Menu

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Resenha - As Suas Lembranças São Minhas


"Conor é agradável. Sempre apenas agradável. Nunca superanimado. Nunca, na verdade, animado com nada. Apenas agradável, que é somente mais uma palavra para legal. Casal com um homem legal dá  a você um casamento legal, mas nunca algo mais. E legal está OK quando está entre outras coisas, mas jamais quando é apenas isso." 

Acho que vocês já estão acostumados a todo ano ver uma resenha de algum livro da Cecelia Ahern aqui no blog, né? E esse ano, além desse, ainda lerei mais um livro dela, então não cansem, rsrsrs.
Eu AMO essa mulher! Ela escreve super bem e deveria ter mais reconhecimento - pelo menos aqui no Brasil...
Já li 5 livros dela e decidi que iria ler os mais antigos também - aqueles não tão famosos e esse foi o primeiro dessa leva: "As Suas Lembranças São Minhas" Editora Rocco.
Esse é mais um romance, mas é impressionante como ela tem uma capacidade extraordinária de até mesmo nos seus romances, colocar uma mensagem de superação, transmitir momentos difíceis que as pessoas passam no seu dia-a-dia brilhantemente. 
Ela já escreveu sobre a perda de uma pessoa amada e a sua superação; sobre o futuro e as dúvidas que ele traz; como não reparamos no próximo e podemos nos surpreender com elas; sobre não darmos a devida atenção a nós próprios e como isso pode ser prejudicial; e por fim, sobre nos encontrarmos e não mudarmos a nossa personalidade por questões banais como o dinheiro. Nesse ela vai escrever sobre a perda de um filho e quão dramático pode ser essa dor, sobre o quão difícil é ficar grávida para muitas mulheres. Sobre como o divórcio é algo difícil para ambos, mas que muitas vezes ele é necessário!
Apesar de ter romance nele, ele é uma parte bem pequena da história. A história começa com Joyce acordando no hospital logo após perder o seu bebê num acidente nos últimos meses de gravidez, depois de muitos anos tentando ficar grávida. Do outro lado, temos o estadunidense Justin, que depois de se separar da sua esposa, mudou-se para a Irlanda para lecionar arquitetura em uma faculdade de lá. E assim fica próximo da filha, que mora em Londres.
Mas o que une essas duas pessoas tão diferentes? Num dia em que estava na faculdade, uma médica o convence a doar sangue. E então que esse sangue foi o utilizado para salvar a vida de Joyce. Porém, não foi só a vida que esse sangue salvou, mas também mudou a pessoa: antes vegetariana, Joyce agora adquire um gosto inusitado por carne; recita versos em latim de cor, sendo que antes não sabia falar uma palavra dessa língua; e surpreende a todos com um vasto domínio da história da arte e de arquitetura. E a partir daí, a história vai se desenrolar com encontros e desencontros.
Enfim, a história como sempre é muito bem escrita pela Cecelia e é brilhante como todos os outros livros dela. O personagem do Justin algumas é bem chato, mas ele vai melhorando. Na minha opinião, o foco é na Joyce mesmo, e a construção dela é muito interessante.
Achei muito interessante o fato do momento em que ela é salva, ela começar a ter ideias iguais ao do Justin, no mesmo momento. Por exemplo, logo no começo ela decidi cortar o cabelo, e ele também. E então rola o primeiro encontro deles, no cabeleireiro. Essa construção que a Cecelia fez de no momento em que o Justin salva ela, eles constroem uma ligação é MUITO interessante. Ela já me ganhou aí!
Por fim, o final é super bonitinho e perfeito para a história. A Cecelia não fica durante a história criando romance do nada, isso demora para acontecer. E quando acontece é do jeito certo!
Mais um livro dela lido, mais uma história que AMEI. Perfeita! Se você que está lendo esta resenha, ainda não leu nada dela, dê uma chance. Pois ela escreve muito bem! Hoje com certeza, ela é uma das minhas autora preferidas! E preciso ir para Irlanda, para conhecer esse país que parece ser tão bonito.

Até a próxima e boa leitura!
Carol!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário