Menu

terça-feira, 31 de outubro de 2017

A Nona Configuração - Resenha


"Por um tempo fez-se silêncio. Quando Kane falou de novo, sua voz foi um sussurro.
- Não acho que o mal surja da loucura. Acho que a loucura surge do mal".

Fiquei muito interessada no livro "A Nona Configuração", de William Peter Blatty - o mesmo autor de "O Exorcista", Editora Harper Collins.
O livro é curto - um pouco mais de 150 páginas - e flui bem rápido. No começo, me pareceu meia confusa, mas com o andar dos fatos, no final as peças se encaixam e acaba sendo bem interessante. Achei que seria mais um daqueles livros que acabo puta da vida porque é só uma história sem fundamento nenhum. A Nona Configuração vale só pelo desfecho final.
O começo é monótomo e chato, confuso em algumas vezes, mas na reta final toma uma grande proporção.
William Blatty nos conta a história do Centro Dezoito, uma mansão transformada em manicômio para ex-combatentes militares que passam por tratamento psiquiátrico.
Hudson Kane, um psiquiatra e oficial dos fuzileiros navais, é designado pelo Pentágono para diagnosticar o comportamento dos internos e desvendar se tudo não passa de uma farsa para fugirem de suas obrigações militares.
Em meio a jogos psicológicos e conversas aparentemente sem sentido, surgem questões existenciais, como a existência ou não de Deus e o surgimento da vida na Terra, que culminam em uma nova maneira de enxergar e entender o mundo: a nona configuração.
O jovem psiquiatra, porém, perdido no caos dos internos enlouquecidos, se vê face a face com suas próprias incertezas e por fim precisa desvendar o mistério de quem realmente é.
O livro leva um tempo para criar um ritmo e nos sentimos tão loucos quanto seus internos. Mas, como já disse, o final é surpreendente - não estava esperando por aquilo - e tem momentos de reflexão.
Me senti perdida na maioria das vezes, mas o livro é curto e a insistência me levou até o final.
Não dá e nem pode ser comparado ao O Exorcista, mas é um livro que vale pelo seu fim.

Cláu Trigo

8 comentários:

  1. Eita Cláu que demais esse livro menina, adoro tudo que envolva terror, suspense e aquele mistério, ainda mais com essa capa fortemente assustadora, dica anotada com toda certeza.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Oi Cláu,
    Infelizmente esse é um lado do terror que não curto ler. A pegada Exorcista me assusta um pouco.
    Pela sua resenha parece ser um livro ótimo para quem curte o gênero.
    Ainda bem que o final valeu sua insistência.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi Clau, não fiquei muito interessada no livro, mas que bom que gostou, mesmo com o início confuso e monótono.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  4. Oiii Clau

    Esse começo mais monótono me deixa com o pé atrás, mesmo sabendo que a evolução depois fluiu bem.... Não sei, por enquanto deixarei a dica passar.

    Beijos

    aliceandthebooks.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Olá tudo bem?
    Gostei da resenha, mas esse autor não me conquistou, li O Exorcista e não gostei da escrita desse autor, então acredito que não vá mais ler nada dele, que bom que gostou :)
    Beijus

    ResponderExcluir
  6. Olá, adoro livro que tem essa pegada psicológica, e apesar de não conhecer a obra ela me agradou, e eu juro que não é por ser do autor de O Exorcista kkkk. Bjs

    ResponderExcluir
  7. Eu já li o Exorcista, gosto do estilo de escrita do autor, adoraria ler esse livro, porque também curto muito o gênero, excelente resenha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bom?
    Eu tenho muita vontade de tirar o pé da fantasia e explorar mais outros gêneros e o desse livro é o que mais tenho vontade de conhecer. Adorei a dica, só fiquei um pouco receoso quanto a ele ser monótono no começo, mas quem sabe eu leia um dia. Adorei a resenha.
    Até mais o/

    ResponderExcluir