Menu

sábado, 30 de janeiro de 2016

Feche Bem Os Olhos! - Resenha/Desafio


"Quando conseguiu separar tudo de forma que pudesse começar a trabalhar, eram quase sete da noite. A princípio ele estanhou o fato de o tempo ter passado tão rápido, mas depois não. As horas sempre voavam quando sua mente estava focada e infelizmente ele só atingia esse estado de concentração quando um quebra-cabeça era posto à sua frente. Uma vez Madeleine dissera que sua vida havia se reduzido a um objeto obsessivo: desvendar os mistérios da morte dos outros. Nada mais, nada menos."

Primeiro livro do nosso desafio desse ano. E comecei bem. "Feche Bem os Olhos", de John Verdon, Editora Arqueiro.
Já tinha lido "Eu Sei o Que Você Está Pensando" e tinha ficado bem impressionada com o detetive David Gurney e seus fantasmas, e esse não ficou devendo nada para o primeiro!
"Feche Bem os Olhos", é aquele livro que você imagina milhões de possibilidades, e claro, erra todas.
Quando ocupava o posto de principal investigador de homicídios do Departamento de Polícia de Nova York, David Gurney nunca se sentiu confortável com o rótulo que a imprensa lhe atribuíra: superdetetive. Ele sempre achou que fosse apenas um homem com uma disposição inata para resolver enigmas. Além do próprio mistério, o que mais o incitava a solucionar os crimes era a arrogância dos assassinos, que acreditavam que podiam matar sem deixar um rastro.
Um ano depois de desvendar o caso Mellery (Eu Sei O Que Você Está Pensando), que o tirou da aposentadoria e fez com que quase fosse morto, Gurney está mais uma vez tentando se ajustar ao ritmo bucólico de sua casa no campo quando recebe um telefonema sobre o caso tão sedutor e complexo que é impossível não querer descobrir o que aconteceu.
A história é aterrorizante: uma jovem recém-casada com um famoso psiquiatra foi morta em sua própria festa de casamento. Minutos antes do brinde nupcial, ela teve a cabeça decepada, provavelmente por um facão.
Preocupado com a reação de sua esposa, que prefere que ele mantenha distância de sua antiga profissão, David a princípio não quer nem ouvir os fatos. Porém, logo é arrebatado por uma série de revelações que transformam o assassinato em algo completamente impensável.
Por trás do homicídio pode estar uma das tramas criminosas mais complexas já vistas. À medida que David começa a unir os pontos, é levado a questionar algumas das crenças a seu próprio respeito e vê que sua vida está em crescente perigo.
O livro abre um questionamento do quanto complexo é a perversidade humana, o quanto o mal pode atravessar gerações e continuar numa crescente.
Ele, como no anterior, começa mais devagar e vai crescendo assustadoramente, chegando num momento que você já viaja na história e conclui que está enlouquecendo junto com David. É triste!
Apostei minhas fichas nesse livro e superei minhas expectativas! Valeu à pena.

Cláu Trigo!

4 comentários:

  1. Olá Cláu!
    Ja me conquistou no "imagina milhões de possibilidades e erra todas" adoro livros assim!
    Bjs

    EntreLinhas Fantásticas - SORTEIOS NO BLOG! PARTICIPE :)

    ResponderExcluir
  2. Ola, tudo bem? Vim apresentar a você meu blog, estou inciando novamente neste 'novo mundo' agora, então gostaria de convidar todos a seguir meu blog se puderem, beijão.(eu sdv, só me avisar).
    http://caindoemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Cláu!
    Eu adoro o Verdon! Acho que ele é um dos poucos autores que não decepciona nunca. Esse livro, inclusive, é o meu favorito dele.
    Beijos
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oi, tudo bem?
    Nunca li nada desse autor, mas livros com essa temática de mortes e detetives me chama muito a atenção.
    Beijos, http://lendocomabianca.blogspot.com

    ResponderExcluir