Menu

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Conto: O Iluminado Às Favas


Hoje, dia que estou escrevendo essa resenha, recebi um e-mail do autor Roberto Camilotti. Ele também tem um blog (Roberto Camilotti), que ele posta seus contos lá. E ele me perguntou se não gostaria de ler um deles e resenhar para vocês. E nós, do "Um Olhar de Estrangeiro", sempre estamos dispostas a ler livros e contos de autores nacionais - desde que nos interesse. Somos grandes incentivadoras da nossa literatura e queremos sempre descobrir histórias novas, que possam nos surpreender e nos conquistar.
E hoje a resenha é do conto "O Iluminado Às Favas". Como o próprio autor me disse no e-mail, ele se trata de uma conversa, um encontro entre um extraterrestre - Paciência - e um mendigo angolano - Desidério - que hoje "vive" no Rio de Janeiro.
Esse breve encontro é interessante, pois temos um ser vindo de outro planeta e um sem teto angolano, que passaram por situações diversas e que têm uma visão diferente da morte, da paz e do destino. Desidério acredita que nasceu destinado ao pior, pois ainda jovem veio com algumas poucas roupas para o Brasil, a fim de conseguir uma vida melhor para ele e seus pais. Porém, nunca conseguiu permanecer em um emprego e por causa disso teve que viver nas ruas. No entanto, a vida "ruim" que ele tinha na sua aldeia em Angola se mostrou não tão ruim assim, perto do que está vivendo hoje - simplesmente por lá tinha, pelo menos, um teto para morar. Segundo ele: "Também não pense que tenho orgulho de ser mendigo e de depender da caridade de estranhos, é que me conformei com a realidade. Nasci para morrer pobre.".
Já o Paciência, um extraterrestre que se teletransporta pela luz, tem uma guerra para combater em sua Terra. E para mim, essa é a melhor parte do conto. Ao afirmar isso, Desidério pergunta o porquê ele não trabalha para a paz e a resposta dele é interessantíssima!

"-Porquê nem sempre a paz é o melhor, o mais sábio a se fazer, o caminho que leva a tempos mais frutíferos. Às vezes, são somente a dor e o sofrimento que fortificam reinos, engrandecem convicções e fundamentam os mais valorosos valores."

É um conto interessante. Apesar de se tratar de extraterrestre, que é algo que já estamos acostumados a ler, o diferencial dele é essa conversa entre os dois, que tem a sua originalidade e pode até ser considerado um diálogo filosófico, por tratar de assuntos que nem sempre tem uma resposta (ou pelo menos certa).
O final é meio aberto e deixa por conta do leitor uma resposta, a sua impressão sobre ele. Tenho a minha. Não tenho certeza se está correta, mas para vocês saberem, terão que ler. E relaxem, vão perder somente alguns minutos. Não é um conto comprido. Deixarei mais abaixo o link para vocês lerem no blog dele - vale muito!
E lembrem-se, eles não são tão estrangeiros por ambos sentirem dor na morte, com o sangue!

Link para o conto: http://robertocamilotti.blogspot.com.br/2016/11/conto-o-iluminado-as-favas.html
Link para a página do autor: https://www.facebook.com/BlogRobertoCamilotti/

Até a próxima e boa leitura!
Carol!!!

Um comentário:

  1. Carol, antes de tudo, obrigado pela resenha.

    Você entendeu o conflito central do conto, sinal de que consegui expressar o que queria dizer. Nem sempre a gente consegue isso, rs, ainda mais quando se ousa ser original.

    De fato, quis dar um certo caráter existencialista, filosófico, ao encontro do extraterrestre com o mendigo e o final foi mesmo aberto com a eterna pergunta que a humanidade se faz desde o seu nascimento: a de que Deus realmente existe.

    A resenha está divulgada nas minhas redes sociais e linkada no meu blog.

    Uma abraço.
    Até.

    ResponderExcluir