Menu

segunda-feira, 28 de março de 2016

A Casa da Dor - Só Dói Quando Acaba! - Resenha/Desafio


"Vou morrer. E não faz sentido. Não era esse o plano, pelo menos não o meu. Pode ser que eu estivesse a caminho o temo todo sem nunca ter dado conta. Mas o meu plano era outro. Era melhor. Fazia sentido.
Estou olhando fixamente para dentro de um cano de revolver e sei que é de lá que ele virá. O mensageiro. O cocheiro. Tempo para uma última gargalhada. Se você vê a luz no fim do túnel, pode ser a chama de uma arma. Tempo para uma última lágrima. Poderíamos ter feito algo bom dessa vida, você e eu. Se tivéssemos seguido o plano. Um último pensamento. Todos perguntam qual o sentido da vida, mas ninguém pergunta qual o sentido da morte."

Segundo livro do desafio de março, lido!!! E esse foi escolhido a dedo. Sou uma apaixonada pelo norueguês  Jo Nesbo e seu inescrupuloso e fascinante detetive Harry Hole. 
E "A Casa da Dor", Editora Record, não foi diferente. Eu sempre chego nos livros de Jo lotada de expectativas, e surpreendentemente sou presenteada com muito mais!
"A Casa da Dor" nós encontramos o detetive Harry Hole sentindo-se solitário após a viagem da namorada para a Rússia, e aceitando o convite da ex-namorada, Anna, para um jantar. Ele imaginava que seria apenas um encontro inocente, mas a situação sai do controle, e no dia seguinte, Harry acorda com uma ressaca fenomenal e sem qualquer lembrança dos eventos da noite anterior.
Ao chegar ao trabalho, descobre que Anna está morta - foi brutalmente assassinada dentro da própria casa. Confuso, começa a desconfiar de si mesmo, até que o comportamento de seu grande rival, o detetive Waaler, indica que este pode saber a verdade e estar por trás de um complô para incriminá-lo.
Enquanto encabeça a lista de suspeitos do homicídio, Harry é incumbido de investigar uma série de assaltos a bancos em Oslo. As pistas que encontra o levam a crer que os dois crimes estão interligados. Obstinado em desvendar toda informação que puder sobre os casos, ele é levado do frio outonal das ruas de Oslo ao calor lancinante do Brasil, sob a ameaça constante do arqui-inimigo Waaler.
Um livro que não te deixa respirar! Apesar de suas quase 500 páginas li em quatro dias com tranquilidade. Não dá para parar enquanto não se chega ao final, e quando chega... que tristeza, acabou!!! Mas logo tem o próximo.
Até mais e boa leitura!

Cláudia Trigo

Um comentário:

  1. Com certeza me interessei pelo livro, adoro livros policiais desse gênero, já vi falar muito do autor, mas ainda não li nada, nem sabia que os seus livros se encaixavam nessa temática, agora já quero!

    Adorei conhecer seu blog e já estou seguindo!

    Hey! Da uma passadinha lá no meu blog, ele está de cara nova >>>Andy Lima<<<

    ResponderExcluir