Resenha: O Teste (Livro 1)

Título: O Teste
Autor: Joelle Charbonneau
Editora: Única
Páginas: 318
Ano: 2014
Onde Comprar: Amazon
Sinopse: No dia de formatura de Malencia ‘Cia’ Vale e dos jovens da Colônia Cinco Lagos, tudo o que ela consegue imaginar – e esperar – é ser escolhida para O Teste, um programa elaborado pela Comunidade das Nações Unificadas, que seleciona os melhores e mais brilhantes recém-formados para que se tornem líderes na demorada reconstrução do mundo pós-guerra. Ela sabe que é um caminho árduo, mas existe pouca informação a respeito dessa seleção. Então, ela é finalmente escolhida e seu pai, que também havia participado da seleção, se mostra preocupado. Desconfiada de seu futuro, ela corajosamente segue para longe dos amigos e da família, talvez para sempre. O perigo e o terror a aguardam.

Tomas diz que sim, mas ele diria qualquer coisa para evitar que eu desista. Engraçado, mas desistir é a ultima coia que eu faria. Não depois de tudo o que testemunhamos e as coisas que fomos forçados a fazer. Desistir seria como admitir que nada importou. E precisa importar. Precisa ser lembrado."

Ano passado, eu li três distopias: duas nacionais e uma americana. Dessas, só a gringa que eu não gostei. As duas brasileiras foram excelentes. Mas por ser um gênero que nos últimos anos foi ficando desgastado, eu acabei cansando um pouco dos livros, pois lia muita coisa parecida.
No entanto, estava com o box da trilogia O Teste parado aqui em casa e precisava saber se ia gostar ou não, para ou mantê-lo ou tira-lo da estante. Sinceramente, estava torcendo para eu não gostar dos livros, pois preciso de espaço, mas não foi o que aconteceu, rsrs.
Venham saber o que eu gostei neste primeiro volume.
Todos os três livros são narrados por Malencia Vale, mais conhecida como Cia, uma jovem garota que mora na Colônia Cinco Lagos e está prestes a se formar na escola. O sonho de Cia é ser escolhida para O Teste, um programa criado pela Comunidade das Nações Unificadas para selecionarem os melhores recém-formados afim de se tornarem líderes competentes para a reconstrução do mundo após a guerra.
Por não terem muitas informações a respeito do Teste, quando Cia é finalmente escolhida, ela fica extremamente feliz, até que seu pai - que também participou da seleção - se mostra preocupado. Agora desconfiada, Cia se distancia da sua família e dos seus amigos e irá enfrentar o tão esperado Teste.
A história não é das mais originais, mas a escrita da autora é muito dinâmica e nós sentimos o medo de um governo ou de lideranças que não são o que parecem ser.
Quando os desafios do Teste começa, na hora me lembrei dos desafios da série da Netflix, 3%. Não sei se vocês já assistiram (e inclusive, recomendo para quem não viu ainda), mas na primeira temporada os personagens têm que passar por diversos desafios, aonde o raciocínio, a inteligência, a força, as relações interpessoais eram testadas. Aqui nesse livro - e vai acabar aparecendo nos outros dois - os personagens também precisam passar por desafios que testem as suas habilidades. E para mim, foi super legal ler todos os desafios e como os personagens conseguiam ou não passar. A autora já me ganhou ali.
Esse primeiro livro é basicamente a Cia tentando passar por esses desafios. Os problemas com a Comunidade começam a aparecer mais para o final do livro, o que me deixou bem ansiosa para o segundo volume, que em breve já deve sair a resenha, pois já os três livros.
 Portanto, foi uma grata surpresa essa leitura, pois não dava muito e me diverti muito. Só tive um problema com essa edição: os diversos erros de digitação, revisão e gramatical. Sério, a editora deveria lançar uma nova tiragem com uma melhor revisão - e não só desse, os outros dois também estão lotados de erros. Isso acabou atrapalhando um pouco a leitura, mas felizmente, a eu gostei tanto da história que eu meio que relevei.

Até a próxima e boa leitura!

10 comentários

  1. Olá, tudo bem? Não costumo ler livros do gênero, mas essa triologia, pelo o que tu disse, parece ser muito bacana. Adorei a resenha e dica, fiquei louca para ler!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  2. Olá...
    Adorei sua resenha!
    É tão bom quando o livro se torna uma grata surpresa, né? Gostei de seus comentários a respeito do livro e fiquei interessada em ler também.
    Bjo

    ResponderExcluir
  3. Oie amore,

    Primeiro devo elogiar o blog que está lindo demais!!!
    Quanto ao livro não conhecia ainda, quando olhei a capa me remeteu a algo de super heróis sei lá, passaria despercebido por mim numa compra.
    Gosto um pouco de distopia, não é meu gênero predileto, mas curto.
    Espero me surpreender ao ler também, porque anotei a dica por aqui!

    Beijokas!
    www.facesdeumacapa.com.br

    ResponderExcluir
  4. Que delicia quando a expectativa com um livro é baixa e somos surpreendidos né? Já quero ter a mesma experiencia que você.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia a obra, mas ela parece ser uma leitura intensa e surpreendente, confesso que aguçou demais minha curiosidade. Anotada a dica.

    ResponderExcluir
  6. Olá!

    Eu namoro esse livro a um tempo, mas fiquei cansada de distopia e deixei para lá. Adorei saber que a história te agradou e superou suas expectativas, vou considerar fazer a leitura no ano que vem, se eu fizer tomara que goste como você. Obrigada pela dica.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi, Carolina.
    Li essa trilogia na época em que ela foi lançada e gostei bastante.
    Acho a ideia inteligente e a construção toda da história me agradou.
    Só achei estranho você comentar sobre os inúmeros erros... Acho que minhas edições são diferentes da sua... Estranho!
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem? É realmente complicado quando há certo desleixo em relação à edição porque não é nem querer ser chata, mas isso realmente compromete a leitura, por melhor que ela seja, li essa obra e as minhas ressalvas também foram em torno disso.

    ResponderExcluir
  9. Eu gosto de distopias. E embora tenha lido algumas esse ano, o tema não está tão frequente nas minhas TBRs.
    Agora, que pena que pecaram na revisão, hein? Eu tenho muito problemas com livros que nos chegam cheio de erros...
    Grande abraço e ótimas leituras pra ti.

    Carol, do Coisas de Mineira

    ResponderExcluir
  10. Eu me lembro quando essa trilogia estava sendo lançada e que fez bastante sucesso, mas nunca me interessei muito. Acho que li tantas distopias, e detestei o final de todas, que simplesmente não consigo apostar em mais nenhuma. A revisão também seria um grande problema para mim, acho que tudo bem passar alguns erros, mas um livro cheio deles e dentro de um gênero que eu não curto tanto é a receita recerta para eu abandonar uma leitura

    ResponderExcluir