Menu

sábado, 27 de dezembro de 2014

Resenha - O Enigma da Borboleta


"(...)De todas,é a parte do "para sempre" que mais me assusta. A eternidade da morte. Sinto-me oscilando entre dois mundos - carne e ar, osso e pó.(...)"


Aqui estou de novo. E hoje o livro do dia é O Enigma da Borboleta, da Kate Ellison.
Comprei ano passado. Fazia um tempo que estava na estante e um tempo maior ainda que não lia algo do gênero.
Então, porque não dar uma chance para ele?
Vou ser bem sincera: só peguei no tranco. Demorei muitas semana para acaba-lo - mais do que o normal.
O meu problema foi com a personagem principal, Penelope (ou como gosta de ser chamada, Lo).
Lo é uma adolescente de 15 anos que está no ensino médio e que podemos chamar de "estranha". É uma garota nada popular e ainda sofre de TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo).
Apesar de achar bem interessante a proposta da autora de diferenciar um pouco do casual, não consegui me "comunicar" com a personagem. Suas obsessões cada vez me deixava mais irritava e não conseguia continuar a leitura.
Desde pequena ela tinha problema, mas após a morte de seu irmão, Oren, as coisas só pioraram. Ela adora colecionar bibelôs, mesmo que tenha que roubá-los. E num desses resgates ela encontra uma borboleta que pode colocá-la em perigo.
Acho que a leitura só melhorou quando aparece Flynt, um jovem morador de rua que transforma lixo em arte. Diferente do que li em alguns blogs, ele me conquistou e consegui avançar na leitura.
Como já disse, o livro todo é Lo e suas obsessões, e isso me deixou irritada até parte do livro. Mas depois de um tempo lendo você vai se acostumando com elas e quase não percebe mais.
O interessante é que a autora conseguiu passar muito bem a ideia do medo que se passa nas ruas e do quanto as autoridades podem ser "incompetentes".
Depois de ler vários policiais ótimos começa a ficar difícil algo te impressionar. E essa foi quase uma missão impossível. Não sei se leria de novo, pela raiva que passei!, mas posso dizer, com certeza absoluta, que o final surpreende muito.
Para quem quer tentar algo novo e diferente essa é uma boa recomendação.
spero que tenham gostado e boa leitura!
Carol!!

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Sorteio!!




Pessoas, dia 23 de janeiro de 2015 esse “gracioso” Blog que vos fala estará completando 5 aninhos (quase um garotinho!), e para dividirmos essa nossa felicidade vamos presentear os nossos “FIÉIS” observadores com o livro, pra lá de especial,  “Precisamos Falar Sobre o Kevin”.

As regras são simples e básicas:
Ser seguidor da página do Face e do Blog;
Deixar sua mensagem que dizendo que está participando (ou derivados);
Ter residência no Brasil;
Ter e-mail pessoal.

Iremos escolher o ganhador via sorteio de nomes em papel (moda antiga, rsrs).
A escolha será na semana seguinte ao nosso aniversário e será comunicado via e-mail, página do Face e Blog.
O sorteado terá uma semana para entrar em contato para passar seus dados para enviarmos o livro. Caso isso não ocorra faremos um novo sorteio.
O prazo se esgota no dia 23/01/2015 às 24:00h.
Obs.: As pessoas que já estavam concorrendo antes da mudança continuam no sorteio!!
Contamos com a colaboração de todos.
Boa sorte!

Boas Festas!

domingo, 14 de dezembro de 2014

Viagem ao Mundo em 15 Filmes

Deixamos nossa zona de conforto para uma viagem ao mundo em 15 filmes sensacionais, singulares e desprovidos de grandes pretensões.
Nesse momento, "nosso olhar de estrangeiro" vira crucial numa escolha pra lá de difícil. É como escolher um filho amado entre outros tantos. Mas fizemos com todo amor e dedicação para que vocês degustem desses filmes únicos.
Para nós foi uma jornada incrível, recordar cada um deles é uma satisfação singular. Todas as noites perdidas de intermináveis discussões e prazer serviram para uma lista única de como temos filmes excelentes em qualquer lugar do mundo.  E que fotografia, roteiro, direção trás cada um! Um presente para nós, amantes do belo.
Vamos a eles... (Estão em ordem alfabética, e não de preferência - mesmo porque é quase impossível escolher, entre eles, o nosso preferido!)


Alemanha: "Corra Lola, Corra"
Sinopse: Manni (Moritg Bleibtreu), o coletor de uma quadrilha de contrabandistas, esquece no metrô uma sacola com 100 mil marcos. Ele só tem 20 minutos para recuperar o dinheiro ou irá confrontar a ira do seu chefe, Ronnie, um perigoso criminoso. Desesperado, Ronnie telefona para Lola (Franka Potente), sua namorada, que vê como única solução pedir ajuda para seu pai (Herbert Knaup), que é presidente de um banco. Assim, Lola corre através das ruas de Berlim, sendo apresentados 3 possíveis finais da louca corrida de Lola para salvar o namorado.
Direção: Tom Tykwer - 1998
Elenco: Franka Potente, Moritg Bleibtreu, Herbert Knaup



Argentina: "Tese Sobre um Homicídio"
Sinopse: Roberto Bermudez (Ricardo Darín) é um especialista em Direito Criminal que ministra um curso bastante reconhecido. Uma nova turma está prestes a iniciar as aulas e entre os alunos está Gonzalo (Alberto Ammann), filho de um velho conhecido do professor. Gonzalo trata Roberto como um verdadeiro ídolo, o que incomoda o mestre. Já com as aulas em pleno andamento, um brutal assassinato ocorre perto da Universidade. Roberto logo demonstra interesse no caso e, ao investigar os detalhes, passa a crer que Gonzalo seja o autor do crime e esteja desafiando-o ao jogo de inteligência.
Direção: Hernãn Goldfrid - 2013
Elenco: Ricardo Darín, Alberto Ammann, Calu Rivero



Austrália: "Moulin Rouge"
Sinopse: Christian (Ewan McGregor) é um jovem escritor que possui um dom para poesia e que enfrenta seu pai para poder se mudar para o bairro boêmio de Montmartre, em Paris. Lá ele recebe o apoio de Henri de Toulouse-Lautrec (John Leguizamo), que o ajuda a participar da vida social e cultural do local que gira em torno do Moulin Rouge, uma boate que possui um mundo próprio de sexo, drogas, adrenalina e Can-can. Ao visitar o local, Christian logo se apaixona por Sartine (Nicole Kidman), a mais bela cortesã de Paris e estrela maior no Moulin Rouge.
Direção: Baz Luhrmann - 2001
Elenco: Ewan McGregor, Nicole Kidman, John Leguizamo



Canadá: "Café de Flore"
Sinopse: Está história de amores se passa em dois momentos distintos: Paris nos anos de 1960, e Montreal nos dias atuais. Na primeira história, Antoine é um DJ canadense, apaixonado pela namorada Rose, mas ainda traumatizado pelo fim da relação com Carole, seu amor de adolescência e mãe de seus filhos. Já a segunda história mostra Jacqueline (Vanessa Parades), mãe de um jovem com Síndrome de Down, que se apaixona por uma garota com a mesma doença que a dele.
Direção: Jean-Marc Vallée - 2010
Elenco: Vanessa Parades, Kevin Parente, Hélène Florent



Dinamarca: "A Festa de Babette"
Sinopse: Dinamarca, século XIX. Felippa (Bodil Kjer) e Martine (Birgitte Federspiel) são filhas de um rigoroso pastor luterano. Após a morte do religioso surge no vilarejo Babette (Stéphane Audran), uma parisiense que se oferece para ser a cozinheira e faxineira da família. Muitos anos depois, ainda trabalhando na casa, ela recebe a notícia de que ganhou um grande prêmio na loteria e oferece-se para preparar um jantar francês em comemoração ao centésimo aniversário do pastor. Os paroquianos, a princípio temerosos, acabam rendendo-se ao banquete de Babette.
Direção: Gabriel Axel - 1989
Elenco: Stéphane Audran, Bodil Kjer, Birgitte Federspiel



Espanha: "O Orfanato"
Sinopse: Laura (Belén Rueda) passou os anos mais felizes de  sua vida em um orfanato, onde recebeu os cuidados de uma equipe e de outros companheiros órfãos, a quem considerava como se fossem seus irmãos e suas irmãs verdadeiros. Agora, 30 anos depois, ela retornou ao local com seu marido Carlos (Fernando Cayo) e seu filho Simón (Roger Príncip), de 7 anos. Ela deseja restaurar e reabrir o orfanato, que está abandonado há vários anos. O local logo desperta a imaginação do menino, que passa a criar contos fantásticos. Entretanto à medida que os contos ficam mais estranhos Laura começa a desconfiar que há algo a espreita na casa.
Direção: Juan Antonio Bayona - 2008
Elenco: Belén Rueda, Fernando Cayo, Roger Príncip



França: "Encontro com o Passado"
Sinopse: Jeanne (Sophie Marceau) é escritora, casada, mãe de dois filhos. Começa a perceber mudanças em casa e seu corpo parece mudar sem explicação razoável. Só ela nota e a família acredita ser uma crise de stress. Em viagem pela Itália, ela muda completamente e descobre uma nova identidade (Monica Bellucci).
Direção: Marina De Van - 2010
Elenco: Sophie Marceau, Monica Bellucci






Húngria: "Atrás da Porta"
Sinopse: Hungria, metade do século 20. O país da Europa Central ainda sente os efeitos da Segunda Guerra Mundial, que devastou boa parte do continente e deixou marcas que nunca poderão ser apagadas. É nesse cenário que a vida de duas mulheres bem diferentes se cruzam de uma maneira bem especial. Magda (Martina Gedeck) está ganhando cada vez mais notoriedade por seu trabalho como escritora quando conhece a reservada governanta Emerenc (Helen Mirren), que carrega na alma as cicatrizes do passado. As duas iniciam uma amizade emocionante que ultrapassa os limites das convenções sociais.
Direção: Istvan Szabo - 2013
Elenco: Martina Gedeck, Helen Mirren



Inglaterra: "O Despertar"
Sinopse: 1921, pouco após a Primeira Guerra Mundial. Assombrada pela morte de seu noivo, Florence Cathcart (Rebecca Hall) resolveu dedicar sua vida a investigar supostos casos paranormais, usando a lógica para explicá-los. Ela aceita o convite para ir à uma escola onde um garoto foi encontrado morto e, segundo rumores, seu fantasma assombra o local. Logo ela começa a buscar evidências científicas que expliquem a situação, só que suas descobertas aos poucos colocam em dúvida tudo o que sabe até então.
Direção: Nick Murphy - 2012
Elenco: Rebecca Hall, Dominic West, Imelda Staunton




Irlanda: "Os Demônios de Dorothy Mills"
Sinopse: Quando uma sombria e religiosa comunidade é sacudida pela morte de uma criança, uma psiquiatra (Carice Van Houten) é chamada para examinar Dorothy Mills (Jenn Murray), a adolescente acusada do crime. Apesar da resistência dos moradores, a terapeuta logo suspeita que Dorothy sofre de distúrbio de múltipla personalidade. Mas quando a garota fala com a voz do filho recém falecido da médica, o que inicialmente parecia loucura pode ser o que os moradores acreditam... Que Dorothy seja um canal com os mortos.
Direção: Agnès Merlet - 2008
Elenco: Jenn Murray, Carice Van Houten



Itália: "A Vida é Bela"
Sinopse: Durante a Segunda Guerra Mundial na Itália, o judeu Guido (Roberto Benigni) e seu filho Giosué  (Giorgio Cantarini) são levados para um Campo de Concentração Nazista. Afastado da mulher, ele tem que usar sua imaginação para fazer o menino acreditar que estão participando de uma grande brincadeira, com o intuito de protegê-lo do terror e da violência que os cercam.
Direção: Roberto Benigni - 1999
Elenco: Roberto Benigni, Giorgio Cantarini





México: "O Quinto Mandamento"
Sinopse: Numa cidade do México, Victor (Guillermo Iván), um solitário e esquizofrênico jovem, tornou-se um assassino em série depois de ter sido abusado sexualmente por um padre na sua cidade natal, quando ele era criança. Enquanto a polícia segue seus passos, ele luta entre continuar seus crimes justificados por uma interpretação bizarra do catolicismo ou confrontar o seu passado.
Direção: Rafael Lara - 2012
Elenco: Guillermo Iván





Polônia: "O Pianista"
Sinopse: O pianista polonês Wladyslaw Szpilman (Adrien Brody) interpretava peças clássicas em um rádio de Varsóvia quando as primeiras bombas caíram sobre a cidade, em 1939. Com a invasão alemã e o início da Segunda Guerra Mundial, começaram também restrições aos judeus poloneses pelos nazistas. Inspirado na memória do pianista, o filme mostra o surgimento do Gueto de Varsóvia, quando os alemães construíram muros para isolar os judeus em algumas áreas. Wlasdyslaw
consegue fugir e é obrigado a se refugiar em prédios abandonados espalhados pela cidade, até que o pesadelo da guerra acabe.
Direção: Roman Polanski - 2003
Elenco: Adrien Brody



Rússia: "Crime e Castigo"
Sinopse: Raskolnikov (Georgi Taratorkin) é um ex estudante de Direito que comete dois assassinatos, cujas razões não são claras. Ele é chamado na polícia para depor na investigação, por conta de ser um cliente da vítima, e é tido como principal suspeito. Enquanto isso, sua mãe e sua irmã chegam na cidade, causando alvoroço. Ele conhece um homem bêbado que acaba sendo morto em um acidente de trânsito, e se apaixona pela filha prostituta do falecido, Sonia (Tatyana Bedova). Ela propõe fugir para a Sibéria junto com ele mas, será que ele aceitará?
Direção: Lev Kulidzhanov - 1970
Elenco: Georgi Taratorkin, Tatyana Bedova



Suécia: Trilogia Millennium ("Os Homens Que Não Amavam as Mulheres", "A Menina Que Brincava Com Fogo", "A Rainha do Castelo de Ar")
Sinopse: Em “Os Homens Que Não Amavam as Mulheres” conhecemos a dupla de protagonistas da trilogia: Lisbeth Salander (Rooney Mara), uma hacker de personalidade bastante complexa, e Mikael Blomkvist (Daniel Craig), um jornalista investigativo que não mede esforços para fazer o que julga correto. Nesse primeiro filme, os caminhos dos dois se cruzam na investigação do misterioso sumiço de Harriet Vanger (Moa Garpendal).
Em “A Menina Que Brincava Com Fogo”, o segundo filme da trilogia, conhecemos ainda mais da conturbada vida de Lisbeth Salander (Noomi Rapace) e percebemos o quanto ela é uma personagem única, diferente de qualquer coisa que tenhamos visto anteriormente. Dessa vez a hacker está sendo acusada de três assassinatos, e mesmo tendo o país inteiro a sua caça acreditando piamente que ela é a criminosa, Mikael Blomkvist (Michael Nyqvist) se nega acreditar em sua culpa e faz o possível para ajudar a moça. É curioso observar que, mesmo envolvidos no mesmo caso, nesse segundo filme, Lisbeth e Mikael não se encontram durante todo o desenrolar da trama.
“A Rainha do Castelo de Ar”, tem início exatamente onde “A menina que brincava com fogo”encontrou o seu final. As duas tramas estão intimamente relacionadas e o que nos foi apresentado no segundo filme tem muita influencia para compreendermos a trama do terceiro, de forma que me parece importante assistir os dois primeiros filmes na sequencia para não perder nenhum detalhe.

Direção: 1º filme: David Fincher, 
2º e 3º filme: Daniel Alfredson,
Elenco: 1º filme: Rooney Mara, Daniel Craig
2º e 3º filme: Noomi Rapace, Michael Nyqvist


Cláudia e Carol

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Uma Palavra: FODA - Filme: A Esperança - Parte 1


(CONTÉM SPOILERS)

Até que enfim consegui assistir esse filme... Depois de dias tentando, ontem fui ao cinema e só tenho uma palavra para descrever: FODA.
Você assiste o segundo filme (Em Chamas) e acha que não tem como ser melhor. Mas a realidade é que foi espetacular. Ele conseguiu passar toda a mensagem e foi muito fiel ao livro. Depois dele, pode-se dizer que é possível passar um livro para as telas sem ter que fazer mudanças drásticas.
A melhor parte para mim foi, sem sombra de dúvidas, a hora em que a Katniss/Jennifer canta "The Hanging Tree". O que foi aquilo, meu deus??? Perfeição!!!!!!
Desde o tom das cores usadas no filme até a "falta" de ação consegue mostrar a mudança de foco. Agora o problema de Katniss é diretamente com o presidente Snow.
De novo vemos Jennifer Lawrence perfeita. Ela consegue passar toda a mistura de sentimentos que Katniss passa nos livros. Desde o desespero de não saber se o Peeta está vivo ou não, entre tantas outras.
As poucas partes em que o Peeta apareceu (tenho que admitir) foram brilhantes, mesmo não conseguindo gostar dele...
Outra coisa que tenho que falar aqui foi a atuação da Julianne Moore como a presidente Coin. Adoro ela, e como sempre está magnifica - conseguiu passar toda a alma da personagem.
Uma pessoa que sentiremos muita falta será Philip Seymour. Foi muito bom ver ele uma última vez nas telas, já que na Parte 2 suas falas passarão para outro personagem.
Outra que foi muito bem e que originalmente não era para estar, pois nos livros não aparece muito, foi a Effie (Elizabeth Banks). Ela é interessante de se ver pois está fora do lugar que está acostumada. Mesmo não estando toda maquiada e com roupas espalhafatosas, ela consegue nos fazer rir em momentos cruciais. O mais interessante é ver ela tentando se acostumar num local totalmente estranho.
Para os críticos que falaram que esse não foi o melhor filme da franquia por falta de ação - ou nunca devem ter lido os livros ou não conseguiram captar a essência dele - comprovando mais uma vez que não se deve levar muito a sério o que eles tem a dizer...
O natural do longa não é ter muita ação.
Foi quase dizer que por ser um filme mais inteligente ele é ruim. Pelo contrário, só o deixa melhor!
Enfim, só tenho a dizer que, mais uma vez, eles conseguiram nos surpreender, e ficou sensacional, terminando com um gostinho de "quero mais".
Agora é só esperar ano que vem para a Parte 2 e esperamos que seja tão bom quanto.

E vocês, o que acharam do filme? Comentem, estou curiosa!!
Carol!!!

domingo, 7 de dezembro de 2014

Resenha - A Vez da Minha Vida



"O problema é que suas mentiras são construídas em cima de outras mentiras, não são? Você diz uma, daí tem que dizer outra. Se revela uma verdade pequena, tudo se desfaz (...)"

Este é o meu terceiro livro da Cecelia Ahern e posso dizer que ela ainda não me decepcionou. Depois do P.S. Eu Te Amo e do Livro do Amanhã achei que não me surpreenderia mais... Pequeno engano.
Quando a personagem principal Lucy Silchester encontra um envelope em seu tapete com um convite para se encontrar com sua Vida, sua rotina irá mudar drasticamente. Mas ela não poderá ir ao encontro pois está muito ocupada com seu emprego que não gosta e fugindo de seus amigos e familiares. No momento em que se encontra com o homem que se diz ser sua Vida verdades virão à tona. Lucy tem um compromisso com sua vida e ela terá que cumpri-lo.

Esse é um livro que você se vê nele, é repleto de situações que pode acontecer com qualquer um e personagens que você se identifica. Não consegui gostar tanto de Lucy, mas por ela fazer, falar e vivenciar situações rotineiras deixa ela mais próxima da gente. O melhor com certeza é Vida. Ele é simplesmente o máximo, além de falar coisas que embora não queremos que seja verdade, acaba sendo a realidade de muitas pessoas.
O que achei o mais legal é a Cecelia considerar as nossas vidas como uma pessoa. Ele  tem sentimentos e se, não estivermos bem, ele também não estará. Como ocorre no livro. 
Quando Lucy se encontra com sua Vida devido a todas as mentiras contadas, estas refletem nele. Nesse instante ele estará todo sujo, com roupas rasgadas e velhas e um escritório todo bagunçado em que nem o computador funciona.
A história vai se relacionando nesse contexto de triste/feliz, certo/errado e afins. Tudo o que sou hoje se reflete na minha Vida e faz dela uma pessoa melhor ou não.
O que talvez não ajude na hora da comprar do livro seja sua capa, pois vamos concordar, ela não é uma das mais bonitas.
Este é um daqueles livros que infelizmente poucas pessoas leram e poucas lerão. Mas como não falamos só de livros que estão em alta, essa é uma boa dica. 
Quem nunca contou uma mentira, mesmo que fosse pequena, e por causa dela teve de contar várias outras?

"Logo você terá que parar de mentir para os outros, o que será mais difícil do que você pensa, aliás, e, então, vai começar a aprender a verdade sobre si mesma, o que também será mais difícil do que você pensa."

É isso pessoal, espero que tenham gostado!!!
Boa leitura,
Carol!

domingo, 30 de novembro de 2014

Sétimo - Cinema Argentino

Voltando do cinema depois de assistir a estréia do filme argentino "Sétimo", do talentoso (e charmoso, claro!) Ricardo Darín. Confesso que fui com um pé atrás, já que a "senhora" crítica falou tão mau do filme, mas como sou uma super fã de Darín, precisei pagar para ver. E me dei bem!!!
Filme incrível, fotografia elegante, elenco sensacional. Sorte a minha que não acreditei nesse povo que só falam bem de "mega" produções. O cinema não precisa de nada disso para ser bom, basta ter uma história consistente, um bom elenco e um "cara" que saiba dirigir. O resto é mero detalhe!
O filme se passa em Buenos Aires. Ricardo Darín (Tese Sobre um Homicídio e O segredo dos Seus Olhos) é pai de duas crianças e separado da esposa, Belén Rueda (O Orfanato e Os Olhos de Julia). É num dia comum, em que ele, mais uma vez, vai buscar as crianças para levar à escola que se repete a usual brincadeira entre eles: o pai desce de elevador, enquanto as crianças correm escada abaixo. Só que dessa vez eles não chegam ao térreo.  As crianças desaparecem sem deixar pistas.Quem poderia ter levado as crianças entre o sétimo andar e o térreo?  O que acontece a partir daí é uma total paranoia,um contexto de desconfianças e incertezas. Todo mundo é suspeito.
Filme eletrizante, final inusitado, atuação perfeita do elenco.  
Sou muito fã do cinema argentino, gosto desse estilo cult de apresentar cenários e histórias.
Vale MUITO a pena conferir...

Por Cláudia Trigo


quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Eu Fui - Exposição Salvador Dalí



Ontem fui ao Instituto Tomie Ohtake com uma amiga ver a exposição do Salvador Dalí, Garanto que é maravilhoso e que todos deviam ir. O belo estava presente em cada corredor, em cada obra admirada.

Salvador Domingo Felipe Jacinto Dalí i Domènech nasceu em 1904 em Figueres, Catalunha.
Dalí foi um dos mais importantes pintores surrealistas da época, sendo até hoje lembrado e admirado. Foi expulso da Escola de Belas Artes de São Fernando pois afirmava que ninguém era competente para avalia-lo.
Mudou-se para Paris e lá conheceu Sigmund Freud, um de seus influenciadores e de onde sai sua obra mais conhecida "A Persistência da Memória" (a dos relógios derretendo).
Por que será que gosto ainda mais dele??? Não faça a mínima ideia, rsrs.
Ainda na França conheceu sua esposa, Gala, uma imigrante russa. Após se casar mudou-se para os EUA mas acabou voltando para a Catalunha.
Após a morte de sua esposa, Dalí entrou numa fase de depressão e tentou se matar.
Em 1989, sete anos após a morte de sua amada, Salvador Dalí morre de pneumonia e parada cardíaca.

Mas vamos ao que é importante!
Os quadros estão divididos em dois espaços distintos.
Suas maiores obras não vieram para essa exposição, mas todas que estão ali merecem cada minuto "perdido", admirando-as.
Tinha tantas obras impressionantes que fica difícil falar de cada uma delas, iria ficar até amanhã aqui, comentando. 
Vou mostrar aquelas que gostei mais e que a foto ficou boa.




Essa estava logo no começo, era uns dos primeiros quadros exibidos.
A primeira que tirei foto foi o Autorretrato Cubista.
Foi feito inspirado no cubismo sintético. Sintetizando traços bem marcados, como sobrancelhas, olhos e costeletas. A coisa que achei mais impressionante nesse e em alguns outros quadros é que de longe vou vê uma coisa e de perto vê detalhes que não tinha percebido de longe.

Esse foi outro que me chamou muita atenção, "O Espectro do Sex-Appeal", foi pintada em 1934. 
Na parte  inferior direita do quadro, vemos um Dalí criança, vestido de marinheiro, contemplando um monstro enorme, ao mesmo tempo suave e duro, que para ele simboliza a sexualidade ou o espectro da libido, emoldurado no Cabo de Creus, paisagem que sempre acompanha o pintor, plasmado de modo hiperrealista, quase fotográfico. 
Também cabe destacar a imponente presença das muletas, símbolo, segundo Dalí, da morte e do momento da ressurreição. 
O que mais me chamou atenção neste são os elementos que depois se vê em várias outras obras dele.

Tenho mais fotos, mas acabaria com surpresa. Acho que essas já são o suficiente para deixar vocês com vontade de prestigiar essa bela exposição. 

Só não se esqueçam que se for levar bolsas, tem que deixar no guarda-volumes  e se for tirar foto, SEM FLASH!
É isso aí pessoal, espero que tenham gostado. 
Comentem aí em baixo o que acharam. Vou deixar o link do Instituto para tirarem dúvidas.

Funciona de terça a domingo, das 11h as 20h. Só não se esqueçam que tem que pegar senha, elas são distribuídas  às 11h, 14h e 17h.
A entrada é gratuita.

http://www.institutotomieohtake.org.br/programacao/exposicoes/salvador-dali/

Até a próxima, 
Carol!

sábado, 15 de novembro de 2014

Resenha A Garota Que Eu Quero


"– Você já ouviu um cachorro chorar, Steve? Sabe como é, uivar tão alto que quase chega a ser insuportável? – Ele fez que sim. – Acho que uivam assim porque estão com tanta fome que chega a doer, e é isso que sinto em mim, todos os dias da minha vida. Tenho uma fome enorme de ser alguma coisa, de ser alguém."

E aqui estou novamente fazendo resenhas. Demorei, mas voltei. E hoje trago A Garota que Eu Quero.
Muitos devem conhecer o Markus Zusak, da Menina que Roubava Livros... Não li, mas sei que muitas pessoas adoram esse livro. E posso dizer que não comprei por causa do autor, comprei mesmo por que me pareceu interessante.
O livro tem o personagem principal Cameron Wolfe que é um adolescente que se acha um nada, não tem nenhum talento, diferente de seus irmãos. O que me chamou mais a atenção nele, além de ser este típico adolescente, foi a crescente mudança dele ao passar do livro.
Seus irmãos sempre estão chamando atenção. Rube, seu irmão do meio, é muito bonito e sempre atrai as garotas. A cada semana está com uma diferente. Isso irrita um pouco no começo, pois a primeira que aparece no livro, Octavia, é muito carismática e ele depois de alguns dias, larga dela. Cameron se apaixona por ela e por ser o irmão tímido e sem graça, acha que nunca será notado.
Já seu irmão mais velho, Steve é o melhor jogador de seu time de futebol americano e por causa disso sempre é muito bem visto.
Enfim, apesar de ser um tema já um pouco passado, foi muito bem escrito. É uma leitura fácil e rápida, e o que mais gostei dele é que os capítulos são intercalados pela história e pelas escritas de Cameron. E o mais incrível é que eles são todos escritos por metáforas e fica muito bonito. Com certeza isso foi o que mais gostei no livro.
A questão é a seguinte: todos temos uma identidade e precisamos mostrá-la para as pessoas, independente se gostam ou não!
Para finalizar, descobri que faz parte de uma trilogia, e ele é o último dela. Toda a trilogia é em volta da família Wolfe, mas ao pesquisar descobri que são livros independentes e isso me aliviou muito. Os nome são, respectivamente, O Azarão e Bom de Briga.

Espero que tenham gostado. Comentem o que acharam. E boa leitura!

Carol!

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Tag Liebster Award

Aqui estou de novo. Fiquei um tempo fora por causa do Enem, mas já estou de volta. E hoje trago mais uma tag que fomos indicadas pelo blog Literaleitura.
As regras são simples. Elas são:

  • Escrever onze fatos sobre você;
  • Responder as perguntas de quem te indicou;
  • Indicar onze blogs;
  • Fazer onze perguntas para que você indicou;
  • Colocar uma imagem que mostre o selo;
  • Linkar de volta quem te indicou.
Então vamos aos fatos sobre mim:
  1. Sou torcedora fanática do São Paulo;
  2. Adoro desenhar;
  3. Amo fanfics;
  4. Sou muito difícil de fazer amizades;
  5. Minha cor preferida é azul;
  6. Odeio pessoas ignorantes;
  7. Adoro qualquer coisa relacionada à Psicologia;
  8. Amo fazer esportes, principalmente futebol;
  9. Adoro filmes de terror, meu gênero preferido;
  10. Meu lugar favorito é a Livraria Cultura;
  11. Adoro jogos de terror.
Agora vamos às perguntas:
  1. Se defina em uma palavra: Tímida
  2. Qual o livro favorito da sua vida? É um livro que terminei recentemente e simplesmente amei. O livro é Um Caso Perdido: Hopeless da Colleen Hoover
  3. Qual sua saga preferida? Todos que acompanham o blog ou me conhecem sabe que Harry Potter é e sempre será minha saga preferida. Mas tenho muitas outras ótimas também
  4. Qual seu gênero literário preferido? Outra difícil escolha pois gosto tanto de suspense/terror, policial e fantasia, então fica complicado escolher só um...
  5. Qual seu personagem literário preferido? Assim não dá... Poxa vida, não tem como escolher um só... Mas para variar um pouco, gosto muito do Will da Ordem dos Arqueiros (outra coleção imperdível)
  6. Qual livro que você jamais indicaria? Não gostei do Will & Will do John Green com o David Levithan. Já tem também resenha dele aqui.
  7. Qual sua série de tv favorita? Sem dúvida é Criminal Minds e fico muito triste por poucas pessoas conhece-la. Adoro também The Vampires Diaries
  8. Qual sua estação de ano favorita? Eu gosto muito do verão, mas como ultimamente está fazendo por volta de 30º e está impossível sobreviver vou ficar com a primavera
  9. Há quantos anos você tem o blog? Faz quatro anos que Um Olhar de Estrangeiro existe
  10. Qual o último livro que você leu? A Garota Que Eu Quero. Logo, logo tem resenha aqui dele
  11.  Uma música para escutar durante a leitura: Então, não consigo ler escutando música. Ou presto atenção em um, ou presto atenção no outro. Não dá...
Blogs que indico:

  1. Qual a média de livros que você lê por ano?
  2. Você costuma a ler sempre o mesmo tipo de livro ou se arrisca a estilos diferentes?
  3. O que não leu ainda mas está na sua lista?
  4. Você costuma ler sempre nos mesmos horários ou lê em qualquer oportunidade?
  5. Você tem o hábito de frequentar livrarias ou prefere comprar online?
  6. Você costuma ler críticas literárias, segue sugestões de amigos ou vai por instinto?
  7. Você costuma ir ao cinema ou prefere assisti-los depois em DVD/TV?
  8. Em dias sem nada para fazer, prefere um bom livro ou um bom filme?
  9. Já leu algum livro que virou filme? O que achou?
  10. Costumar ouvir música? O que mais toca na sua playlist?
  11. Costumar acompanhar a vida de seu escritor/ator/músico preferido?
Então pessoal... É isso aí! É bastante coisa mas é bacana. Final de semana tem nova resenha, fiquem no aguardo. E boa leitura!!

Carol!!

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Uma Mala de Surpresas


"Sempre chegava um momento em que as pessoas se davam conta daquilo que estava prestes a lhes acontecer. Umas tentavam fugir, outras berravam ou suplicavam. Outras simplesmente se resignavam. Mas sempre chegava aquele instante que a ficha caía. No início, achavam que podiam contar com todas aquelas coisas que sempre lhes deram segurança: roupas boas, talvez, ou uma casa perfeita, um sobrenome, uma posição, uma ilusão de poder. Não conseguiam acreditar que aquilo estivesse acontecendo com elas. No fim, porém, restava apenas a crueza da realidade: a de que ele não iria embora antes que elas lhe dessem o que ele viera buscar."

Quando a espera tem suas recompensas é gratificante demais!

O Menino da Mala, primeiro livro da série da enfermeira Nina Borg, das dinamarquesas Lene Kaaberbol e Agnete Friis é mais um suspense nórdico e surpreendente.
Tentaram eleva-lo ao nível da trilogia Millennium e comparar Nina Borg com Lisbeth Salander. Isso seria uma heresia. Não se compara.
Lisbeth é insubstituível. Nela estão aprisionadas os maiores demônios que um ser humano pode suportar. Jamais existirá outra como ela.
Nina Borg tem vários encantos, entre eles a inclinação em salvar o mundo. Ela é uma enfermeira da Cruz Vermelha que, em segredo, cuida de imigrantes ilegais. Obcecada pelo trabalho, já percorreu diversos países para ajudar os mais necessitados e presenciou horrores inimagináveis.
Quando sua amiga Karin lhe pede um favor simples, ela aceita na mesma hora e recebe a chave de um guarda-volumes que abrirá a porta para um mundo cruel em que um frágil menino de 3 anos é preso numa mala e deixado dentro de um armário.
O exagerado senso de dever da enfermeira a força a levar o menino sem pedir ajuda à policia e resolver tudo por conta própria.
Vagando pelas ruas de Copenhague, seu caminho se cruza com os dramas de uma mãe solitária e desesperada, um dinamarquês rico que zela pela família e um lituano que só deseja casar e ter uma vida feliz.
O enredo é dramático do começo ao fim. Quando você acha que conseguiu juntar todas as peças do quebra-cabeça, descobre que não chegou nem perto. A história é boa, a linguagem é leve e o desfecho inusitado.
Você fica querendo chegar logo ao final para ter todas as respostas e ao mesmo tempo fica angustiada de terminar o livro.
Leitura recomendada!

Cláudia Trigo
Lisbeth é única e insubstituível. Nela

domingo, 2 de novembro de 2014

Expectativas Frustadas - O Chamado do Cuco



"Ele sorriu para a telinha antes de recolocar o telefone no bolso. O sol aquecia sua cabeça e os ombros. Gaivotas gritavam, rodando no alto, e Strike, com a consciência feliz de que não precisava ir a lugar algum e não esperava por ninguém, acomodou-se para ler o jornal de ponta a ponta no banco ensolarado."

O que falar de um livro que veio tão "coberto" de expectativas?...
Não estava esperando nada NEM perto do fenômeno Harry Potter, mas algo que realmente me rendesse à uma boa resenha. Não rolou! O livro é mediano, as personagens são óbvias, e o enredo lento.
Tinha acabado de ler a trilogia  Millenium (diga-se de passagem, INIGUALÁVEL!). Você fica esperando sempre algo mais, mas desde então, acho que nunca vou me surpreender...
O livro não é de tudo ruim. Mas se tratando de uma autora de milhões de exemplares vendidos pelo mundo, esperava me surpreender com algo além do evidente.
Achei que a história podia ter sido bem mais elaborada desde os primeiros capítulos, Havia tudo para dar certo, mas as coisas acabam se perdendo pelo caminho.
Para leitores que o leem sem muitas expectativas acredito que pode ser um livro "carismático", mas para aqueles que já vão lotados de ansiedades, essa adrenalina se esvai em questão de capítulos.
A história se desdobra entre um detetive particular e a morte de uma modelo famosa. Lendo muitos comentários em outros sites, achei um certo fanatismo em torno da autora mais do que a própria história - porque é da J. K. Rowling tem que ser bom - só que não, pessoas... A história é fraca, nada de diferente entre os milhares de enredos policiais, e o final nada diferente do óbvio - preciso de muito mais para me tirar o sono. Compara-la a Agatha Christie, como já li em alguns sites, é até uma ofensa. A história não tem nada de complexa ou surpreendente. NADA, tupiniquins.
Descobri meses atrás que vai ser uma trilogia. Pra isso precisa melhorar MUITO, ou só vai vender para os fanáticos de plantão!

Por Cláudia Trigo

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Potter Day




"Afinal, aquilo que amamos sempre será parte de nós." (Harry Potter)

Hoje, dia 31 de Outubro até pode ser Halloween, e tudo o mais, mas é um dia muito mais importante para várias pessoas. E elas sabem do que estou falando!
Mas para quem não sabe que dia é hoje, hoje é o Potter Day, e você potterhead deve estar muito feliz como eu! Esse dia foi feito para lembrarmos do sacrifício de Lílian e Tiago Potter, para comemorar a vitória do amor e para demonstrarmos nosso orgulho por fazer parte dessa grande família.

Essa maravilhosa saga da rainha J.K.Rowling me mostrou um mundo fantástico, e eu tenho certeza que toda pessoa já quis ir para Hogwarts. Me mostrou personagens que com certeza eu queria conhecer, que existissem. Me ensinou tanta coisa. Me mostrou o quanto uma família é importante, o quanto amigos são importantes, entre tantas outras coisas.

"Cada qual acredita que o que tem a dizer é muito mais importante do que qualquer coisa que o outro tenha a contribuir." (Dumbledore)

Foi por causa desses livros que hoje eu sou essa leitora viciada. Por causa dela já conheci livros maravilhosos, séries esplêndidas, pessoas maravilhosas! Por causa dela, em cada canto do meu quarto vai ter algo relacionado a essa maravilhosa saga que ela é. Por causa dela, se me perguntarem ainda hoje o que deveria ler, vou responder a mesma coisa de sempre: Harry Potter!

"São as nossas escolhas que revelam o que realmente somos, muito mais do que as nossas qualidades." (Dumbledore)

O pior é ouvir de algumas pessoas que já não tenho idade para gostar. Que sabem que daqui a alguns anos vou esquecer dela. Mas essas pessoas não sabem como essa saga foi importante para mim e para muitas pessoas. Para essas pessoas só tenho uma coisa a dizer: "After all the times? Always!".
Para você que acha que tá muito velho, ou que tenha alguma "vergonha" (mesmo achando que não dá para ter), lembrem-se: "Não são nossas atitudes que mostram quem realmente somos, são nossas escolhas." (Harry Potter e a Câmera Secreta).

"O mundo não se divide em pessoas boas e más. Todos temos Luz e Trevas dentro de nós. O que importa é o lado o qual decidimos agir. Isso é o que realmente somos." (Sirius Black)

Desejo um feliz Potter Day para todos, e apesar de ter "acabado" a série, 2016 vem aí. Que ainda traga muitas felicidades para a gente, traga ainda muitos fãs e permaneça ainda décadas na nossa memória.

"Ler Harry Potter deveria ser obrigatório em todas escolas." (Roger Lopes)
"Harry Potter nunca vai acabar, só quando a ultima lágrima de um potterhead cair, quando um ferimento não se curar e quando um coração já não mais bater por Harry Potter." (Jade Stervite)

Ótimo Potter Day para você e boa leitura,
Carol!

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Filmes Amaldiçoados

Para fechar com chave de ouro nosso mês "sinistro", nada como cenas reais para assombrar os sets de filmagens, algo como "a vida imita a morte". É esse caminho horripilante que vamos encerrar outubro. Foi bem legal explorar esse lado sombrio da telona. Melhor ainda poder dividi-los com vocês. Então, divirtam-se!

O Corvo (The Crow) - 1994


O principal caso é a morte do ator principal, Brandon Lee, que em uma cena em que deveria tomar um tiro de festim acabou morrendo. Infelizmente a arma estava carregada com balas calibre 44.
Mas não foi só isso... Durante a produção, em 1993, um técnico teve queimaduras pelo corpo quando o guindaste em que trabalhava encostou em linhas de alta-tensão. Outro funcionário teve sua mão perfurada por uma chave de fenda. Um ex-funcionário irritado invadiu o estúdio com um automóvel, destruindo parte do cenário. E por fim, uma parte dos equipamentos foi destruída por um incêndio sem explicações!
"Ele já estava morto. Ele morreu um ano atrás, no momento em que a tocou. Eles estão todos mortos. Eles só não sabem disso ainda." (Eric Draven-Personagem de Brandon Lee).

O Exorcista (The Exorcist) - 1973

O filme foi cheio de mortes trágicas. O primeiro a morrer foi o ator Jack MacGowran que morreu de pneumonia uma semana após o final das gravações. Houve outras mortes também na equipe de produção. A esposa de um câmera perdeu o bebê, um vigia noturno foi assassinado a tiros, o técnico de refrigeração do set morreu de causa inexplicável. A atriz Ellen Burstyn, mãe da protagonista, sofreu uma lesão na base da espinha em uma das cenas. Um carpinteiro decepou o polegar e outro arrancou o dedão do pé. Além do set pegar fogo! O mais estranho ocorreu na Itália... Enquanto passava o filme no cinema, uma igreja que ficava do lado foi atingida por um raio, acertando a cruz, e a destruindo!
"Deus não está mais aqui, padre."

O Bebê de Rosemary (Rosemary's Baby) - 1968

A pior coisa que ocorreu foi a morte da atriz Sharon Tate, mulher do diretor do filme, Roman Polanski. Ela e mais quatro pessoas foram assassinados a facadas por uma seita satânica na casa de Polanski, e além disso os criminosos escreveram "porco" com sangue na porta. Mas a maior coincidência foi que ela estava grávida, assim como Rosemary. Além dela, houve mais duas mortes na equipe. O compositor morreu por causa de um coágulo no cérebro, assim como um dos personagem do filme, e o produtor morreu de falência renal. O mais estranho talvez tenha sido que John Lennon foi assassinado na porta do prédio do edifício Dakota, onde ele morava e onde foi gravado o filme....
"Salve Satã!"


Poltergeist - O Fenômeno (Poltergeist) - 1982

Esse é o filme que mais teve morte em seu elenco. Começamos pela atriz Dominique Dunne, que faz a irmã mais velha de Dana. Ela morreu  estrangulada pelas mão do ex-namorado. Outro ator que não aguentou as forças do mal foi Julian Beck, que morreu de câncer do estômago logo depois da estréia do longa. Will Sampson morreu de falência renal em 1987. E por fim houve a morte mais chocante: Heather O'Rourke, a menina dos três filmes morreu nas gravações do terceiro filme. Ela teve um bloqueio intestinal e durante a cirurgia ocorreu um choque séptico que tirou sua vida com apenas 12 anos.  Algo que descobriram durante as gravações foi que nas cenas dos esqueletos, enquanto os atores achavam que eram de plástico, souberam que eram reais!!
"Eles estão aqui." (Carol Anne)

A Profecia (The Omen) - 1976

Tudo começou antes mesmo das gravações. O filho do ator Gregory Peck se matou com um tiro na cabeça, e um pouco depois, ainda de luto, Gregory perdeu seu voo para as filmagens (sorte sua!), seu avião foi atingido por um raio... Mas não para por aí. O produtor Mace Neufeld estava em outro voo e também foi atingido por um raio. E outro avião que teria sido alugado para a equipe também foi atingido por um raio matando todo mundo, mas seu elenco não tinha embarcado. O hotel em que estava o diretor sofreu um atentado do IRA. Um dos dublês morreu após ser atacados por um dos rottweilers, que sempre foram comportados. Mas o mais assustador ocorreu com o designer John Richardson que sofreu um acidente de carro com Liz Moore, onde ela morreu na hora, decapitada! Igual a personagem do filme... O mais estranho foi que ao sair do carro, John viu uma placa indicando que estava na cidade de Ommen (olhem o nome do filme em inglês!) e estava a 66,6 km! E isso aconteceu numa sexta-feira, 13 de agosto de 1976. Outro caso foi no remake de 2006, em que aconteceu um erro nas câmeras, aparecendo erro 666...
"O capeta estava à solta e não queria que o filme fosse feito." (Produtor do filme,Harvey Bernhard)

Psicose (Psycho) - 1960

Em uma gigante coincidência, a dublê de corpo de Janet Leigh, Myra Jones foi assassinada por esfaqueamento, 28 anos depois do filme Psicose. A coincidência? Ela que fez a maior parte da cena do chuveiro, parte memorável do longa.
"Todos nós enlouquecemos às vezes." (Norman Bates)








O Iluminado (The Shining) - 1980

Stanley Kubrick, diretor de O Iluminado sempre foi conhecido por ser perfeccionista. E por causa disso, sempre há casos de estresse com seu elenco. O mais conhecido é com a atriz Shelley Duvall que faz a personagem Wendy Torrance. Os dois frequentemente discutiam sobre o roteiro e a performance dela e isso chegou a afeta-lá a ponto de desmaiar no set e adoecer tanto que seu cabelo começou a cair. Lembrem-se que o filme se baseia num homem psicótico, então têm sentido ela ficar assim. As pessoas à sua volta diziam que isso fez com que o filme ficasse melhor, pois as expressões assustadas e aflitas mostradas no longa eram verdadeiras!
"Aqui está o Johnny!" (Jack Torrance)




Carol e Cláudia!

domingo, 26 de outubro de 2014

Tag: Louca Por Filmes

Estava mexendo na internet esses dias e vi uma tag que me chamou muita a atenção por que é um jeito dos leitores conhecerem melhor a gente, além de ser super divertido fazer, sem tirar que tem tudo a ver com o blog. Então vamos lá!

-Qual foi o último filme que você assistiu?

Carol: A Profecia
Cláudia: Atrás da Porta

-Qual filme você quer muito assistir?

Carol: Annabelle
Cláudia: Annabelle

-Um filme para chorar:

Carol: Uma Prova de Amor
Cláudia: Lembranças

-Um filme para rir:

Carol: Como Perder um Homem em 10 Dias
Cláudia: Como Perder um Homem em 10 Dias

-Um suspense:

Carol: O Silêncio dos Inocentes
Cláudia: O Despertar

-Um filme para ver com a família:

Carol: Nárnia (qualquer um deles)
Cláudia: Monstros S.A

-Um romance:

Carol: A Última Música
Cláudia: Em Nome de Deus

-Um filme lindo:

Carol: Lembranças
Cláudia: Fale com Ela

-Um filme para morrer de medo:

Carol: Invocação do Mal
Cláudia: Invocação do Mal

-Um filme de ação:

Carol: Sem Saída
Cláudia: Matrix

-Um filme que não vale a pena ver:

Carol: A Árvore da Vida
Cláudia: A Morte do Demônio

-Um filme para o feriado:

Carol: As Vantagens de Ser Invisível
Cláudia: Antes do Amanhecer

-Um desenho animado:

Carol: Como Treinar Seu Dragão
Cláudia: Coraline

-Um filme que todo mundo deveria ver:

Carol; Senhor dos Anéis
Cláudia: O Caçador de Pipas

-Um filme que tenha visto 3 ou mais:

Carol: Harry Potter <3 (Já devo ter visto pelo menos umas cem vezes)
Cláudia: Letra e Música

-Um filme para meninas:

Carol: P.S. Eu Te Amo
Cláudia: Clube de Leitura de Jane Austen

-Um filme para morrer de raiva:

Carol: A Órfã
Cláudia: Donnie Darko

-Um filme para fazer terapia depois:

Carol: O Amigo Oculto
Cláudia: Precisamos Falar Sobre o Kevin

-Um filme para dormir:

Carol: Tão Forte e Tão Perto
Cláudia: Assassinato em Gosford Park

-Um musical:

Carol: Mamma Mia
Cláudia: Moulin Rouge

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Resenha - Will & Will

" tiny: talvez esta noite vocês tenham medo de cair, e talvez haja alguém aqui ou em algum outro lugar em quem vocês estejam pensando, com quem estejam preocupados, se afligindo, tentando decidir se querem cair, ou como e quando vão alcançar o solo. e preciso dizer a vocês, amigos, que parem de pensar na aterrissagem, porque o importante é a queda."

OBS.: NÃO ACEITAMOS NENHUM COMENTÁRIO COM FALTA DE RESPEITO. ESSA CRÍTICA NÃO É BASEADA EM PRECONCEITOS.

E aí pessoal? Antes de começar a resenha tenho uma novidade para contar... Talvez estejam chegando mais dois colaboradores aqui no blog, mas ainda estamos resolvendo algumas questões. Deixamos de jogar conversa fora e ir direto ao que interessa.

Hoje vamos começar com os autores. O David Levithan só ouvi falar mas nunca li nada dele. Do John Green já li todos. Não amo ele como algumas pessoas mas não acho totalmente ruim, seus livros são bons para passar o tempo. Até ler o Will & Will, tinha gostado de todos.
Por que eu não gostei? 
Quando comprei ele achei que fosse um romance gay e tudo mais, mas neste quesito decepcionou muito. E sem falar que o David tentou fazer uma coisa diferente em seus capítulos. Ele escreveu todos os parágrafos com letra minuscula e com pouca pontuação, e sinceramente, isso me irritou muito.
Mas vamos à história. O livro conta a história de dois Will Grayson - Isso mesmo! são homônimos - e seus caminhos se cruzam em determinados momentos de suas vidas. Mas não pensem que eles são iguais, seus destinos são completamente diferentes. 
O primeiro Will é hétero e mora em Chicago, e em seus capítulos muitas vezes é mostrado sua relação conturbada com seu melhor amigo, Tiny Cooper, que no caso é gay. Já o segundo Will é gay e mora em outra cidade e desde pequeno apresenta alguns problemas, e para sua infelicidade só vão aparecendo outros.
O encontro entre os dois acontece em um sexy shop - imaginem a minha cara lendo isso, foi tipo OMG! -  e a partir daí a história vai se desenrolando.
Mas de qual eu gostei mais? 
Nenhum dos dois me chamou muita a atenção, mas prefiro o segundo Will, pois sua história é mais cativante apesar de ser meio "depressivo". Tirando o fato de que ele sofre uma grande desilusão durante o desenrolar e isso talvez tenha me afetado um pouco.
Depois que se encontram no sexy shop, suas vidas vão se cruzar outras vezes e o livro baseia-se nesses encontros repleto de conversas e "discussões".
Eu gostei bastante dos personagens secundários, acredito até que pudessem aparecer um pouco mais. Principalmente Tiny, que é um personagem que você ama ou odeia, pois muitas vezes ele é engraçado e tenta fazer de tudo para melhorar a situação e outras vezes ele é muito chato.
Enfim, só tenho uma coisa a dizer do livro: não gostei. 
Talvez pudesse ser melhor trabalhado. Dessa maneira me conquistaria mais facilmente pois para mim parece erro ortográfico. Tenho que confessar que quando peguei ele na mão tinha ficado super interessado. Hoje em dia esse tema de homossexualismo tem ganho espaço na mídia e na literatura, mas ainda falta muito para a sociedade conseguir "abrir" suas mente. Achei que seria interessante, mas não! Foi um fracasso total!

E vocês, gostaram? Têm outras opiniões? Comentem aqui e boa leitura!!

Carol!!

domingo, 19 de outubro de 2014

Crianças Más

Falar de crianças em filme de suspense/terror é alucinante. Tem crianças nessa lista que até hoje consigo ouvir suas falas e suas gargalhadas. Que medo que tenho delas.
Sei que alguns de vocês vão lembrar de outros ou questionar algumas escolhas. Mas o legal do direito de expressão é essa troca de ideias que compartilhamos.
Esse é o olhar de estrangeiro!
Um mesmo filme visto por ângulos tão diferentes nos traz perspectivas de crescimento e de rever conceitos. Vamos à elas.

Precisamos Falar Sobre o Kevin
2011

Kevin, Kevin, Kevin. Passou-se anos e eu continuo precisando falar sobre o Kevin. Ficou um nó na garganta. Só Freud para explicá-lo. Bárbaro.





A Órfâ
2009

"Estherzinha" é a criança que mais me surpreendeu. Toda vez que penso em um bom roteiro sempre me lembro da "A Orfã". É uma aula de filme bom sem muita enrolação.









O Anjo Malvado
1993

Quem imaginaria que uma criança com um olhar tão angelical pudesse ser tão mau assim. Esse filme, se não foi o melhor, deve ter sido uma das melhores atuações de Macaulay Culkin.





O Iluminado
1980

Se não bastasse todo susto que você toma no filme, ainda temos medo em doze dupla. Quinze segundos de aparição e foi o suficiente para nunca mais nos esquecermos das gêmeas de "O Iluminado"



O Exorcista
1973


Regan é uma criança que toda vez que você pensar em "medo" vai se lembrar dela. Vai passar uma vida e esse filme sempre estará na lista de uma grande parte das pessoas apaixonadas por filme de terror.



Mamma
2013


Não se deixe levar pelas aparências: elas é só bonitinha, mas nada.Você, com certeza, não gostaria de encontrá-la pelo seu caminho. Bem, eu acho que não...




A Possessão
2012

Digamos que Em Brenek não é uma garota bem vinda em nenhum bazar de quintal, não gostaríamos de ganhar nenhuma "caixinha" de surpresas dela e muito menos tê-la no círculo de amizades de nossos filhos.





A Profecia
1976


Um nome para criança diabólica: Damien.
Esse é o nome dessa "pessoinha" que vai fazer você dormir com o crucifixo embaixo do travesseiro.  A verdadeira encarnação do demônio em tamanho miniatura.





Caso 39
2009

Essa deve ser uma das piores crianças que já vi... Se é possível crianças serem maldosas, com certeza Lillith é uma delas. Nunca queira encontrar com ela, seja na rua, seja em casa!





O Amigo Oculto
2005

Ela até pode ter cara de coitada, mas não se engane, ela irá fazer coisas que você nem imaginaria que alguém pudesse fazer.







Essa são nossas "adoráveis" crianças para esse mês tão delas! Só tomem cuidado quanto encontrarem com elas nas ruas... Se acontecer, CORRAM!

P.S. Não se esqueçam que além do mês das crianças também é o mês das bruxas... rsrsrs

Cláudia Trigo e Carolina Trigo

sábado, 11 de outubro de 2014

Resenha - Um Caso Perdido

"Todo sorriso que vejo no seu rosto me deixa embasbacado, pois sei de quanta coragem e força você precisou quando criança para garantir que essa sua parte permanecesse vida. E sua risada? Meu Deus, Sky. Pense no tanto de coragem que foi preciso para voltar a rir depois de tudo que lhe aconteceu."


E aí pessoal? Estou aqui para um nova resenha, e por incrível que pareça, foi a mais difícil de fazer, apesar de ter sido o livro mais rápido que eu li esse ano. E ele é Um Caso Perdido da Colleen Hoover.
Nunca tinha ouvido falar dela nem de seus outros livros publicados, "Métrica" e "Pausa". Mas ao pesquisar, antes de lê-lo, vi comentários muito bons de seus livros e sua escrita. Isso já, logo no começo, me animou bastante.
Mas mesmo assim, ao começa-lo a ler, ainda estava com o pé atrás com ele. Com o passar da leitura, a história foi me cativando.
Enfim, vamos à história. Sky é uma jovem preste a fazer 18 anos... Sempre estudou em casa com sua mãe adotiva, mas por ser o último ano de estudos, decidiu que queria ir para uma escola. Só que para sua infelicidade, sua melhor e única amiga, Six, bem nesse ano decidiu fazer um intercâmbio.
Nisso, com todo o desenrolar da história, ela conhece Holder, uma garoto lindo mas muito enigmático que sempre está "seguindo" Sky. Talvez por tudo isso, ela começa a gostar dele, e acabam ficando juntos. 
Só que toda vez que ela vai dormir, ela sonha com uma menina pequena sempre chorando, e isso faz com que o leitor fique o livro todo tentando decifrar esses "pesadelos".
O livro todo se passa em volta de Sky, e ela foi uma pessoa que me conquistou muito rapidamente, talvez pelos seus pensamentos, ou pelos seus segredos, que vamos descobrindo ao passar da história. Já Holder... nunca vi garoto tão perfeito quanto ele, e quem leu sabe do que estou falando. Nem tenho comentários a respeito dele.
Uma coisa que talvez a autora pudesse ter focado mais foi a Six, ela é uma personagem talvez meio estranha a principio, mas ao ler, percebe-se que ela só quer o melhor para sua amiga. Mas acho que poderia ter falado mais dela.
A melhor coisa para mim, são os segredos que vamos descobrindo dos personagens, e isso foi espetacular. Mas também foi um choque danado, pois estava numa mera quarta-feira à meia noite, sendo que teria que acordar cedo para a escola no dia seguinte, quando todas essas informações são lançadas para o leitor numa rapidez imensa, em somente 4 ou 5 páginas. Tive que ficar um bom tempo me recuperando depois disso, mas posso afirmar que não poderia ter um desenrolar melhor, e que a partir disso, só vai aparecendo coisas novas!
Só posso dizer que ele me surpreendeu muito, não esperava tanto, e que recomendo para qualquer um. Título perfeito, história magnifica!!
Só para acrescentar, quando tava pesquisando para escrever esse texto, descobri que vai lançar mais dois livros dessa série (Hopeless), mas que ainda não tem título traduzido. O Losing Hope conta a história do ponto de vista de Holder, já o Finding Cinderella, conta a história de Six. Então era o que faltava para ficar perfeito!
E você, é um caso perdido também?

É isso aí pessoal. Espero que tenham gostado, comentem aí embaixo se gostaram também. Sigam o blog, comentem com os amigos, compartilhem que ajuda muito a gente. 
Fico por aqui, e esse final de semana tem mais texto...

Boa leitura,
Carol!

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Mês do Horror


Bom pessoal, esse será um texto mais rápido pois vai ser só para algumas explicações.
Não sei se todos estão sabendo mas esse mês é o Mês do Horror!! Isso mesmo... E que melhor assunto para fazermos vários "textinhos" aqui para vocês? Já temos alguns planejamentos, só o que falta é tempo.
Primeiramente, eu e minha mãe iremos fazer uma lista que sabemos que todos adoram sobre as dez crianças mais assustadoras. Sabem, aquelas que você tem medo de ir dormir e ela esteja embaixo de sua cama? Então, essas mesmas...
Outro projeto, que aí já está mais restrito só à mim, é que estou lendo no momento Histórias Extraordinárias do Edgar Allan Poe. Foi uma ótima escolha, pois nunca li nada dele e sempre me falaram muito bem, e também pelo momento, que não podia ser melhor. Se conseguir acabar até o final do mês, irei postar as duas ou três historias que gostei e o por que.
E por fim, alguma de nós duas irá
postar uma sinopse de algum filme muito bom de terror, por que é o que mais gostamos de fazer!
Então pessoal é isso. Desculpem a demora para postar, mas estamos aqui ainda, e com várias ideias, então espero que dê bastante resultado. Esse foi mesmo mais um texto de explicações e nossos planejamentos.
Espero que gostem e fiquem no aguardo!!

Carol!