Menu

sábado, 13 de setembro de 2014

Resenha - Eu Sei O Que Você Está Pensando


"Se alguém lhe pedisse para pensar em um número, sei em que número você pensaria. Não acredita? Pense em qualquer número de um à mil. Agora veja como conheço seus segredos."
 "Agora sabia exatamente o que as palavras significavam. Era de uma simplicidade arrepiante: Pela vida que você tirou,você dará a sua vida. O que você fez será feito com você."


 Já pensou se alguém, que você não conhece, descobre o que você está pensando? Horrível, não? Principalmente de for um número, que é ainda mais difícil. E nesse livro vamos descobrir que nosso suspeito tem essa capacidade. Só não se engane, pois não é um livro de poderes telepáticos... é somente um assassino, mas a questão é: como ele conseguiu fazer isso?
 Quando o personagem Mark Mellery recebe uma carta de um desconhecido pedindo para pensar em número, ele faz o mais óbvio, pensa no número 658, e ao abrir a outra carta, descobre que o autor dela previu corretamente.
 Desesperado, ele vai pedir ajuda a um velho amigo, o detetive aposentado David Gurney. Com o apelido "superdetetive", recebido da imprensa, David vai achar um vilão à sua altura. Com pistas sem sentido, Gurney, aceita o trabalho como consultor na investigação, coloca sua vida em risco, junto com seu casamento.
 Só li, por enquanto, este livro do John Verdon. Mas sua escrita me cativou, apesar do começo relativamente devagar. E por causa disso, pretendo ler seus outros livros.
 O personagem principal (David Gurney), me conquistou rapidamente, por que além de sua mente brilhante, que consegue ver coisas que outros policiais não conseguem, ele tem vários problemas em seu casamento, alguns segredos, que a todo instante você que saber qual é, e vários sentimentos de culpa, por vários motivos. Sua esposa é uma pessoa interessante de se ver, pois ela a todo instante quer que seu marido deixe o trabalho que pegou, mas ao fazerem perguntas sobre o caso, ela sempre tem um outro ponto de vista, que nunca ninguém vê.
 Outra coisa que me encantou, além do título (que vamos concordar, chama a atenção de qualquer um), foi a capa. Só olhando ela, sem ter lido o livro, já é uma coisa de outro mundo, mas ao lê-lo, percebe-se que tem uma gigantesca importância e relação com todo o desenrolar da história.
 Então só posso dizer uma única coisa, li, aprovei, e indico sem nem pensar duas vezes, e pode ter certeza que vou descobrir o que você vai pensar no final... rsrsrs.
 E você, já leu ele? Gostou? Leu algum outro livro da coleção do detetive Gurney? Tem algum outro para recomendar? Fala aqui no comentário, que vamos ficar muito feliz de lê-lo. Não esqueçam de se inscrever, e compartilhar com os amigos, é de imensa ajuda!
 Hoje fico por aqui, boa leitura!

Carol!

domingo, 7 de setembro de 2014

Jogos Vorazes X Divergente

Já ouvi falarem muita bobagem a respeito de Divergente, que é uma cópia de Jogos Vorazes, etc, etc, e tal. Tudo baboseiras. Sei disso por que li as duas trilogias, e a principio pode até parecer, mas pode ter certeza que são histórias completamente diferentes.
Então decidi escrever esse texto para mostrar suas diferenças, tanto nos livros quanto nos filmes. Vamos parar de enrolação e ir ao que interessa.
Apesar de ambos serem uma trilogia e distopias, são enredos diferentes. Começamos com Jogos Vorazes. Foi lançado primeiro que a saga de Veronica Roth, e de seus três livros, o meu preferido é o Em Chamas, talvez por ter mais ação, ou não. O terceiro talvez seja um pouco mais triste, mas não concordo com o final. Sou estranha, eu sei. Uma coisa que talvez tenha me incomodado, seja que todos os livros são só focados na Katniss, a personagem principal. Diferente de Divergente que desde o primeiro já começa cheio de ação, e adoro livros assim. E o primeiro e segundo livros de Roth, também são só focados na personagem principal, Tris. Mas no último, já temos capítulos divididos entre ela e Quatro (ou Tobias), e achei isso fantástico. Entre os livros, gosto mais da distopia lançada mais recentemente, ou seja, o da Veronica.
Mas em relação aos filmes, minha opinião já muda, pois Hunger Games já teve dois filmes lançados, e agora no final do ano teremos a primeira parte do ultimo filme. E posso garantir para quem não leu, que os filmes não tiraram absolutamente nada. Os filmes são perfeitos, e as atuações brilhantes. e com Divergente é diferente. Temos só o primeiro lançado até agora. O trailer do segundo sai agora no final do ano, e o filme já não é tão bom. Deixaram várias coisas em branco, sem uma explicação muito boa. Ambos terão seus últimos filmes divididos em duas partes. Fazem qualquer coisa para ganhar dinheiro!
Em questão às personagens, gosto das duas, mas vou puxar mais saco da Tris, pois gosto mais de suas características. Já os personagens masculinos... Sou time Gale. Sem dúvida. Acho o Peeta muito lerdo, não consegue fazer nada sozinho. Isso me deixa com muita raiva dele. Já o Tobias (Quatro), AMO ele. Não tem outra palavra para caracterizar ele, se não perfeição. Só tenho isso a dizer.
Focando agora nos atores... Já faz um tempo que Jennifer Lawrence está nos holofotes de Hollywood, e gosto muito dela. E não foi só depois que saiu os filmes, pois já tinha assistidos filmes menos conhecidos dela, antes de ficar famosa, e já gostava dela. Acho ela uma figura. Já os homens, gosto tanto do Josh Hutcherson quanto do Liam Hemsworth, também antes dos filmes. Bons atores, quem nunca assistiu ABC do Amor, ou Ponte para Terabítia, filmes maravilhosos, principalmente esse ultimo. A Shailene Woodley, só fui conhecer ela agora, nesse filme e na Culpa é das Estrelas, que já falamos aqui dele. Gosto dela, mas como atriz acho que tem algumas coisas ainda a aprender. Já como pessoa, acho muito inteligente, com opiniões fortíssimas. O Theo James, não tenho muito o que falar, seu primeiro filme! Mas que foi com uma brilhante atuação.
E por último, mas não menos importante, as autoras desses livros fantásticos. A Suzanne Collins (JV), não é muito de aparecer nas redes sociais, e talvez por isso, para mim, apareça meio arrogante. A Veronica Roth já é mais de aparecer a todo momento, falando com seus fãs e sobre suas idéias. Isso faz com que seus leitores se aproximem mais, gostem mais dela.
Enfim. apesar de gostar um pouco mais de Divergente, não que dizer q JV é ruim, ou qualquer outra coisa. Todos são muito bons, e para quem ainda não leu, leia os dois, vale apena.
Para finalizar, enredos parecidos, histórias diferentes. Não confundam as coisas.
E você, já leu algum, gostou, o que acha? Comenta aqui para sabermos suas opiniões.

Carol

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Resenha - Boneco de Neve


“Em breve virá a primeira neve. E então ele aparecerá outra vez. O boneco de neve. E, quando a neve sumir, ele terá levado alguém consigo. O que deve perguntar é: “Quem fez o boneco de neve? Quem faz bonecos de neve? Quem deu à luz The Murri?”Porque o boneco de neve não sabe.”


Todos já quiseram ter um boneco de neve enfeitando a frente de sua casa, mas depois desse livro, acho que serão poucos que apreciarão essa ideia.
Quando bonecos de neves começam a aparecer nos jardins de algumas casas de Oslo, pode ser um aviso que haverá uma próxima vítima. No primeiro dia de neve do ano, o detetive Harry Hole se vê cara a cara com um psicopata cruel, que dita suas próprias regras.
Posso dizer que por Jo Nesbo ser um escritor norueguês, me chamou muita atenção, pois não é tão comum vermos livros de países nórdicos, apesar de hoje existirem vários escritores de ficção policial nesses países menores da Europa.
Por adorar livros ou filmes policiais, quando peguei na mão, já sabia qual seria minha próxima leitura, e estava com as expectativas super altas. E não me arrependi.
Alguns personagens me chamou muita atenção, e não somente o principal. Talvez por ser muito inteligente, mas ao mesmo tempo usar sua sensualidade a seu favor, a novata investigadora Katrine Bratt, tenha deixado um ar de surpresa, mas também ficar com um pé atrás, por não saber realmente suas intenções em cada ato.
O que gostei muito, foi a alternância entre a polícia e as vítimas, mas não se aprofundando tanto nelas. O suspense que também deixava, me deixou muitas vezes nervosa, e querendo ler mais e mais, para tentar descobrir o que ia acontecer, tanto que li muito rápido.
Todos esses fatores só me deixou com mais vontade de ler outras obras dele. Já estou a procura e juntando dinheiro. Recomendo muito esse livro para quem gosta desse estilo.
E você, já leu? Gostou? Leu outros livros dele? Recomenda algum? Comenta aí embaixo, e compartilha com os amigos.

Carol