Menu

terça-feira, 8 de março de 2016

Top 8 - Estante Feminista


Nesse Dia Internacional da Mulher, nada melhor que presentear nossos observadores com uma seleção de mulheres importantes  na história da literatura e suas personagens fortes e marcantes. Escritoras que acrescentaram muito em nossa luta constante por reconhecimento, direitos e igualdade social. O que seria de nossas vidas sem suas "pinceladas" de luta, dedicação envoltos num cenário romântico?
A literatura estaria mais pobre sem suas histórias...
Mas, elas estão aqui, e vamos à elas!

Virginia Woolf
Nasceu no Reino Unido em 1882 e faleceu 1941 no mesmo país. Virginia foi escritora, ensaísta e editora. Foi conhecida como uma das mais proeminentes figuras do modernismo. Desempenhava um papel de significância dentro da sociedade literária londrina durante o período entre guerras. Teve várias obras publicadas, mas resolvi comentar "Noite e Dia", uma de suas obras que gosto muito e tem duas personagens bem peculiares: Katharine Hilbery e Mary Datchet. Katharine é uma mulher entediada e está noiva de um homem do qual não ama. Mary, ao contrário, mostra a vida alternativa ao casamento - frequentou a universidade numa época que não era tão natural, morava sozinha, se auto sustentava e encontrava sua realização trabalhando no movimento pelos direitos da mulher. Uma era bem segura, a outra independente e forte, personagens marcantes numa época em que a mulher não tinha voz para nada, elas se fazem ouvir.

Jane Austen
Nasceu também no Reino Unido em 1775 e morreu em 1817 no mesmo país. Talvez uma das escritoras inglesas mais conhecidas e de maior importância, Jane Austen começou a escrever desde jovem, aos 17 anos. Seu poder de observação do cotidiano forneceu-lhe material suficiente para dar vida aos personagens de suas obras e por causa disso a crítica considerou-a a primeira romancista moderna da literatura inglesa. Além de ser contrária à época em que viveu, para uma mulher, Jane Austen escreveu romances e personagens incrivelmente fortes. E nosso livro escolhido para essa lista não podia ser menos que "Orgulho e Preconceito", seu segundo romance e o mais conhecido. Nele temos uma das personagens mais fantástica que a literatura já viu: Elizabeth Bennet! Ela sempre está lidando com problemas relacionados à educação, cultura, moral e casamento na sociedade aristocrática do início do século XIX, na Inglaterra. Além é claro de ser uma apaixonada por livros. <3

Emily Brontë
Outra escritora nascida no Reino Unido em 1818 e falecida em 1848 no mesmo país. A mais conhecida das irmãs Brontë atualmente, Emily era escritora e poetista. Das três irmãs, ela é a que se tem menos informações, vivia reclusa e era muito introvertida. Sua obra, "O Morro dos Ventos Uivantes", quando lançado, foi duramente criticado e só veio a ser incluso da lista de clássicos da literatura muito tempo depois. Isso se deve ao fato do romance ter chocado a sociedade inglesa, com uma história de amor que quebrava com todos os estilos da época, debatendo-se com a moral vigente e a moral imposta. Sua obra não debate a moralidade da época, mas a desfaz diante dos sentimentos incontroláveis da mente humana, arrebatada pela falta de razão e pelos impulsos das paixões. O livro quebrou com o retrato literário do seu tempo, fugiu do romantismo estilizado e sucumbiu ao realismo literário puro, desfazendo o momento literário em que foi escrito.

Charlotte Brontë
Irmã mais velha de Emily Brontë, Charlotte nasceu em 1816, no Reino Unido e faleceu em 1855, também no Reino Unido. Charlotte também era escritora e poetista. "Jane Eyre" foi seu primeiro romance escrito sobre o pseudônimo Currer Bell, isso se deve ao fato de ela não querer chamar a atenção como ela própria falou: "A escolha ambígua foi ditada por uma espécie de escrúpulo criterioso segundo o qual assumimos nomes cristãos, claramente masculinos, já que que não gostamos de nos declarar mulheres, uma vez que naquela altura suspeitávamos que a nossa maneira de escrever e o nosso pensamento não eram aqueles que se podem considerar 'femininos'. Tínhamos a vaga impressão de que as escritoras são por vezes olhadas com preconceito e tínhamos reparado como os críticos por vezes as castigam com a arma da personalidade e as recompensam com lisonjas que, na verdade, não são elogios.". O livro retrata a emancipação da mulher e seu espírito. Charlotte através de Jane Eyer (sua personagem principal), prova que as mulheres eram perfeitamente capazes de trabalharem e de terem um vida, independentemente de se casarem ou não. Forte não?!

Simone de Beauvoir
Nasceu na França em 1908 e faleceu no mesmo local em 1986. Simone de Beauvoir é o nome mais importante que temos na nossa luta feminista. Ela foi de um importância gigantesca  na época por lutar a favor dos votos femininos e mesmo hoje, ela continua de suma importância para a continuidade dessa luta. Se hoje temos todos os nossos direitos, muito se deve à ela. E o livro que escolhemos dela foi "O Segundo Sexo" que é o seu livro mais conhecido e talvez o de maior importância por retratar a opressão das mulheres, além de ser um tratado fundamental do feminismo contemporâneo.

Lygia Fagundes Telles
Lygia nasceu em São Paulo, em 1923 e continua viva até hoje, com seus 92 anos. Em 1945 Lygia participa com colegas da Faculdade de uma passeata contra o Estado Novo. Suas participações virão a se repetir durante toda a Ditadura Militar em que vale lembrar, nós mulheres, não tínhamos nenhum direito. O livro escolhido foi o mais conhecido da autora, "As Meninas", em que temos a narração de três personagens femininas em conflito durante a Ditadura. Com esse livro, Lygia leva todos os prêmios de importância do país. Agora, em 2016, ela foi indicada ao Prêmio Nobel da Literatura. Fica aqui a nossa torcida!

Clarice Lispector
Nasceu na Ucrânia em 1920, mas se naturalizou brasileira. Veio a falecer em 1977, no Rio de Janeiro. Começou a escrever numa época em que a literatura brasileira era dominada por uma tendência regionalista, porém ela surge com romances e personagens que contam a dificuldade e a realidade social do país. O livro escolhido para falarmos é "A Paixão Segundo G. H.", onde o enredo trata de uma mulher - G. H -,. que depois de demitir a empregada e tentar limpar o quarto, relata a perda da individualidade após esmagar uma barata na porta de um guarda-roupa.

Isabel Allende
Isabel nasceu no Peru em 1942, mas se naturalizou chilena, sua terra natal. Hoje ela vive nos EUA. Suas obras são marcadas pela ditadura chilena, implantada com um golpe militar em 1973 que derrubou o governo de seu primo, Salvador Allende. Em "Paula", vemos o que ela teve que passar durante esses anos horríveis de Militarismo e por todas as lutas que ela teve que passar para ser o que hoje ela é. Ela mostra que não concordava com muitas das questão daquela sociedade conservadora, e machista. Ela vai contra várias posições da época e isso ela consegue passar para seus personagens, como vemos muito bem no livro que escolhemos: "A Casa dos Espíritos". Esta obra é repleta de personagens femininas fortes e como é um livro quase biográfico, então já imaginamos que muito da própria Isabel Allende está presente ali. Com certeza uma grande mulher, uma grande escritora e uma grande pessoa também!

Que essas mulheres sejam um exemplo para nós e que a nossa luta não acabe por aqui, pois ainda temos muita estrada para percorrer e conquistar.
Gostaram da nossa lista? Que nome colocariam? Digam ai em baixo que ficaremos muito feliz em sabermos.
Carol e Cláudia!

6 comentários:

  1. Olá meninas,
    adorei o post, muito criativo, e a lista é incrível, a meu ver não faltou ninguém, e eu (da lista de vcs), ressalto a importÂncia de Jane Austen para a literatura mundial (ainda mais que estou lendo orgulho e preconceito e adorando).

    Fico por aqui,

    abraços e boas leituras!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Amanda!
      Que bom que gostou. Achamos super importante mostrar e lembrar a importância dessas mulheres para a literatura e para a sociedade.
      Sim, ela foi e ainda é super importante! Que bom que está gostando da leitura, pretendo ler ele ainda esse ano!
      Muito obrigada pela visita!
      Bjss

      Excluir
  2. Respostas
    1. Oi!
      Ótimas escritoras e mulheres, não?!
      Bjss

      Excluir
  3. Amei este post! Descobri muitas coisas sobre autoras que sempre quis ler! Agora quero ainda mais! Não gostei de O Morro dos Ventos Uivantes, nada contra o estilo, mas não me prendi à história. Vou tentar reler em breve para ver se muda esta visão...
    Temos mesmo que exaltar essas mulheres maravilhosas da literatura!
    http://virtualcheckin.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou!
      Era esse o nosso objetivo. Mostrar a importância delas tanto para a literatura quanto para a sociedade da época e de hoje também!
      Vou ser sincera, ainda não li ele. Mas pretendo ler em breve e como ouço muita gente falando muito bem, minhas expectativas estão altas. Quem sabe numa segunda leitura, você não goste?
      Com certeza!
      Fico muito feliz que tenha gostado do post!
      Bjss

      Excluir