Menu

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Canção do Cuco - Resenha


" - Boa escolha. O melhor lugar da casa. - O estranho de bigode de estrela de cinema foi parar ao lado da cadeira, fitando o filme em reverso. - Mas é claro, o melhor jeito de ver as coisas é sempre pelo interior, Surpreenda o mundo pelas costas, pegue-o desprevenido, e então vai vê-lo como realmente é..."

Vocês não fazem ideia de quão ansiosa eu estava para ler esse livro... Quando fizemos os sorteios dos livros que iríamos ler esse ano e saiu ele, fiquei muito feliz!
O primeiro fator que que me despertou interesse no "Canção do Cuco", da inglesa Frances Hardinge, Editora Novo Século, foi a capa. Normalmente não curto muito capa com pessoas, mas essa especificamente eu curti demais (e quem leu, deve ter percebido que nela tem algumas características bem importante para a história/personagem principal). O outro foi a sinopse (que é muito interessante e diferente).
Triss Crescent (a nossa protagonista) tem onze anos e está passando as férias com a sua família fora da cidade. Porém, ela sofre um acidente em que não se lembra de nada e ao despertar, coisas estranhas começam a acontecer. Ela sente uma fome imensa, a ponto de comer as próprias bonecas; ela acorda várias vezes com folhas e terra com gravetos (seria ela, sonâmbula?); objetos inanimados tentavam ataca-la; tesouras eram atraídas por ela; em vez de chorar lágrimas, ela chorava teias de aranha; sua irmã, Pen, passa a ter um medo incontrolável dela, entre várias outras coisas.
Sem saber o porque que essas coisas estavam acontecendo, Triss começa a investigar para descobrir as causas do acidente - que a princípio, é o causador de todas essas estranhezas. O que ela não imaginava era que tinha coisas mais sombrias do que ela achava existir.
A Triss é uma personagem que vai crescendo ao passar da história. Ela vai se descobrindo e isso é bem interessante. Tem alguns momentos que a gente acha ela o máximo e tem uns momentos que dá vontade de bater nela. Para mim, a Triss do começo é bem chatinha, mas até entendo o motivo dela ser - já mais para o meio, ela melhora muito e ai que comecei a gostar dela.
A Pen é uma personagem interessantíssima! A primeira visão que a autora nos passa sobre ela muda completamente durante a narrativa. Para mim, talvez ela seja a melhor personagem. Mas isso vai de gosto. Violet é uma personagem também muito interessante e quando comecei a leitura não achava que iria gostar tanto quanto gostei. No entanto, não irei falar muito dela para não acabar com a leitura de vocês.
A escrita da Frances é boa e os elementos macabros, estranhos e algumas vezes até um pouco assustadores são o diferencial desse livro. "Canção do Cuco" é um livro infanto-juvenil, diferente, único. Enquanto eu lia, me lembrei muito de "Coraline", por também ter esses elementos parecidos. Para quem gostou do livro do Neil Gaiman, tem bastante chance de curtir esse (apesar do "Coraline" ser bem melhor, é mais pelo estilo mesmo.)
Quando comprei ele, esperava algo diferente e o começo não foi aquelas coisas, mas o final é bom. Não me decepcionei, mas também não foi o que eu esperava. Não foi ruim, mas também não foi excelente.

Até a próxima e boa leitura!
Carol!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário