborah Logan). Ela estava simplesmente magnífica (palavra estranha para usar nesse contexto...). A transformação que ela vai tendo durante o filme por causa de seus demônios é absurdamente brilhante, de dar medo (como eu)!
Outro ponto forte do elenco é a atriz Anne Elizabeth Ramsay, que faz a filha de Deborah, Sarah Logan. A loucura que ela passa por causa de sua mãe transparece de um jeito formidável. De arrepiar! Até parecia que eram mãe e filha na vida real.
Mas, como vários filmes sobre o assunto, também teve vários pontos fracos...
Infelizmente, em contradição às atuações já citas anteriormente, o resto do elenco foi bem fraquinho. A personagem Mia Medina foi interpretada por Michelle Ang, que deveria ser de muita importância para a história, mas que fracassou. Aparece muito pouco e as vezes que aparece não engana. E sem contar a sua equipe técnica, que é totalmente sem expressão, sonso. Não conseguem convencer.
Agora por parte de enredo, tem algumas coisas que pecam. A explicação para a tal possessão é aceita, mas tem seus erros. Na minha concepção, a situação não seria para uma possessão! Além de que algumas explicações ficam meio em aberto.
Por fim, mas não menos importante: os tão conhecidos clichês! Porque esse pessoal NUNCA acende as luzes? Porque eles não fogem dali? Por que não deixam de filmar em situações extremas? Ficam quase que "dando sopa".
Antes de finalizar, quero citar outro filme bem parecido com esse que também assistimos recentemente: O Misterioso Caso de Judith Winstead. Apesar de não dar tanto susto, nem tem uma atmosfera tão temerosa por nós, meros mortais (será?), considero uma história melhor, mais equilibrada.
Quer assistir um filme para se divertir e tomar alguns sustos? Ele está ai.
Quer um filme para analisar a sua complexidade? Melhor procurar outro.

Nos digam se já assistiram e o que acharam!
Que filmes recomendam para a gente neste final do Mês do Terror?

Carol Trigo!
Até a próxima e durmam com os demoninhos (lindos, rsrs)!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário