Menu

sábado, 30 de janeiro de 2016

Feche Bem Os Olhos! - Resenha/Desafio


"Quando conseguiu separar tudo de forma que pudesse começar a trabalhar, eram quase sete da noite. A princípio ele estanhou o fato de o tempo ter passado tão rápido, mas depois não. As horas sempre voavam quando sua mente estava focada e infelizmente ele só atingia esse estado de concentração quando um quebra-cabeça era posto à sua frente. Uma vez Madeleine dissera que sua vida havia se reduzido a um objeto obsessivo: desvendar os mistérios da morte dos outros. Nada mais, nada menos."

Primeiro livro do nosso desafio desse ano. E comecei bem. "Feche Bem os Olhos", de John Verdon, Editora Arqueiro.
Já tinha lido "Eu Sei o Que Você Está Pensando" e tinha ficado bem impressionada com o detetive David Gurney e seus fantasmas, e esse não ficou devendo nada para o primeiro!
"Feche Bem os Olhos", é aquele livro que você imagina milhões de possibilidades, e claro, erra todas.
Quando ocupava o posto de principal investigador de homicídios do Departamento de Polícia de Nova York, David Gurney nunca se sentiu confortável com o rótulo que a imprensa lhe atribuíra: superdetetive. Ele sempre achou que fosse apenas um homem com uma disposição inata para resolver enigmas. Além do próprio mistério, o que mais o incitava a solucionar os crimes era a arrogância dos assassinos, que acreditavam que podiam matar sem deixar um rastro.
Um ano depois de desvendar o caso Mellery (Eu Sei O Que Você Está Pensando), que o tirou da aposentadoria e fez com que quase fosse morto, Gurney está mais uma vez tentando se ajustar ao ritmo bucólico de sua casa no campo quando recebe um telefonema sobre o caso tão sedutor e complexo que é impossível não querer descobrir o que aconteceu.
A história é aterrorizante: uma jovem recém-casada com um famoso psiquiatra foi morta em sua própria festa de casamento. Minutos antes do brinde nupcial, ela teve a cabeça decepada, provavelmente por um facão.
Preocupado com a reação de sua esposa, que prefere que ele mantenha distância de sua antiga profissão, David a princípio não quer nem ouvir os fatos. Porém, logo é arrebatado por uma série de revelações que transformam o assassinato em algo completamente impensável.
Por trás do homicídio pode estar uma das tramas criminosas mais complexas já vistas. À medida que David começa a unir os pontos, é levado a questionar algumas das crenças a seu próprio respeito e vê que sua vida está em crescente perigo.
O livro abre um questionamento do quanto complexo é a perversidade humana, o quanto o mal pode atravessar gerações e continuar numa crescente.
Ele, como no anterior, começa mais devagar e vai crescendo assustadoramente, chegando num momento que você já viaja na história e conclui que está enlouquecendo junto com David. É triste!
Apostei minhas fichas nesse livro e superei minhas expectativas! Valeu à pena.

Cláu Trigo!

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Harlan Coben Conseguindo Se Redimir - Resenha/Desafio


"Às vezes encontramos pessoas cuja bondade inata nos atinge como um raio de luz quase ofuscante. Mas outras vezes deparamos exatamente com o oposto - alguém cuja mera presença nos asfixia, nos encobre com uma pesada nuvem de putrefação e de sangue."

Primeira resenha do desafio! E não podia ter começado melhor.
"Desaparecido Para Sempre" (Ed. Arqueiro) teve que cumprir com uma expectativa que ano passado era super alta e que questionava o tempo todo do "porque" o Harlan Coben era "endeusado"...
E, acreditem, por incrível que pareça, ele conseguiu me surpreender e me mostrar que o que falam dele, é sim, real!
Um tempo atrás tinha lido "Refúgio", que foi meu primeiro contato com o Harlan Coben. E me decepcionei muito. Fraquíssimo... Porém, acho que desafios serve para isso. E não desisti dele. Dei uma segunda chance e foi com esse pensamento que escolhi essa história. Nem sempre dá certo...
A história começa quando a mãe do nosso personagem principal - Will Klein - em seu leito de morte, lhe faz uma revelação: seu irmão mais velho, Ken, desaparecido há 11 anos e acusado de assassinato da sua vizinha Julie Miller, está vivo!
Com toda essa confusão, outro problema aparece: a namorada de Will, Sheila - seu grande amor - some de repente. E para piorar, o FBI suspeita do envolvimento dela no assassinato de dois homens. Ao mesmo tempo, os maiores criminosos do país e amigos de infância de seu irmão, Philip McGuane e John Asselta passam a rondar a vida de Will. Para descobrir toda a verdade, Will conta apenas com a ajuda de Squares, seu colega de trabalho.
Ufa! Quanta coisa. E isso é só o começo...
A história é muito boa e se aguenta do início ao fim. O tempo todo é eletrizante e cheia de reviravoltas. O que eu particularmente adoro. Os personagens são bem interessantes e cheios de segredos.
Com certeza com esse livro, Harlan Coben se superou e espero que os outros sejam tão bons quanto, e não aquele desastre que foi "Refúgio". Além de nos provar, e principalmente de me provar, que é sempre importante dar uma segunda chance para os autores. Eles podem se redimir.
Entrou nos meus favoritos, sem dúvidas. Agora é esperar para o próximo livro do desafio ser tão bom  quanto. Chelsea Cain, me aguarde!


"No fim, a mais desagradável das verdades é preferível à mais bela mentira."

Até a próxima e boa leitura!
Carol!!!

domingo, 24 de janeiro de 2016

Jostein Gaarder Falhando Comigo!!


"Fiquei perdido em pensamentos, ou melhor, fiquei em um estado de espírito que despejou subitamente, uma avalanche de antigas recordações, imagens e fortes impressões à beira-mar de quando só tínhamos vinte e poucos anos, verdadeiras sequências cinematográficas de episódios de que já nem me lembrava de haver filmado, e não era um filme mudo, pois cheguei até a ouvir a sua voz, a sua risada, você conversando comigo. E, à parte isso, ouvi o vento e as aves marinhas, cheguei a sentir o cheiro do seu cabelo comprido e escuro. Cheirava a maresia e a algas. Não foi um fluxo normal de pensamento, ele borbotava como um gêiser de felicidade contida ou como um olhar para trás, para o tempo que um dia nos pertenceu."

Mais um livro que não perderia nada se tornasse apenas um conto. "O Castelo  nos Pirineus", de Jostein Gaarder, Editora Cia das Letras, é mais uma daquelas histórias que vai se arrastando, frustando. Embora adore! o autor, esse está BEM longe de fazer parte de meu hall de livros recomendados.
A história é massante, repetitiva, pesada e nada envolvente. Só pega no tranco nos dois últimos capítulos - por isso que poderia ser apenas um conto - seria muito mais envolvente, teria bem mais conteúdo e valeria a pena o tempo perdido! Era só dar uma boa "enxugada" e teria uma boa resenha para compartilhar com vocês, mas não!
O livro trás a história de Solrun e Steinn, que viveram uma intensa história de amor quando eram jovens. Certo dia, porém, um episódio muito estranho provoca a separação do casal.
Depois de trinta anos sem se ver, eles voltam a se encontrar por acaso num braço de fiorde na Noruega, o lugar que fora palco do fim do relacionamento.
A partir desse encontro de poucas horas, os dois começam a se corresponder por e-mail, mas com a promessa de sempre apagar as mensagens trocadas. Aos cinquenta e poucos anos, eles estão casados, têm filhos e moram em cidades distintas. Enquanto Solrun ensina numa escola e se torna cada vez mais espiritualizada, Steinn é o climatologista que continua sempre cético, explicando todos os fenômenos da vida e do universo pela ciência - e é isso que torna a história MUITO cansativa!
Nas mensagens trocadas, cada um deles irá explicar sua concepção de mundo, numa tentativa de entender os rumos que suas vidas tomaram. As visões são diametralmente opostas, mas a forte ligação entre os dois continua a mesma. Sempre com muito respeito pela posição e coerência do outro; eles discutem ideias, crenças e tentam explicar o que houve no estranho episódio de três décadas antes, envolvendo uma misteriosa "mulher amora", conforme eles apelidaram.
O título do livro é uma citação do quadro de René Magritte, Le Château des Pyrénées, que tem um "gigantesco" rochedo pairando na paisagem", e no alto do rochedo há um castelo. A situação improvável, de algo que contraria as leis da natureza, é a chave para compreender o que fez o antigo casal romper tantos anos antes, por uma incongruência na maneira de enxergar fenômenos determinantes em suas vidas. O que para Steinn é acaso, pura coincidência ou ilusão de ótica, para Solrun significa a existência de um outro poder, uma força maior, que desconhecemos, e que estaria regendo os acontecimentos. Ela crê em Deus e na telepatia, ele no bigue-bangue e na teoria da relatividade.
Os diálogos de Steinn são BEM cansativos, enquanto os de Solrun são mais naturais e se encaixam na história - o que nós, leitores, queremos ler! Só que sua personagem só cresce nos dois últimos capítulos, que é quando a história passa a andar e deixa de se arrastar!
O livro é cansativo, é chato e não convence. Tem um final inusitado e ganha uma estrelinha por isso. Mas é só!

Cláudia Trigo

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Lugares Escuros, Opinião Obscura!


"Tirei um dos pés de sob o lençol, mas não consegui alcançar o chão. Acho que estou deprimida. Acho que tenho estado deprimida há uns vinte quatro anos. Posso sentir uma versão melhor de mim em algum lugar lá dentro - escondida atrás do fígado ou presa a um pedaço de baço dentro do meu corpo mirrado, infantil -, uma Libby que me diz para levantar, fazer algo, crescer, seguir em frente. Mas a maldade normalmente vence."


Mais um livro de Gillian Flynn para a lista. E aí vem a "sessão reclamação"! Achei o livro bem aquém do esperado. Já tinha lido "Garota Exemplar", e achei bem normal, dentro do esperado. "Lugares Escuros", da Editora Intrínseca, me aborreceu um bocado. Eu tenho um certo problema nas minhas leituras: fico sempre esperando que o autor se supere ou, pelo menos, mantenha o mesmo índice de qualidade. Na maior parte da vezes,  me decepciono! E dessa vez não foi diferente.
Achei o livro monótono, chato, sem graça. Faltou ação, dúvidas, suspense.
A história tinha muito material para acontecer, mas a impressão que tive era que a autora tava com um pouco de preguiça de pensar e deixar a história mais consistente.
O livro conta a história de Libby Day, uma criança que viu a mãe e as irmãs serem assassinadas. A tragédia ficou conhecida como o Sacrifício Satânico de Kinnkee. A menina escapou, correndo em direção à neve congelante do rigoroso inverno do Kansas, e ficou famosa ao dar um depoimento afirmando que Ben, o irmão de quinze anos, era o assassino. Vinte e quatro anos depois, Ben está na cadeia e a problemática Libby vive com o pouco dinheiro que sobrou de uma poupança criada por doadores que há muito se esqueceram dela.
Justamente quando se dá conta de que não tem mais como se manter, Libby é procurada por integrantes de uma sinistra sociedade secreta obcecada por crimes e mistérios famosos, o Kill Club. Eles acreditam na inocência de Ben e querem pressioná-la para conseguir evidências que comprovem suas suposições. Libby então se dá conta de que pode continuar lucrando com sua trágica história e vai em busca de pessoas do seu passado para conseguir informações sobre a noite de 02 de janeiro de 1985, a fim de vendê-las ao Kill Club. Ela pensa até mesmo em admitir que seu depoimento poderia estar equivocado.
Enquanto a investigação de Libby a leva de boates de striptease decadentes no Missouri a cidades turísticas abandonadas em Oklahoma, peça por peça, a verdade é reconstituída, e Libby se descobre de volta ao começo - fugindo de um assassino.
Tem material para uma história bem mais intrigante do que o apresentado. Ficou devendo!

Cláudia Trigo

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Os Melhores do Ano! - 2015


Aqui estamos na nossa "dura" missão de escolher as nossas melhores leituras de 2015!
Não foi fácil, pois tivemos grandes e inusitadas viagens, tipico de um Olhar de Estrangeiro, mas conseguimos chegar lá.
2015 foi um ano surpreendente para o Blog, e estamos bem satisfeitas com tantos olhares novos, tantos andantes passando por aqui e dividindo com a gente essa magnífica jornada que é a leitura.
Obrigada à todos e divirtam-se com nosso Top dos Melhores! Cliquem nos títulos dos livros mencionados para ler as resenhas!


Boneco de Neve - Jo Nesbo - Ed. Record (Cláudia)

No dia da primeira neve do ano, na fria cidade de Oslo, o inspetor Harry Hole se depara com um psicopata cruel, que cria suas próprias regras; O terror se espalha pela cidade, pois um boneco de neve no jardim pode ser um aviso de que haverá uma próxima vítima. No caso mais desafiador da sua carreira, Hole se envolve em uma trama complexa e mortal, com final surpreendente.






Clube da Luta - Chuck Palahniuk - Ed. Leya (Carol)

O clube da luta é idealizado por Tyler Durden, que acha que encontrou uma maneira de viver fora dos limites da sociedade e das regras sem sentido. Mas o que está por vir de sua mente pode piorar muito daqui para frente.
O livro foi filmado em 1999, Por David Fincher, que possui duas nomeações ao Oscar, que conseguiu adaptar toda atmosfera do livro, o mundo caótico do personagem e o humor negro de Palahniuk em uma trama recebida com inúmeros elogios pela crítica e pelo público que conta com os atores Brad Pitt, Edward Norton e Helena Bonham Carter.



Entre Outubros - Rebecca Dellape - Ed. Novo Século (Carol)

Após conseguir escapar heroicamente de um trágico sequestro em um dia de outubro – nada menos do que seu décimo sexto aniversário – Holly Armstrong se depara com um mundo totalmente diferente. Seu olhar, sua mente e seus valores já não são mais os mesmos. Agora, é como se houvesse um abismo entre a garota comum da cidade grande e a jovem amaldiçoada pelo trauma. Contudo, tal ferida foi o pontapé para sua vida mudar drasticamente. Motivada pela sua personalidade curiosa e vítima de sua própria fragilidade emocional, Holly parte em uma jornada solitária para tentar descobrir os reais precedentes do evento que mudou sua vida definitivamente.


Escuridão Total Sem Estrelas - Stephen King - Ed. Suma de Letras (Cláudia)

São quatro contos sombrios onde Stephen King trabalha nossos medos mais obscuros, juntando na escuridão de nosso cotidiano nossos maiores monstros, aquele que vai te assombrar pelo resto de seus dias!








Filme Noturno - Marisha Pessl - Ed. Intrínseca (Cláudia)

Em uma noite fria de outono, Ashley Cordova é encontrada morta em um armazém abandonado em Manhattan. Embora a polícia suspeite de suicídio, o jornalista Scott McGrath acredita que exista algo mais por trás dessa história. Seu interesse pelo caso não é gratuito: Ashley é filha do famoso e recluso diretor de filmes de terror Stanislas Cordova, um homem que não é visto em público há mais de trinta anos e que, no passado, teve um papel trágico na vida de McGrath. Impulsionado por vingança, curiosidade e necessidade de descobrir a verdade, o jornalista é atraído para o horripilante e hipnótico mundo de Stanislas.



Garota Exemplar - Gillian Flynn - Ed. Intrínseca (Carol)

No dia do quinto aniversário de casamento de Nick e Amy Dunne, a linda e inteligente esposa de Nick desaparece da casa deles às margens do rio Mississippi. Sinais indicam que se trata de um sequestro violento e Nick rapidamente se torna o principal suspeito. Sob pressão da polícia, da mídia e dos ferozmente amorosos pais de Amy, Nick desfia uma série interminável de mentiras, meias verdades e comportamento inapropriado. Ele é evasivo e amargo mas seria um assassino? Ao mesmo tempo, passagens do diário de Amy revelam um casamento tumultuado mas ela estaria contando toda a história? Alternando entre os pontos de vista de Nick e Amy, Flynn cria uma aura de dúvidas.


A Garota Que Você Deixou Para Trás - Jojo Moyes - Ed. Intrínseca (Cláudia)

Durante a Primeira Guerra Mundial, o jovem pintor francês Édouard Lefèvre é obrigado a se separar de sua esposa, Sophie, para lutar no front. Vivendo com os irmãos e os sobrinhos em sua pequena cidade natal, agora ocupada pelos soldados alemães, Sophie apega-se às lembranças do marido admirando um retrato seu pintado por Édouard. Quando o quadro chama a atenção do novo comandante alemão, Sophie arrisca tudo a família, a reputação e a vida na esperança de rever Édouard, agora prisioneiro de guerra. Quase um século depois, na Londres dos anos 2000, a jovem viúva Liv Halston mora sozinha numa moderna casa com paredes de vidro.


Se Eu Ficar - Gayle Forman - Ed. Novo Conceito (Carol)

A última coisa de que Mia se lembra é a música. Depois do acidente, ela ainda consegue ouvir a música. Ela vê o seu corpo sendo tirado dos destroços do carro de seus pais mas não sente nada. Tudo o que ela pode fazer é assistir ao esforço dos médicos para salvar sua vida, enquanto seus amigos e parentes aguardam na sala de espera... e o seu amor luta para ficar perto dela. Pelas próximas 24 horas, Mia precisa compreender o que aconteceu antes do acidente e também o que aconteceu depois. Ela sabe que precisa fazer a escolha mais difícil de todas.



Suicidas - Raphael Montes - Ed. Benvirá (Cláudia)

Um porão, nove jovens e uma Magnum 608. O que poderia ter levado universitários da elite carioca – e aparentemente sem problemas – a participarem de uma roleta-russa? Um ano depois do trágico evento, que terminou de forma violenta e bizarramente misteriosa, uma nova pista, até então mantida em segredo pela polícia, ilumina o nebuloso caso. Sob o comando da delegada Diana Guimarães, as mães desses jovens são reunidas para tentar entender o que realmente aconteceu, e os motivos que levaram seus filhos a cometerem suicídio. Por meio da leitura das anotações feitas por um dos suicidas durante o fatídico episódio, as mães são submersas no turbilhão de momentos que culminaram na morte dos seus filhos.


Os Três - Sarah Lotz - Ed. Arqueiro (Carol)

Quinta-Feira Negra. O dia que nunca será esquecido. O dia em que quatro aviões caem, quase no mesmo instante, em quatro pontos diferentes do mundo. Há apenas quatro sobreviventes. Três são crianças. Elas emergem dos destroços aparentemente ilesas, mas sofreram uma transformação. A quarta pessoa é Pamela May Donald, que só vive tempo suficiente para deixar um alerta em seu celular: "Eles estão aqui! O menino. O menino, vigiem o menino, vigiem as pessoas mortas, ah, meu Deus, elas são tantas... Estão vindo me pegar agora. Vamos todos embora logo. Todos nós. Pastor Len, avise a eles que o menino, não é para ele..."


O Verão das Bonecas Mortas - Toni Hill - Ed. Tordesilhas (Cláudia)

Um romance policial que acerta em cheio ao construir uma trama instigante, com personagens complexos, atmosfera envolvente e muitas reviravoltas. Com um protagonista forte e bem construído, a trama conta também com personagens secundários que pouco a pouco ganham luz e ajudam a iluminar dois mundos diferentes na mesma cidade: um mundo de gente rica e privilegiada em contraste com o universo do tráfico de mulheres e de contraventores de pequeno porte.





A Verdade Sobre o Caso Harry Quebert - Joël Dicker - Ed. Intrínseca (Cláudia)

Marcus Goldman viu sua vida se transformar radicalmente. Seu primeiro livro tornou-se um best-seller, e ele assinou um contrato milionário para um novo romance. Mas então foi acometido pela doença dos escritores: ele não consegue escrever nem uma linha. Na tentativa de superar seu bloqueio decide passar uns dias com Harry Quebert, um dos escritores mais respeitados do país. É então que tudo muda. O corpo de uma jovem de quinze anos, desaparecida sem deixar rastros em 1975, é encontrado no jardim de Harry, junto com o original do romance que o consagrou. 


E quais foram os melhores de vocês do ano? Digam para a gente!
Carol e Cláudia!!!

sábado, 16 de janeiro de 2016

Enlouquecedor, Porém Brilhante - A Menina Submersa


"O que mais tememos não é o conhecido. O conhecido, por mais horrível ou prejudicial à existência, é algo que podemos compreender. Sempre podemos reagir ao conhecido. Podemos traçar planos contra ele. Podemos aprender suas fraquezas e derrotá-lo. Podemos nos recuperar de seus ataques. Uma coisa tão simples quanto uma bala poderia ser suficiente. Mas o desconhecido desliza através de nossos dedos, tão insubstancial quanto o nevoeiro."

Depois do "Clube da Luta" achei que não seria tão difícil fazer uma resenha... engano meu. "A Menina Submersa", de Caitlín R. Kiernan,  Editora DarkSide, é um livro impossível de passar para as palavras, de descrevê-lo.
Ele é tão bem escrito e com uma história tão boa, tão magnífica, que as palavras são poucas para dizer tudo aquilo que é necessário. Antes mesmo de dar um resumo e meus pontos de vista, tenho uma coisa para dizer: parem! o que estão fazendo neste exato momento - até mesmo de ler essa resenha, depois vocês voltam ;) - e vão ler esse livro. Só isso.
Depois que este momento de êxtase passou, por enquanto, falarei um pouco dessa obra para conhecerem, pelo menos o básico.
Só aviso que não entrarei em muitos detalhes para não dar possíveis spoilers.
Acompanhamos a vida de India Morgan Phelps, ou Imp, como preferirem. Uma personagem esquizofrênica e paranoica, que tem na família um histórico de suicídios. Para tentar fugir dessa "maldição", Imp começa a escrever um livro de memórias para reconstruir seus pensamentos, buscar em suas lembranças uma resposta para o encontro com Eva Canning, uma mulher estranha, desconfiável, que com seu canto de sereia - como diria a narradora - leva para as profundezas da mente humana. Além, é claro, de retratar as relações com sua namorada Abalyn.
Como diz o próprio livro, não sabemos se podemos confiar em Imp e seus escritos. Não sabemos se aquilo que está escrito é real ou não. Se é loucura ou lucidez. Se realmente existiu ou é só a imaginação gigantesca de India. O livro vai passando de suas loucuras para atos de lucidez numa rapidez imensa.
O mais incrível é que Imp tem total consciência de sua loucura e está o tempo todo tentando lutar contra aquilo. Não acabar com o mesmo final que sua mãe e sua vó. E, ao mesmo tempo, ela é brilhantemente inteligente, mas de uma forma obsessiva. Ela vai citar vários pintores e quadros - tanto reais quanto imaginários - escritores e músicas que o tempo todo queremos dar uma pausa para pesquisar, para saber até que ponto eles são reais ou não.
A relação dela com sua namorada, Abalyn é uma coisa muito bonita, pois elas são completamente opostas. Enquanto Imp gosta de músicas antigas, Abalyn gosta de cantores atuais. Ao mesmo tempo que Abalyn ama jogar - que é seu trabalho, fazer resenhas de jogos -, e assistir filmes e TV, Imp quase não entende nada disso. Todo o carinho que Abalyn tem com Imp, mesmo com todos os problemas. é muito bonito e interessante de se ler.
A escrita de Caitlín é excelente. O comentário do Neil Gaiman (<3) na capa do livro diz tudo: "Poucos escrevem como Caitlín". Depois desse livro só sei uma coisa: de agora em diante vou ler tudo que ela publicar!
Mesmo depois de tudo que escrevi ainda não passei tudo que o livro faz com a gente. Vou repetir o que já disse lá em cima: o único jeito de entender tudo isso é lendo!
Então, só leiam!
Acho que nunca implorei tanto para as pessoas lerem um livro como esse. O mundo deve conhecer essa obra-prima que infelizmente tem ainda poucos fãs. A DarkSide fez um trabalho impecável com esse livro, ainda mais com a edição mais recente, que é LINDA!!! Se alguém quiser me dar, estou aceitando ;) Super mereceu o prêmio Bram Stoker.

Obs.: Esse livro era para ter saído ano passado, para o último desafio do ano... Só que não deu certo. Sorry!

Espero que tenham gostado e boa leitura!
Carol!!!

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Resenha - Clube da Luta


"Aquele rosto enorme e úmido encosta em minha cabeça e me sinto perdido. É assim que sempre acabo chorando. Chorar é o que sobra na escuridão asfixiante de dentro de outra pessoa, quando você vê que tudo o que já conseguiu na vida terminará no lixo."

"A primeira regra é NÃO falar do Clube da Luta!"
Porém, para trazer essa resenha terei que quebrar algumas regras.
Lembrando que falarei somente do livro, pois ainda não assisti o filme.
Depois de ouvir muitas críticas e comentários positivo sobre "Clube da Luta", de Chuck Palahniuk, Editora Leya, decidi ler. Fui lotada de expectativas e não me decepcionei!
O narrador - que não sabemos o nome -, no começo tem uma vida muito boa, é rico, inteligente. Mas ai aparece um problema: as insônias! E para relaxar, ele começa a participar de terapia em grupo. porém essas terapias são focadas para pessoas com problemas terminais, como câncer.
Depois de um tempo participando e sua insônia melhorando, ele conhece Marla Singer, que também faz terapia, mas está lá com outras intenções. E todos seus problemas voltam, inclusive a falta de sono.
Porém, o livro só começa a andar de verdade quando aparece o personagem Tyler Durden, e o clube da luta toma forma a partir de uma brincadeira entre os dois. Tudo o que acontece no clube da luta fica no clube da luta. As pessoas só se conhecem enquanto estão lutando.
Tyler quase que comanda a vida do narrador, e tudo o que ele disser é fato! Tudo o que ele pedir deve ser feito! E por ai segue a história.
Com certeza o ponto forte do livro é essa relação entre os dois personagens, e para quem já leu o livro ou já assistiu o filme, sabe que tem uma explicação para tudo isso. E com certeza foi o que mais gostei no enredo. Foi o que me fez concluir o quão bom é esse livro. Não podia ter terminado melhor.
Agora é assistir o filme e ver se é tão bom quanto o livro. Ele sempre recebe críticas positivas, então creio que ruim não deve ser.
E vocês, já leram? já viram o filme? Gostam?

Até a próxima e boa leitura!
Carol!!!

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

BookHaul - Natal/2015


Ganhamos tantos livros e coisas interessantes que não vai rolar botar comentário para cada um. Só saibam que estamos encantadas com tudo, mas eu (Carol) estou especialmente com o de Nárnia... vocês verão o por que!

O Colecionador de Peles
Jeffery Deaver
Suma de Letras
A Casa das Marés
Jojo Moyes
Bertrand  Brasil
Serial Killers
Nas Mentes dos Monstros
Charlotte Greig
Madras
















A Bibliotecária de Auschwitz
Antonio G. Iturbe
Agir
A Nona Configuração
William Peter Blatty
Agir
Os Bons Segredos
Sarah Dessen
Seguinte















Bioshock - Rapture
John Shirley
Novo Século
O Manuscrito
Chris Pavone
Arqueiro
Cemitério de Dragões
Raphael Draccon
Rocco















Nárnia e a Filosofia
William Irwin
Madras
Sanctum
Madelene Roux
V&R
Roseanna
Maj Sjöwall, Per Wahlöö
Record















O Nome da Estrela
Maureen Johnson
Rocco
Redoma
Meg Wolitzer
Globo Livros
Em Busca de Cinderela
Colleen Hoover
Galera Record















O Lado Feio do Amor
Colleen Hoover
Galera Record
Eu Sou Malala
Malala Yousafzai
Cia das Letras
Inquebrável
Kami Garcia
Galera Record















Box Legend
Marie Lu
Rocco
DVD
O Senhor dos Anéis
Versão Estendida
Varinha Bellatrix







 +   COLAR DO HOBBIT
























Muitos livros, não? E a pilha de leitura só vai aumentando... mas nunca reclamaremos, estamos sempre aceitando novos livros ;)
Já leram algum desses? Nos digam o que acharam e boa leitura!
Carol e Cláu!!!

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Desafio Literário 2016


2016 começando, e o blog já vem cheio de novidades. Uma delas é o desafio literário que resolvemos criar esse ano.
Para cada mês, separamos cinco escritores aniversariantes e deixamos ao critério de vocês a escolha de um deles e uma de suas obras.
Lido, passem por aqui para trocarmos "olhares".
Vamos nos divertir muito nesta nova jornada.
Boa sorte para todos!



























































Carol e Cláu!

sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Escuridão Total Sem Estrelas - Você Desafiaria A Escuridão?


"Henry diz que estava ótimo, e com profundo receio, observei os dois andarem pela estrada, de mãos dadas. Ele guardava um terrível segredo, e segredos terríveis pesam. Querer dividi-los com alguém é a coisa mais natural no mundo. E ele amava aquela menina (ou pensava que amava, o que dá no mesmo quando se está com quase 15 anos). Para piorar, ele tinha que contar uma mentira, e ela podia perceber tudo. Dizem que o amor é cego, mas este é um axioma tolo. Às vezes, quem ama vê até demais."

Bom, Stephen King não precisa de apresentações. Ponto! Ele é o cara. Não há como defini-lo, só reverencia-lo sem pudor.
Em "Escuridão Total Sem Estrelas", Editora Suma de Letras, ele se superou, pode crer!
São quatro contos estilo King (1922, Gigante do Volante, Extensão Justa e Um bom casamento).
No primeiro conto, 1922, o agricultor Wilfred e o filho, Hank, precisam decidir do que é mais fácil abrir mão: das terras da família ou da esposa e mãe. Na minha opinião, foi o que menos me impressionou. Na verdade, acabei me arrastando um pouco nele.
No Gigante do Volante, Tess, uma autora de livros de mistério, é estuprada por um estranho e deixada à beira da morte. Quando retoma a consciência, elabora uma vingança que vai deixá-la cara a cara com um lado desconhecido de si mesmo. Esse conto é bárbaro, e mostra uma realidade que muitas vezes não conhecemos em nosso próprio EU. Vale uma boa análise.
Em Extensão Justa, Dave Streeter tem um câncer e faz um pacto com um estranho vendedor. Mas será que para salvar a própria vida vale a pena destruir a de outra pessoa? É uma possibilidade para se pensar, e pensar MUITO bem! É outro conto a la King!
Em Um Bom Casamento, uma caixa na garagem pode dizer mais a Darcy Anderson sobre seu marido do que os vinte anos que eles passaram juntos. Esse é sem dúvidas, o meu preferido. Ele é, simplesmente, GENIAL!!!! Enigmático, monstruoso, inebriante, e por aí vai.
Eu AMO e tenho MEDO da mente meticulosa, estratégica, genial de Stephen King.
No Posfácio, King faz um retrospecto de sua jornada e explica e assimila cada conto.
Quanto à capa, sem palavras. É uma das MAIS bonitas que tenho, e todos os componentes do livro são leais à história e seu título. Faz jus a cada centavo gasto com ele.

"Tudo bem, acho que já ficamos aqui embaixo na escuridão por muito tempo. Há todo um outro mundo lá em cima. Pegue minha mão, fiel leitor, e ficarei feliz em levá-lo de volta à luz do sol. Estou feliz em ir para lá, porque acredito que a maioria das pessoas é essencialmente boa. Sei que eu sou.
É quanto a você que não tenho tanta certeza".
(KING, Stephen - Posfácio - Escuridão Total Sem Estrelas)

Cláu Trigo!