Menu

quarta-feira, 20 de junho de 2018

Resenha Atrasada - A Confissão


"Procurei relaxar, afinal de contas que mal havia em estar perdido à noite numa cidade desconhecida? As cidades foram feitas para isso mesmo, para a gente se perder, a não ser que sejam cidadezinhas, o que absolutamente não era o caso, as cidades grandes existem apenas com esse objetivo: nos mostrar que somos frágeis, que nossas referências são relativas, portanto o melhor que pode acontecer a um turista é se perder nas ruas de uma cidade grande, não é?"

"A Confissão", de Flávio Carneiro, Ed. Rocco, foi um grande achado e entrou na minha lista de melhores livros de 2017...
Para começar, tem uma capa linda, limpa, sugestiva. Adoro a forma crua que foi criada!
Não conhecia nem o autor e nem o livro, e fui surpreendida com a forma peculiar e envolvente que o Flávio escreve.
Desde o primeiro parágrafo até o último ponto, o livro vai nos contando o inusitado, nos intrigando de uma forma difícil de entender.
O livro nos conta sobre o sequestro de uma mulher, mas na verdade isso é o menos importante. Não que ela não seja importante para o desfecho, mas porque a história que o sequestrador vai nos contar é muito maior que tudo.
É o conjunto de todas as emoções envolvidas que vai tornar o todo algo para se pensar, questionar, e no final, para muitos, pode vir a ser indigesto.
O autor vai nos confundindo o tempo todo com suas histórias, vai variando entre a linha tênue que separa a insanidade da loucura, a realidade da fantasia.
O narrador-sequestrador anônimo é uma incógnita para todos nós, e na maioria das vezes me vi envolvida na sua paranoia, presa num labirinto onde todas as vezes que achava que tinha encontrado o desfecho, descobria que era um grande engano. A cada história que se acaba de contar, descobrimos que era apenas a porta de entrada para a seguinte.
Na verdade, fazemos parte desse sequestro e vivemos a loucura nua e crua de um cara sedutor, obsessivo, atormentado. Não dá para falar muito, senão acabarei contando demais, mas cada história narrada aqui, vai desencadear uma onda de interrogações, e tudo o que você imaginou, esquece! Não é nada daquilo...
E o final... corre lá para ler! Caí das pernas. Que livro mais fascinante foi esse! Além de fazer parte dos meus preferidos, vai ser lido e relido inúmeras vezes, porque vale cada segundo gasto de leitura e descobertas.
Amo quando isso acontece, e recomendo demais.

Cláu Trigo!

9 comentários:

  1. Fiquei curiosa com a leitura.
    A história do sequestro, porém o sequestrador tem mais o que contar, que interessante.
    Adoro esse tipo de achado, nos deixa animado né ♥

    ResponderExcluir
  2. Oi, tudo bem?
    Fico feliz que a leitura foi positiva para você!
    Confesso que quando vi a capa do livro não me interessei, mas ao longo da resenha achei a história muito curiosa.
    A premissa de uma narrativa feita pelo sequestrador me deixa intrigada e tensa ao mesmo tempo, deve ser inovador.
    Obrigada pela dica, adorei o quote e pretendo ler!

    beijos - Anne and Cia.

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem? Gostei do seu estilo de resenhar, é bem diferente. A história em si não me chamou atenção, por isso vou deixar passar a indicação. Eu prefiro ler livros de romance, mais levinhos e divertidos haha <3
    Beijos
    https://porvarioslugares.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Realmente a capa é bem crua mais de fato é bem interessante. Além do mais, percebi que a maneira como o autor narra é bem peculiar e diferente. Achei diferente quando você disse que o sequestro não é o importante (apesar da personagem ser) e sim a história contada pelo sequestrador. Sem falar que essa mistura de realidade e insanidade deve deixar o leitor com a cabeça do avesso, não é? Enfim, já deixei marcado esse livro no Skoob. Espero gostar também.


    Beijos
    http://ventoliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia, parece ser bem interessante. Gostei da sua resenha :)

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Oi Cláu tudo bem? Gostei do enredo, gosto dessa confusão e quando você pensa que está chegando perto dá uma reviravolta na história, fascinante e contado pelo sequestrador, me deixou intrigada sobre o desfecho, dica anotada. Parabéns pela resenha, obrigado pela dica, bjs!

    ResponderExcluir
  7. Eu não gostei da capa. Todavia, fiquei interessada no livro pela forma como você falou dele. Embora ame suspenses, não costumo apreciar muito ficar na cabeça do vilão.rsrs Têm vezes que é instigante, mas existem momentos em que é simplesmente insuportável. Me lembrei aqui de um livro que li certa vez, mas não cheguei ao seu final. Era narrado por um completo doido, um obcecado assassino, que construía na mente uma situação na qual todas as suas vítimas eram as culpadas pelo que ele fazia com elas. Nossa! Por mais apaixonada por suspenses que eu seja aquele livro não desceu. Precisei abandonar.kkkkkkk...

    ResponderExcluir
  8. Olá, que bom saber que esse livro lhe agradou tanto. Achei interessante isso de o narrador sequestrador conseguir nos fazer ter vários sentimentos durante a leitura. Certamente lerei quando puder.

    petalasdeliberdade.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Oi Claudia, como está?
    A capa de fato não me chamaria nenhuma atenção, mas essa resenha me deixou MUITO curiosa com relação a esse livro. Um sequestro que não é importante para a trama, mas a vítima o é e não sabemos qual é a intenção real dele. Eita!
    Abraços e beijos da Lady Trotsky...
    http://www.galaxiadeideias.com/
    http://osvampirosportenhos.blogspot.com

    ResponderExcluir