Menu

quarta-feira, 1 de agosto de 2018

Resenha Atrasada - Os 13 Porquês


"Naquele exato momento, dentro da secretária, ao me conscientizar de que ninguém sabia a verdade a respeito da minha vida, meus pensamentos sobre o mundo ficaram abalados.
Como se estivessem dirigindo por uma estrada acidentada e perdendo o controle do volante, sendo jogada - só um pouquinho - para fora da pista. As rodas levantam poeira, mas você consegue puxar o carro de volta. Mesmo assim, não importa que esteja segurando bem firme no volante, não importa o quão esteja se esforçando para me tentar guiar em linha reta, algo fica empurrando você para o lado. Você já não tem quase mais nenhum controle sobre nada. E, a certa altura, a luta se torna excessiva - cansativa demais - e você considera a possibilidade de largar tudo. De deixar acontecer uma tragédia... ou seja lá o que for."

"Os 13 Porquês", de Jay Asher, Ed. Ática, foi uma navio à deriva em minha vida. Capa linda! História BEM ok!!!
Você ouve tantos elogios, tanto marketing à respeito, e depois das primeiras páginas se vê rolando ladeira abaixo. É tudo uma montanha-russa de altos e baixos.
A história de uma garota que se matou e deixou gravada em 13 fitas cassetes para 13 pessoas que "supostamente" teriam relação com seu suicídio foi, no mínimo, assustador.
O que a levou ao fim foi muito maior que o bullying sofrido, estamos falando de uma mente doente, deprimida, que precisava de socorro e não foi atendida.
A ideia do olhar mais sensível sobre uma doença que vem sendo o grande mal do século é sem dúvida, elogiável, mas precisamos muito mais do que uma simples atenção, é preciso ajuda - e rápido!
Essa divisão de responsabilidade não cabe na discussão. Muitos dos "porquês" são ilegíveis, distorcidos, mascarados. Me parece mais que o autor gostava do número treze e precisou encontrar 13 porquês, e foi inventando situações e ações aleatoriamente, que eram pouco justificáveis, não cabiam no texto e se perderam na história.
Uma história clichê que poderia ter uma caminho diferenciado, no entanto se tornou uma leitura desconstruída, muitas vezes sem direção, totalmente descabida dos "porquês".
Não há elo, não dá liga. Não gostei. Um assunto tão trabalhado em tempos que o mundo está doente, sofrendo de uma depressão crônica, o autor não conseguiu sustentar a história, na verdade, a impressão que tenho é que ele tinha em mente o número 13, e queria usá-lo, só que não deu muito certo. As histórias contadas, na maior parte do tempo não se encaixam, não casam, ficam com as pontas soltas.
A única coisa que ele acertou foi no grau de dificuldade das pessoas que estão em volta de pacientes com depressão enxergarem a doença sem desmerece-la, intitulam de "frescura", falta do que fazer, entre outras desculpas. Nas inúmeras vezes, não conseguimos salvá-las de seus próprios fantasmas. Isso ele acertou em cheio. Tirando isso, o livro foi uma decepção total.

Cláu Trigo!

12 comentários:

  1. Oii, tudo bem?
    Eu comprei o livro em inglês, mas ele ser narrado pelo Clay me desanimou, e larguei o livro pela metade (não pretendo retomar a leitura). Muita gente elogia a série, tentei assistir, mas achei muito cansativa. Essa história também não rolou para mim.

    Beijinhos!!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Cláu!
    Que pena que você não gostou do livro =/ Acho que funciona com algumas pessoas - e depende também do momento em que cada um está quando a lê. Li Os 13 Porquês quando era adolescente e a história me marcou muito, reli quando a série foi lançada e para mim ela continua tendo muitos pontos positivos :)
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Olá, Cláu!

    Já ouvi falar muito do livro e da série de TV, mas apesar de serem válidos por tocarem num tema tabu, por chamarem a atenção para algo muito importante e assim fazer as pessoas estarem mais conscientes... apesar de tudo o que o livro e a série possam ter de positivo, não tenho a menor intenção de ler/assistir. Não é uma história para mim. Acredito que me faria muito mal.

    Lamento que o livro tenha te decepcionado. Já li muitas resenhas sobre ele e sei que não funciona para todo mundo. Às pessoas ficam bem divididas com relação ao livro. Acho que a maioria gostou mais da série de TV.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Esse livro me faz revirar os olhos, eu acho os assuntos abordados tão sérios e tratados com tanto descaso! Tudo me parece futil, mal trabalhado ou trabalhado de maneira errônea, isso nao se faz. Não é uma leitura válida pra mim, infelizmente.

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bem?
    Eu confesso que nunca tive a menor curiosidade de ler esse livro. Ele traz um assunto muito sério, mas que já no título demonstra que foi abordado de maneira leviana pelo autor. É muito complicado atribuir culpados ou por quês para uma pessoa cometer suicídio, e me pareceu que a abordagem do autor foi muito superficial e simplista. Apesar de concordar que é importante mostrar que muitas pessoas ainda enxergam a depressão como frescura, acredito que a leitura não vale a pena.
    De qualquer forma, adorei a sinceridade da sua resenha e, mesmo que eu já não tivesse interesse em ler o livro, lamento que você tenha se decepcionado.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Li esse livro antes mesmo de ter qualquer referência a seriado. Na época gostei bastante do desenrolar e me vi presa ao enredo por causa das fitas.
    Não é uma leitura fluida, mas gostei muito de trazer uma abordagem que traz bastante reflexões.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  7. Oi, Clau! Esse livro na verdade é um dos precursores sobre o assunto, já que foi publicado tem alguns anos. Eu não cheguei a ler, mas lembro de uma amiga que resenhou. Eu acho que talvez o autor não tenha tratado a questão da depressão como vc pensou que deveria, por ele mesmo ignorar como tratar melhor desse assunto. Se ele fosse reescrever essa história, acredito que faria muito diferente. Não sei se ainda lerei esse livro, assisti a primeira temporada da série, mas nem cheguei perto da segunda. Quem sabe eu reconsidere tanto para o livro quanto para a série.
    Bjs
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  8. Olá, nossa acredito que é a primeira vez que vejo alguém não gostar desse livro, mas o mais importante é que eu gostei muito das suas colocações. Achei bem interessante.

    Infelizmente, não posso opinar sobre essa obra, pois nao posso ler nada relacionado ao tema abordado, mas adorei a sua resenha.

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Olá, que pena que você não curtiu tanto a leitura. Eu li ele há alguns anos, bem antes da série, e por isso provavelmente minhas expectativas eram diferentes das expectativas que você tinha. Eu gostei bastante da história, dos personagens, da escrita do autor, da mensagem sobre prestar atenção nas consequências de suas ações.

    ResponderExcluir
  10. Oi.

    Depois de ver o fiasco da série de TV, decidi ler e também achei bem OK. É um livro interessante, mas não se sustenta, tem muitos furos. Acho que os elogios não são válidos em relação a ele. Parabéns pela resenha!

    beijos!

    ResponderExcluir
  11. Eu li este livro em 2014 e na época achei essa coisa das fitas original, mas ao mesmo tempo, achei a Hannah muito egoísta e os temas abordados bem pouco desenvolvidos. Como você mesmo disse, não deu liga.
    beijos

    ResponderExcluir
  12. Olá
    Eu li o livro assim que ele foi lançado, na época foi algo maravilhoso para mim , pois era tudo muito original. Algumas coisas para mim não fazia tanto sentido e as vezes realmente achava que tinha perdido algo no enredo por que em certos momentos eu ficava a deriva, mas mesmo assim foi uma leitura gratificante para mim. Fico triste que de forma geral o livro não tenha te agradado tanto.

    beijos.

    ResponderExcluir