Menu

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Um Livro, Uma Derrota - Mein Kampf


"O problema da "nacionalização" de um povo deve começar pela criação de condições sociais sadias como fundamento de uma possibilidade de educação do indivíduo. Somente quem, pela educação e pela escola, aprende a conhecer as grandes alturas econômicas e, sobretudo, políticas da própria Pátria, pode adquirir e adquiri-lá, certamente, aquele orgulho íntimo de pertencer a um tal povo. Só se pode lutar pelo que se ama, só se pode amar o que se respeita e respeitar o que, pelo menos, se conhece."

Então... esse era meu livro do desafio do mês de setembro. Devo começar confessando que tenho "Mein Kampf" há pelo menos uns 10 anos. Comprei ele para o meu TCC que se tratava, na época, do aniversário do final da Segunda Guerra Mundial, mas na época não utilizei. Ficou todos esses anos "camuflado" na minha estante.
Quando resolvemos participar do "Desafio Literário" e eu fiquei com o desafio do mês de setembro que seria escolher algum livro banido, o primeiro que pensei foi em "Minha Luta". Ok. Comecei essa jornada exatamente 2 meses atrás, pois sabia o que me aguardava... Mas, não andou!!
Me sinto frustada, pois não costumo fazer isso. "Mein Kampf" se arrastou durantes minhas noites, tornando-as longas e tediosas.
Não consegui terminá-lo! Para não me sentir mais derrotada do que já me sinto, o que me consola é ter conseguido ler as 250 páginas do livro das 505 que tem! O que não me torna uma derrotada!
O livro é sufocante, massacrante, tedioso. Mostra uma pessoa totalmente perturbada e racista. Como profissional, deveria "tentar" compreender a cabeça confusa de um sujeito problemático, mas, NÃO DÁ!
Resumidamente, não terminei o livro para resenha-lo aqui para vocês. Não desisti dele. Está na mesa de cabeceira. Vou lê-lo em doses homeopáticas. Talvez consiga acabar até o final do ano; e se conseguir, conversamos depois.
Um beijo.

Cláudia Trigo

domingo, 27 de setembro de 2015

Nasci Em Época Errada, Literalmente!!! - Uma Loja Em Paris


"Tinha visto Paris de fora, graças ao meu gosto por caminhar olhando para as fachadas de lugares a mim inacessíveis - o que poderia fazer? -, imaginado as histórias por trás das janelas daquelas avenidas enormes que não me levam a lugar nenhum, e que agora me tinham como protagonista. Os edifícios sempre me pareciam porta-joias. Eu estava em uma delas. A casa de Coco Chanel era majestosa. Tudo chamava a minha atenção."

Expectativas deixadas de lado, "Uma Loja em Paris", do espanhol Màxim Huerta, Editora Essência, é um livro lindo, com uma história linda e personagens cativantes!
A jovem e rica Teresa Espinosa segue sua vida sem sal e sem graça após a morte de seus pais. Criada sob a rigorosa tutela da tia Brígida, ela se mantém quase reclusa em seu imenso apartamento, em Madri, vivendo das lembranças da mãe e de um amor que sumiu sem deixar rastros e nem despedidas dignas.
Sua história começa a mudar de rumo quando compra uma tabuleta de uma antiga loja de tecidos de Paris, em um antiquário. Ao pendurá-la no escritório de sua casa, Teresa passa a sentir uma estranha presença em sua imensa casa. O rádio começa a tocar sozinho, sempre a mesma música francesa de melodia triste, e ela acredita que a dona da tal loja da placa, Alice Humbert, tem a ver com esses fenômenos.
Decidida a entender esses acontecimentos, Teresa muda para Paris e compra a antiga loja onde há muitas décadas funcionara o comércio de Alice. Na romântica cidade, ela não só irá esclarecer o mistério da loja de tecidos, como também encontrará um sentido para sua vida, antes cinzenta e solitária.
Esse livro é uma verdadeira viagem pelos "anos loucos" da Paris dos anos de 1920, com seus artistas e musas libertárias a festejar pelos bairros boêmios de Montparnasse e Montmartre. Paris de Hemingway, Modigliani, Coco Chanel e Paul Poiret. Paris dos sonhos de todos nós.
É mágico essa viagem que fazemos com "Uma Loja em Paris", você se sente uma nobre parisiense. A história vai decorrendo de uma forma saborosa, onde peças vão aparecendo aleatoriamente e vão se encaixar com perfeição lá no final. São duas histórias paralelas que vão acontecendo - uma atual e outra na boa e velha Paris de 1920 -, você fica alucinado para chegar logo no final, e quando acabou foi uma tristeza terrível porque não teria mais a Paris dos anos 20 para alegrar as minhas noites. E a vontade era de começar tudo de novo.
É uma história de amor, lágrimas, cultura, desafios. É uma história surpreendente, onde valeu cada segundo da minha viagem. No final, tudo faz sentido, e passamos a acreditar que coincidências não são apenas acaso, isso é bem mais do que podemos responder!!
Resumindo: mais um queridinho meu!!!
Divirtam-se na Paris liberal e excitante dos anos 20.
Acho que nasci em época errada!!!
Excelente leitura.
Divirtam-se, afinal, só se vive uma vez - pelo que sabemos e lembramos!

Cláudia Trigo

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Livros Que Queríamos Ver Adaptados



A estrada de um leitor nunca é completa, não é mesmo... Sempre estamos em busca do algo mais!!! E nessa busca frenética decidimos consolidar nosso momento mágico com chave de ouro, querendo mais do que o limite: imortalizar o que já é eterno, tornando o que temos em mente algo palpável: ele próprio, o filme!
Decidimos então trazer para vocês nossos 10 livros que mereciam sair do papel e cair nas telonas. Claro que sempre com "aquele medinho" do roteirista acabar com a história, mas como são apenas sugestões, ficamos na expectativa de vê-la na íntegra, com cortes somente no necessário!
Vamos à ela!

Asylum
Madeleine Roux
V&R
Marina
Carlos Ruiz Zafón
Suma de Letras
O Oceano no Fim do Caminho
Neil Gaiman
Intrínseca

















Como dizer alguma coisa desses livros? Só lendo, entendendo e pensando o que seria  de mim sem uma MEGA adaptação desses, com a ressalva - é claro! - de uma adaptação na íntegra, mas são histórias que valiam MUITO à pena vê-las na telona.


Eu Sei O Que Você Está Pensando
John Verdon
Arqueiro

















Ai... meu... deus...!!!! O que são esses três livros? Imaginamos esses detetives na telona, ou até numa mini série de telinha. Seria muito superior à muita coisa ruim que rola por aí simplesmente porque TEM nomes importantes...


O Artífice
Tony Ferraz
Universo dos Livros
Um Caso Perdido
Colleen Hoover
Record
Desastre
S. G. Browne
Leya
















Nosso sonho é ver esses livros nas telonas. Apesar de não serem livros "tão" parecidos, os três contém personagens bem complexos e seria muito interessante vê-los no cinema. Claro que não esquecendo que deveria ser uma adaptação correta...


 
A Garota Que Você Deixou Para Trás
Jojo Moyes
Intrínseca

Gosto muito da maneira que Jojo Moyes escreve. Acho que seria uma adaptação muito interessante de ver nas telas. A ideia da ordem não cronológica da  história sempre me agradou demais. E ela tem muita poesia no desenvolvimento dessas. Acho que daria um grande filme. Consigo imaginá-lo perfeitamente... 










Acreditamos que exista uma bipolaridade em nós, mortais leitores. Uma parte anseia para ver nossas tão amadas personagens nas telas. Outra, presume, que ninguém no mundo tem a visão melhor que a nossa, e vai ERRAR feio no roteiro da história, frustando nossas expectativas. MEDO, esse é o sentimento, mas acreditamos no talento de alguns diretores!!! #FicaDica

OBS.: Os links dos livros que já tem resenha estão nas legendas!
OBS2.: Os livros são das duas misturados, então não são só de uma...

Carol e Cláudia!

sábado, 19 de setembro de 2015

Toda Casa Precisa de Varanda


"Não tem ideia. Isso não é normal?
Não. Não é normal, ela respondeu como se soubesse que no primeiro parto da sua vida o que era e o que não era normal. Além disso, ela jamis tinha gostado dos normais da sua turma de escola. Na verdade, ela até os abominava, e tudo o que era considerado normal lhe causava alergia."

"Toda Casa Precisa de Varanda: Memórias de Israel a Barcelona", de Rina Frank, Editora Record, foi um achado na Bienal do Livro de SP de 2014!
Estava na fila a tempo, mas sempre passava outros na frente pelo grau de ansiedade!
Essa semana resolvi leva-lo mais a sério e fui pra viagem. E devo confessar: que viagem! A capa é muito bonita e amei! o título; mas tava cheia de dedos em relação a leitura.
Quando os Frank se mudaram da Romênia para Israel, o pai, Mosco, a mãe, Bianca, e a filha de 8 meses do casal, Iosefa, ganharam uma pequena cozinha, sem janelas para morar.
Um ano depois, quando a segunda filha nasceu, o pai ficou tão decepcionado por não ter tido um menino, que Lutchi, sua irmã, dona do apartamento, deu-lhes um quarto que ficava de frente para uma magnífica varanda.
Havia varandas em todos os prédios da rua Stanton. Elas ficavam umas diante das outras. Não havia cortinas nas janelas e todos se viam. Sentar na varanda era como sentar na poltrona para ver televisão. Foi dessa maneira que Rina Frank, a filha caçula, aprendeu a ver a vida.
Nessa autobiografia ela alterna lembranças da infância pobre com os primeiros anos da vida adulta, quando consegue um emprego e se apaixona por um rico judeu de Barcelona.
Os dois se casam, mas o conto de fadas começa a ruir. As diferenças sociais e culturais acabam prevalecendo e, na vida do casal, as rachaduras começam a aumentar, como num apartamento após uma reforma malfeita.
A história é delicada, cheia de memórias recheadas de saudades, mágoas, ressentimentos. Li o livro em 2 dias e confesso que fiquei surpresa com tantos detalhes, é como ver um filme. É uma história de pobreza, fome, luta de sobrevivência, recompensas, vitórias, lágrimas. É um livro sobre pessoas reais, mundos reais, problemas reais. É um livro sobre a vida, de como ela pode ser bonita, e num instante seguinte, tão ingrata.
Aprendemos um pouco de tudo, história, geografia, amor, ódio, inveja, ingratidão. Uma história comovente, no qual humor e tristeza caminham lado a lado.
Leitura recomendada!

Cláudia Trigo

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Melhores Capas

                   
Foram noites de insônia, dias de discussão, mas chegamos, enfim, a um consenso. Foi difícil, pois tem capas que não acabam mais, umas dignas de Oscar, outras nem tanto assim, e acabamos escolhendo por descartes - das mais bonitas, para as "maravilhosas".
Muitas capas ficaram de fora, mas foram por detalhes... Mereciam um prêmio de honra, quem sabe num próximo post.
Então, vamos a elas!

Cláudia

O Verão das Bonecas Mortas
Toni Hill
Editora Tordesilhas
A Fazenda
Tom Rob Smith
Editora Record
A Última Vítima
Tess Gerritsen
Editora Record
Jardim de Inverno
Kristin Hannah
Editora Novo Conceito














Prisioneiros do Inverno
Jennifer McMahon
Editora Record


















Carolina

Desastre
S. G. Browne
Editora Leya
A Estrada da Noite
Joe Hill
Editora Sextante
Marina
Carlos Ruiz Zafón
Selo Suma/Editora Objetiva
O Orfanato da Srta. Peregrine
Para Crianças Peculiares
Ransom Riggs
Editora Leya
A Desconstrução de Mara
Dyer
Michelle Hodkin
Editora Record

































OBS.: O único livro que tem resenha está com o link, é só clicar na legenda dele ;)

Cláudia e Carol.

sábado, 12 de setembro de 2015

Terror das Minhas Noites: Filme Noturno


"Nora revirou os olhos e foi. As paredes do corredor eram brilhantes, pintadas metade branco, metade rosa-focinho-de-gatinho, mas o lugar parecia clínico e claustrofóbico, como um compartimento de trem. O expresso dos desorientados rumo a Malucolândia. Todos a bordo."

"Filme Noturno", de Marisha Pessl, Editora Intrínseca. Nas minhas breves lembranças, o ÚNICO livro que a história conseguiu invadir meus pesadelos. Nunca, nunca, nunca a história de um livro tinha se confundido com meus "doces e meigos" pesadelos.
Na leitura de "Filme Noturno", pela primeira vez, vi meus sonhos entrelaçados com o livro, é meio constrangedor dizer isso quando trabalho justamente com isso - dissecando sonhos e trabalhando através deles -, deveria, por experiência, separá-los, mas fui surpreendida com meus próprios demônios. É tenso!
Vi "Filme Noturno" fazer parte dos meus maiores pesadelos. Foram várias noites confusas entre meus fantasmas e os do livro.
Em uma noite fria de outono, a bela e jovem Ashley Cordova é encontrada morta em um armazém abandonado em Manhattan. Embora a suspeita seja de suicídio, o veterano jornalista investigativo Scott McGrath acredita que haja algo mais. O interesse de McGrath pelas estranhas circunstâncias que cercam a vida e a morte de Ashley não é gratuito. A garota é filha do famoso e recluso diretor de filmes cult de terror Stanislas Cordova, um homem que não é visto em público há mais de trinta anos e que, no passado, foi o responsável por virar a vida do jornalista de cabeça para baixo.
Para McGrath, mais uma morte nessa família poderosa, mas aparentemente amaldiçoada, não deve ser só coincidência. Apesar de muito ter sido escrito sobre os filmes sombrios e perturbadores  de Stanislas, pouco se sabe sobre o cineasta.
Impulsionado por vingança, curiosidade e necessidade de descobrir a verdade, McGrath, com a ajuda de dois jovens que conhece no início da investigação, é cada vez mais atraído para o horripilante e hipnótico mundo de Cordova. Mas, se da última vez que chegou perto de expor o diretor, McGrath perdeu seu casamento e sua carreira, dessa pode acabar perdendo mais ainda.
Uma história que impulsiona seus mais sombrios instintos, e gosto disso! Gosto muito! Uma viagem breve - afinal, li em três dias - e sombria onde nada é o o que parece. Costumo desconfiar logo de cara do desenrolar da história, e na maioria das vezes, acerto! mas desta vez fui e vim inúmeras vezes, me confundindo nas minhas próprias afirmações, acho que foi isso que invadiu meus sonhos e me assombrou - a incerteza! (análise pura de uma analista!)
O final pode deixar brechas para uma continuidade, não sei. Tomará. Ia me esbaldar nessa viagem, sem "olhares" de constrangimento. AMOOOOOO!

Cláudia Trigo

terça-feira, 8 de setembro de 2015

Book Haul - Agosto/2015


Esses são nossos bebês que chegaram em agosto.
Apesar do mês ser conhecido como "mês do desgosto", só nos trouxe alegrias.
Que venham mais meses assim para que possamos nos divertir...


1. Drácula - Bram Stoker - Editora Landmark
Clássico dos clássicos, é um livro que já tinha lido muito tempo atrás, mas não tinha o livro. Agora encontrei ele num preço MUITOOOO bom na FNAC e ele veio fazer parte da minha estante.









2. Brotherband 4: Os Escravos - John Flanagan - Editora Fundamento

Quarto livro da série Brotherband que ganhei e ainda nem comecei a ler... Adoro os livros do John Flanagan da coleção Rangers, mas esses novos livros não estão me interessando muito.
Somado à falta de tempo e ao inúmeros livros que já estão na minha lista de leitura imediata, com certeza não será tão já que vou ler.







3. Não Voltarás - Hans Koppel - Editora Verus
Esse eu já namorava a muito tempo, mas sempre entrava outro na frente e ele acabava ficando para a próxima compra - na maioria das vezes, devido ao preço - mas dessa vez ele me venceu, apesar de continuar caro!









4. Antes de Dormir - S. J. Watson - Editora Record
Eu acabei assistindo o filme antes, e confesso ter gostado muito, e só descobri que tinha o livro recentemente, e aí não resisti. Esperando muito mais do livro já que o filme foi bom!









5. Um Outono em River Falls - Alexis Aubengue - Editora Vestígio
Só ouvi coisas boas desse livro, estou na esperança de uma grande leitura...











6. Na Mente, O Veneno - Andrea H. Japp - Editora Vestígio
Esse é outro que ouvi falar muito em. Não conheço a autora, e estou ansiosa pela leitura.










7. Amarga Vingança - Andrea H. Japp - Editora Vestígio
Outro da Andrea Japp. Aproveitei o preço, que por sinal tava muito bom na Submarino, e já comprei os dois. Logo terá resenha por aqui. Aguardem!










8. Dias Perfeitos - Rapahel Montes - Editora Cia. Das Letras
Esse é especial. Veio com autógrafo e tudo mais!! Fui no lançamento do "Vilarejo", na Livraria Cultura-SP, e aproveitei para conseguir autografar os outros dois. Conhecer Raphael Montes foi especial, um grande escritor em ascensão. Já tinha lido "Suicidas" e tinha adorado, agora veremos o próximo!








9. Box O Teste - Joelle Charbonneau - Editora Única
Essa trilogia já estava na minha mira de compras. Então a Submarino fez uma super promoção que não tinha como resistir...









10. Scarlets - Madeleine Roux - Editora V&R
Mesmo ainda não tendo lido Asylum, já compramos logo esse especial da série. Ai já lemos tudo de uma só vez.










11. O Doador de Memórias - Lois Lowry - Editora Arqueiro 
Livro já algum tempo estava de olho, além de estar super ansiosa para assistir o filme. Comprei ele com um preço até meio salgado, mas valeu muito a pena.
Já li, já tem resenha e só digo uma coisa: passem lá e confiram a resenha que ficou muito boa e conversamos sobre um assunto um pouco discutível!








12. Quatro - Veronica Roth - Editora Rocco
Comprei ele e li em dois dias, mas já tinha começado pelo Kindle, então meio caminho já estava andado. Foi mais um complemento à série Divergente, mas como adoro os livros da Veronica Roth, não tenho dúvidas de que gostei desse.







E vocês, já leram algum desses? Nos digam o que acharam!
Carol e Cláudia!

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Eu Sei o Que Você Está Pensando


"- Dê um exemplo.
- Eu poderia dar cem. O conflito mais simples é o que existe entre o modo como nos vemos e o modo como vemos os outros. Por exemplo, se estivéssemos discutindo e você gritasse comigo, eu acreditaria que a causa do grito era sua incapacidade de controlar seu temperamento. Mas, se eu gritasse com você, não pensaria que a causa do problema era meu temperamento, e sim a sua provocação. Ou seja, meu grito seria uma reação adequada a algo que você tivesse feito."

Capa linda, história boa. Mais um detetive na minha lista!
"Eu Sei o Que Você Está Pensando", de John Verdon, Editora Arqueiro, foi mais um "daqueles" livros que devorei em algumas horas, simples assim!
Quando recebe uma carta desafiando-o a pensar em um número de um a mil e orientando-o a abrir um envelope que contém o número que ele escolheu, Mark Mellery fica apavorado. Como alguém poderia saber em que número ele pensaria? Quem seria o remetente misterioso que o conhecia tão profundamente?
Intrigado com o enigma e preocupado com o tom de ameaça da correspondência que passa a receber nas semanas seguintes, Mark decide recorrer a um amigo que não vê há anos, o famoso detetive de homicídios do Departamento de Polícia de Nova York, David Gurney.
Depois de uma carreira de sucesso, em que desvendou importantes casos de assassinatos em série, David se aposentou e acaba de se mudar com a esposa para o interior do estado, na tentativa de salvar seu casamento e construir uma vida nova. Mas, com a curiosidade atiçada pelo mistério apresentado pelo amigo, o detetive se vê novamente às voltas com seu maior vício: a investigação.
Quando a situação foge ao controle, dando origem a uma onda de assassinatos brutais, David é contratado como consultor da promotoria. Com sua lógica perfeita e sua clareza cristalina, ele descarta uma hipótese após outra - hipnose, percepção extrassensorial - e faz deduções que deixam a polícia local espantada.
Mesmo assim, o detetive parece longe de vencer seu opositor, um criminoso sofisticado e doentio, que se comunica por meio de poemas e que, até onde se sabe, é capaz de ler a mente de suas vítimas.
Enquanto busca decifrar o enigma e estabelecer um padrão que possa ajudá-lo a deter o assassino, David tem que enfrentar seus próprios fantasmas, se reconciliar com o passado e se preparar para ficar cara a cara com seu adversário.

"Verdon controla o ritmo da narrativa, conta a história de um casamento profundo mas problemático, analisa o que significa ser consumido pelo trabalho mesmo que isso possa matá-lo e exige que o leitor use o cérebro para imaginar o que vem a seguir."  (Salon)


A história é bem legal, cheio de enigmas e charadas. A importância da esposa é imprescindível na vida do detetive, a minha única preocupação é com as sinopses de alguns livros feitos pelas Editoras, e nesse a Arqueiro pisou na bola: a sinopse da capa do livro TEM SPOILER!!! Acredite se quiser. Quando comprei, fiquei esperando os acontecimentos logo de cara, e o que diz ali só vai acontecer do meio para o final da história, o que é uma baita sacanagem.
As Editoras deveriam ficar mais atentas a isso, #ficaadicaarqueiro
Mas, no geral, um bom livro de se ler!

Cláudia Trigo