Menu

sábado, 18 de junho de 2016

Bellini e a Esfinge e o Amor Platônico! - Resenha/Desafio


"Escutar blues numa tarde ensolarada de domingo em São Paulo (no caso, com o acompanhamento sonoro garantido pelos vizinhos: rádios transmitindo partidas de futebol e televisores apresentando programas de auditório) é como estar a um passo do suicídio. Ainda mais quando se tem, como eu tinha, uma pistola automática ao alcance das mãos.
Um domingo, para mim, era como um longo deserto a ser atravessado".

Cara, AMEI! esse Tony Bellotto escritor! Já conhecia muito bem seu lado músico, afinal, Titãs é parte da minha juventude, e sempre admirei demais seu trabalho, agora tenho mais um motivo para fazer crescer minha admiração: Tony é um grande escritor!
"Bellini e a Esfinge" (Ed. Planeta do Brasil) um livro que todos deveríamos ler. Me absorveu de tal modo que acabei de lê-lo em dois dias. Poderia ter sido menos se não fosse o tal tempo!
Uma leitura fácil, envolvente, bem escrita, principalmente para quem mora em São Paulo (ou conhece bem a cidade) e se identifica com cada canto citado. Poderia me ver andando pelas ruas que o detetive andou, muitos lugares ali conheço bem - já morei na região - e sou capaz de visualizar cada espaço.
Bellini é um narrador inteligente, irônico, perspicaz. Você consegue viajar com ele, rir com ele, angustiar-se como ele. É uma pessoa como eu e você, e facilmente eu poderia sentar do seu lado no ônibus e trocar informações. É muito genial!
A história é tudo, menos previsível. Imaginei mil finais, e errei todos!
Tony nos apresenta algumas perguntas: quem é Ana Cristina Lopes? Por que Camila e Dinéia sumiram? O que deseja Fátima? Por que Fabian segue Pompílio? Quem matou o doutor Rafidjian? Qual o segredo de Beatriz?
As perguntas acumulam-se na cabeça do detetive Remo Bellini enquanto ele percorre o submundo da cidade de São Paulo em busca de respostas. Aos poucos, os mistérios vão se desvendando de forma surpreendente, até que a decifração do enigma final deixa Bellini perplexo, com um gosto horrível na boca.
A história é muito boa, em muitos momentos hilários, outros intrigantes. Vale muito conhecer Bellini e seu mundo peculiar!
Recomendadíssimo.

Cláu Trigo

Nenhum comentário:

Postar um comentário