Resenha: A Torre

Título: A Torre (Livro 1)
Autor(a): Daniel O'Malley
Editora: Leya
Páginas: 432
Ano: 2016
Onde Comprar: Amazon
Sinopse: Querida Você, o corpo que está usando costumava ser meu. Assim começa a carta que acabou de encontrar no bolso do casaco. Encharcada pela tempestade que cai sobre o parque, ela ainda não sabe por que está cercada de cadáveres. Muito menos por que todos usam luvas de látex. Sem escolha, ela decide seguir as orientações deixadas na carta e encontra outras duas. Uma leva a outra e a mais outra, e assim ela descobre seu nome: Myfanwy Thomas. E ainda que é uma Torre - uma agente secreta de alto escalão que trabalha para uma organização do Império Britânico responsável por combater eventos sobrenaturais. Mas há um traidor nessa organização. Alguém que a quer ver morta. E que logo perceberá que Myfanwy ainda está viva. E sem memória.


Querida Você,
O corpo que está usando costumava ser meu. A cicatriz no lado interno da coxa esquerda está aí porque eu caí de uma árvore e empalei minha perna aos nove anos. A obturação no dente do fundo, do lado superior esquerdo, é resultado de eu ter evitado o dentista por quatro anos. Mas, provavelmente, você pouco se importa com o passado desse corpo. Afinal, estou escrevendo esta carta para que você leia no futuro. Talvez se pergunte por que alguém faria uma coisa dessas. A resposta é simples e complicada. Simples porque eu sabia que seria necessário. E complicada pois pode levar bastante tempo."

Eu comprei esse livro a alguns anos atrás e apesar da sinopse super interessante, não fazia ideia do que esperar da história. Nunca tinha visto outra pessoa lendo ele, e portanto, falando dele e não conhecia o autor. Fui totalmente sem informação nenhuma e que grata surpresa tive.
O livro começa com uma personagem - que não sabemos quem é -, totalmente perdida no meio da rua, sem memória, toda molhada por causa da chuva que está caindo e rodeada de cadáveres. A única coisa que ela sabe é por causa de uma carta que ela encontra no seu casaco escrita por ela mesma para ela mesma. Confuso não? Foi assim que fiquei pelo menos nos primeiros capítulos.
A questão é que a "dona" do corpo era Myfanwy Thomas, uma Torre: uma agente secreta de alto escalão que trabalha para uma organização do Império Britânico responsável por combater eventos sobrenaturais.
No entanto, existe um traidor na organização que quer Myfanwy morta e que foi responsável pela perda de memória da dona. Agora, a pessoa que está no corpo precisa sobreviver, entender como que funciona os seus poderes e o seu trabalho, além de descobrir quem que ela era.
A mesma confusão que a protagonista está sentido nós temos durante o livro todo. Não sabemos quem são aqueles pessoas, o que é essa agência secreta, quais são os poderes de cada um e como funcionam. Mas tudo isso só faz a gente ficar mais interessado na história. Esse foi o primeiro ponto que me prendeu, pois a cada página eu queria saber o que viria a acontecer.
Segundo que, tanto a Myfanwy "antiga", que conhecemos a partir das cartas que permeiam o livro todo, como a "nova" Myfanwy são personagens excelentes. É bem nítido a diferença de personalidade das duas e cada uma é bem única.Outras duas personagens que me conquistaram logo de cara foram a secretária da Thomas, Ingrid e Shantay, Bispo da agência norte-americana. Inclusive, sobre essa segunda, senti uma aproximação diferente e até achei que elas poderiam ter uma relacionamento amoroso. Deviam, pois elas têm muita química, mas infelizmente não rolou...
Para terminar, houve dois fatores que me fizeram não dar cinco estrelas no Skoob. Uma foi a lentidão em alguns momentos, principalmente quando tinha cartas muito longas sobre como funcionava a agência. Algumas vezes cansava. A outra nem é culpa da história e sim da Leya, que não publicou a continuação, e duvido que vá. A editora já não está na melhor condição financeira e já está abrindo mão de autores que vendem bem mais do que esse. O segundo volume (Stiletto) saiu em 2016 lá nos EUA, então duvido que a continuação seja publicada aqui no Brasil, infelizmente.
Foi difícil transmitir e comentar a grata surpresa que tive com essa história. Com uma trama envolvente, personagens muito bem construídos (e que conquistam a gente muito rápido) e reviravoltas atrás de reviravoltas, A Torre foi o livro mais inesperado que li esse ano.

Vocês conhecem o livro? Já leram? Comentem ai embaixo!

Até a próxima e boa leitura!

Um comentário

  1. Olá, tudo bem? Realmente, parece que nunca ouvir falar do livro, mas bem que fez a resenha dele para que agora possa conhecer! Uma pena que a editora realmente não deve trazer sua continuação pois fiquei curiosa. Como tenho cortado séries em que sei que os próximos não serão lançados por aqui, espero que alguma outra editora pegue o mesmo para que assim eu conheça. Ótima resenha!
    Beijos

    ResponderExcluir